terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Nossos Eus nas outras dimensões

Estamos presentes em diversas dimensões. Isso não é novidade, pois já falei sobre isso antes. Por isso, quero relembrar a todos que muitos dos problemas interiores e exteriores vivenciados por nós, no plano físico terráqueo, estão relacionados ao que sofremos ou realizamos nas dimenões onde os nossos outros Eus estão se manifestando.

Para tentar explicar isso de forma mais simples, eu lhe proponho imaginar o seguinte: às vezes, na 3D (Terra), você é uma pessoa boa, amiga, sociável, e até religiosa; de conduta ilibada, como diriam alguns. Porém, alguns dos seus Eus estão envolvidos em conflitos, guerras ou causas pessoais em outras dimensões, o que faz com você sofra por parte dos seus inimigos constantes ataques, perseguições e até aprisionamentos. (Lembre-se daquele filme "O exterminador do Futuro", com Arnold Schwarzenegger).
Você já se perguntou por que sofre tanto e, aparentemente, sem motivos? Já que é uma pessoa "tão boa para os outros". Pois bem, a resposta está no que os seus Eus fazem nos diversos mundos onde estão projetados.

Infelizmente, sofremos os reflexos dessas práticas por nós desconhecidas em estado de vigília. Já se perguntou, também, por que tem tantos sonhos ruins, sem motivo aparente? Já que sempre procura fazer o bem aos outros? A resposta também é que dei acima.

Isso, entretanto, não tem nada a ver com a visão propalada pelos espíritas quanto a uma suposta lei do karma, que de lei não tem nada; e nem de karma.

É bom que você saiba que a 3ª lei de Newton (ação e reação) - tão conclamada pelo espiritismo - não se aplica em aboslutamente nada ligado ao que se convencionou chamar de Karma. Qualquer pessoa mais estudiosa e menos dogmática percebe a fragilidade dessas ideias associadas à nossa experiência enquanto seres astrais vivendo em corpos de carne e osso.

Autor: Gesiel Albuquerque

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Cientistas encontram sinais da existência da 'partícula de Deus'

A partícula é considerada o pedaço que falta na principal teoria da física de partículas - conhecida como Modelo Padrão - que descreve como partículas e forças interagem. Ela seria responsável por dar massa a todas as outras partículas.

Durante um seminário do Cern, organização que opera o GCH, nesta terça-feira, cientistas anunciaram que dois experimentos no colisor conseguiram encontrar sinais que podem ser do bóson de Higgs, causando furor na comunidade científica.

No entanto, os pesquisadores ainda não tem dados suficientes para reivindicar verdadeiramente a descoberta. Encontrar o bóson de Higgs seria um dos maiores avanços científicos dos últimos 60 anos. De acordo com os cientistas, ela é crucial para a compreensão do universo, mas nunca foi observada em experimentos.
Segundo os cientistas, quando o universo esfriou após o Big Bang, uma força invisível conhecida como o campo de Higgs teria se formado juntamente com o bóson de Higgs. É este campo que dá massa às partículas fundamentais que formam os átomos. Sem ele, estas partículas passariam pelo cosmos na velocidade da luz e não conseguiriam se aglutinar.
O modo como o campo de Higgs trabalha foi associado ao modo como fotógrafos e repórteres se reúnem ao redor de uma celebridade. O grupo de pessoas é 'atraído' fortemente pela celebridade e cria resistência ao seu movimento em um salão, por exemplo. Dessa maneira, o grupo dá 'massa' àquela celebridade, tornando sua movimentação mais lenta.
'Descobrir a partícula confirma que a abordagem que estamos usando para entender o universo está correta.' Estas preocupações motivam o esforço do Cern para destacar o bóson de Higgs e outros fenômenos usando o GCH. O Grande Colisor de Hádrons fica em um túnel circular de 27 quilômetros de comprimento na fronteira entre a França e a Suíça, repleto de ímãs que 'conduzem' partículas de prótons pelo imenso anel.
Fonte dessa notícia:


sábado, 10 de dezembro de 2011

Defesa espiritual

Preciso destacar neste artigo a importância da oração e da vigilância em nossas vidas. Mesmo atentos e vigilantes, não deixamos de sofrer investidas malígnas sobre nosso cotidiano e nossos projetos pessoais. Enganam-se aqueles que pensam estarem protegidos só porque se encontram num suposto patamar superior vibracional. Isso é embuste dos magos negros, os quais buscam criar em nós a sensação de proteção; quando, de fato, ninguém está 100% protegido.

Se alguém se achar totalmente protegido, por favor, envie-me um email; eu quero conhecer o super-homem ou a super-mulher. Na verdade, ninguém está cem por cento protegido porque, dentro de cada um, há infinitas conexões com situações, experiências e outros seres com os quais lidamos nas diversas existências. Tais contatos estabelecem laços emocionais, mentais e energéticos, majoritariamente negativos. Quando buscamos mudar a frequência vibracional dessas experiências, já é tarde, pois muitos dos nossos ex comparsas, "amigos" ou dependentes não aceitam a nossa mudança e tentam fazer de tudo para não acessarmos patamares vibracionais pertinentes à paz e ao equilíbrio da alma.

Há também entidades e organizações preocupadas apenas em combater os propósitos divinos imanentes em nós. Todas as vezes que buscamos acessar a fonte trina do amor incondicional, uma luzinha vermelha se acende nos laboratórios dos cientistas e magos negros; e a partir, daí, uma ardilosa ação de ataque sutil e covarde é montada contra nós. Se não formos fortes (e dificilmente somos), nos deixamos sucumbir pelas diversas táticas malígnas de controle emocional e espiritual; ficando muito mais difícil acessar a nossa luz interior. Nessa hora, orar e vigiar é muito mais importante e necessário.

Orar e vigiar é um processo fundamental para o combate aos ataques trevosos, pois os mesmos visam a minar as nossas defesas psicológicas, emocionais e energéticas, para depois dominar-nos por completo. Uma vez caído nos domínios dos malígnos, a saída das suas garras é muito difícil.

No entanto, a oração a que me refiro não pode ser apenas balbuciar de palavras ou fórmulas vazias. Ela tem de estar impregnada pela energia da ação e da reação às investidas do mal, através de atitudes contrárias e energeticamente poderosas o suficiente para anular o efeito das forças tenebrosas: essa é a nossa verdadeira defesa espiritual.

Vigiar significa estar sempre alerta em relação às brechas existentes em nossas alma, as quais possibilitam a investida dos seres malígnos contra o nosso manancial divino.

Orar significa agir contra todas as formas de ataque de forma a combater uma energia xis com outra energia ípsilon. Isto é, temos de ser diferentes daqueles que nos atacam; do contrário, seremos facilmente rendidos.

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 4 de dezembro de 2011

Pais de Santo X Magos Negros

Muitos “pais de santo” se vêem desacreditados porque fazem trabalhos que não surtem o resultadoesperado. Pelos meus estudos, há pouquíssimos pais de santo cujos trabalhos surtem verdadeiro efeito. Muitos são charlatães mesmo; outros, entretanto, contam com a desobediência dos seus serviçais no mundo astral, os quais só fazem absorver a energia das oferendas e não cumprem com o combinado.

Dito isso, quero agora falar dos magos negros residentes no mundo astral; esses sim merecem o nosso cuidado e atenção devido ao seu altíssimo grau de periculosidade. Trata-se de entidades muito diferentes de qualquer modelo mental que conhecemos na Terra. Eles não são humanos no sentido lato do termo, apesar de viverem na psicosfera do nosso planeta há milhares de anos.

Os magos negros são inteligentíssimos. Eles possuem iniciações em templos de magia muito antigos localizados em outros planetas; dessa forma, as suas técnicas mágicas estão muito além do nosso conhecimento e se baseiam, principalmente, no controle mental e no roubo de energia.
Essa técnica bélica é muito tenebrosa porque busca a anulação completa da vítima em questão de tempo. E o que é pior, muitas vezes, com a aquiescência da vítima, que nunca desconfia de estar sendo atacada magicamente.

Fico impressionado com tanta ingenuidade no tocante à verdadeira natureza da magia. Quem sequer desconfiar dos grandes perigos da magia negra e dos seus manipuladores nas dimensões paralelas, não se meterá a besta a mexer com ela.
Autor: Gesiel Albuquerque

Forças invisíveis atuam entre nós


Vivemos no meio de forças invisíveis das quais podemos perceber apenas os efeitos. Movemo-nos entre formas invisíveis cujas ações com muita freqüência simplesmente não percebemos, embora possamos ser profundamente afetados por elas.

Neste lado mental da natureza, invisível aos nossos sentidos, intangível aos nossos instrumentos de precisão, muitas coisas podem acontecer que não deixam de ecoar no plano físico. Há seres que vivem nesse mundo invisível como os peixes vivem no mar. Há homens e mulheres com mentes treinadas ou habilidades especiais que podem penetrar nesse mundo invisível como um escafandrista desce ao leito oceânico.

Há também ocasiões em que, tal como acontece a um país quando os diques marinhos se rompem, as forças invisíveis fluem para cima de nós e nos engolfam. Normalmente, isso não acontece. Somos protegidos pela nossa própria incapacidade de perceber essas forças invisíveis.

Há quatro situações, contudo, em que o véu pode ser rasgado e podemos encontrar o Invisível. Podemos nos achar num lugar em que essas forças estão conectadas. Podemos encontrar pessoas que manipulem essas forças. E podemos "também ir ao encontro do Invisível, guiados pelo nosso interesse por ele, e perder a nossa serenidade antes de saber onde estamos; ou podemos cair vítimas de certos estados patológicos que rasgam o véu. O limiar do Invisível é uma costa traiçoeira em que nos banhamos.

Há buracos, correntes e areia movediça. O nadador forte, que conhece a costa, pode arriscar-se com relativa segurança. O nadador inexperiente, que não ouve nenhum conselho a não ser seus próprios impulsos, pode pagar com a própria vida a sua temeridade. Mas não devemos incorrer no erro de pensar que essas forças invisíveis são necessariamente más e nocivas à humanidade.

Elas não são mais nocivas em si do que a água ou o fogo, embora sejam muito poderosas. Se vamos contra elas, o resultado é desastroso' para nós, pois quebramos uma lei da natureza; mas elas não existem para atacar-nos, assim como nós também não.

Autor: Dion Fortune
Livro: Autodefesa Psíquica

domingo, 27 de novembro de 2011

Oito atitudes que ajudam a viver melhor


Certas atitudes vitais ajudam o processo de crescimento humano
  1. Sinceridade: honestidade consigo próprio e com os demais, a sinceridade pode ser doce apesar de adversa e recebida pelo outro como uma contribuição ao seu crescimento.
  2. Humildade: desfazer a trava do orgulho, para não cair no perigo de se sentir superior ou especial.Devemos buscar o aprendizado nas situações e nos outros.
  3. Coragem: encarar novos desafios e refletir com profundidade. Desconfiar das certezas duras.
  4. Perseverança: Ser constante em uma linha de trabalho. Buscar ultrapassar as dificuldades internas e externas.
  5. Confiança: tanto em si mesmo e nas próprias intuições, como caminho individual.
  6. Aceitação: não lutar contra os fatos, mas aceita-los. Amar você e o próximo, apesar dos defeitos.
  7. Humor: encarar as situações com perspectiva e menos seriedade.
  8. Compaixão: experimentar o amor e a preocupação genuína pelos os demais e abrir-se ao mundo. Descobrir a felicidade de servir e ajudar.
Fonte dessa notícia: http://www.uniaoplanetaria.org.br/blog/11/2011/oito-atitudes-que-ajudam-a-viver-melhor/

sábado, 26 de novembro de 2011

Cura Quântica Multidimensional

CURA QUÂNTICA MULTIDIMENSIONAL é um processo inovador de cura espiritual. É uma técnica que possibilita o tratamento de obsessões, magias, arquepadias, implantes e elementais nos níveis mais profundos do ser.

O tratamento pode ser feito à distância ou presencial; o efeito é o mesmo. Entretanto, convém salientar que essa técnica não faz milagres. Ou seja, ela vai até o limite do merecimento e da programação cármica do indivíduo. Mas pode ajudar muito.
Caso você queira passar pelo tratamento Quântico Multidimensional, envie um email para blogdogesiel@hotmail.com e faremos uma análise do seu caso.
Gesiel Albuquerque

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Liberte-se da culpa

Somos nascidos sob a influência da culpa. E por isso, temos sido instruídos, desfarçadamente, a sentí-la a fim de buscarmos a (suposta) paz, para nossa consciência. As religiões são hábeis nesse sentido. Ou seja, levar o indivíduo a se martirizar interiormente para poder se libertar de algum pecado ou problema com deus. Qualquer estudioso mais acurado, perceberá o grave paradóxo entre culpa e libertação.

Lamentavelmente, essa tem sido a programação milenar a qual estamos subordinados, tanto antes quanto depois de assumirmos o corpo físico.
A culpa tem sido usada por líderes do universo-trevas e manipulada em nossas almas, como instrumento de controle emocional para que lembremos de quem realmente manda neste planeta, nesta dimensão temporal e quem faz as regras nela.

O sentimento de culpa aleja o espírito e paralisa a alma que, sentindo-se imerecedora de algo, não consegue acessar os seus mananciais divinos e nem interagir livremente com situações, lugares e pessoas. Imagine que tem gente que se sente culpada até pelo que ainda não aconteceu. É incrível o poder paralisante e destruidor desse sentimento para o espírito humano. E isso, os tenebrosos conhecem muito bem, e fazem bom proveito dessa "arma" destruidora.
Alerto, portanto, que sentir-se culpado só piora as coisas em nossa existência, pois a culpa fortalece o medo e o remorso, levando à auto-punição, que é uma verdadeira trava para o indivíduo.
Ao lidarmos com os acontecimentos do cotidiano, o ideal é agir com responsabilidade e termos a noção dos nossos limites para que, ao final, não haja mortos e nem feridos (se é que você me entende).

Uma sugestão. Liberte-se da culpa e, consequentemente, do medo e do remorso! Isso lhe fará um ser humano melhor. Mas saiba que tudo o que fazemos pode se voltar contra nós. Portanto, faça o seu melhor, sem agredir a sua consciência e tampouco as consciências alheias.


Autor: Gesiel Albuquerque

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Camões, Paulo e Vinícius: confissões sobre o amor

Camões, Paulo e Vinícius: confissões sobre o amor

"O amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que doi e não se sente..."(.) A partir dessa frase extraída do texto de Luis Vaz de Camões (1524-1580), pretendo falar sobre a importância desse sentimento para todos nós. Obviamente, muito do que for dito aqui, será do seu conhecimento porque a temática amorosa é uma constante em todos as escolas humanas.

A citação acima é o começo de um poema cuja preocupação é demonstrar as incongruências de um sentimento tido pelo poeta como avassalador, o qual costuma se tornar uma doença da própria alma de quem o vivencia, agindo como uma droga que, apesar de fazer mal, não consegue ser rejeitada. Não é atoa que, na composição deste poema, o autor se refere ao amor como um "contentamento descontente". Em si, você já pode perceber quão incoerente é esse contentamento sem contentamento. Isto é, como é que alguém pode dizer-se contente, estando descontente? Esta é uma das façanhas do impretadas pelo amor camoniano.

Há muitas modalidades de amor, adaptadas ao gosto do seu "manifestante". Muitos, entretanto, confundem apego excessivo com esse sentimento incomensurável, impalpável, imaterial e abarcador dos desejos, ilusões, fantasias, viagens conscienciais e desterramento, quase completo, da sistemática real. O amor é isso: é tudo, é todo, é tido como tal.

Me vem à lembrança a frase do apóstolo Paulo sobre a importância e a significância do amor para a sua vida. Não apenas como algo sentido, mas como meio de fortalecer a razão das suas ações perante o mundo com base numa percepção metafísica da natureza humana. Através desse sentimento, Paulo demonstra ter conseguido uma façanha realizada por poucos: ele conseguiu se encontrar. Ou seja, descobriu e experimentou a sua verdadeira essência que, na sua nomenclatura, era o amor. Paulo percebeu quem era, do que era feito e qual era a origem da sua composição. Entendeu que sem o amor, o amor de Deus, ele não era nada.

"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine". Com esta constatação, o apóstolo Paulo assumia que a essência da existência estava em vivenciar o amor sincero, verdadeiro, transformador e suprahumano. Para ele não adiantava falar a língua dos seres celestiais, porque ela não produziria efeito milagroso sem o poder mágico desse sentimento. Paulo instala o conceito de essência para as ações, posturas e valores na vida das pessoas. Claro que ele não falava de um desejo carnal ou de uma atração física. E sim, de um sentimento cuja exigência para ser manifestado deveria ser a verdade da alma no auditório da consciência, sem rodeios, invenções ou máscaras.

O apóstolo ainda profetiza a impossibilidade de o amor falhar. Significando dizer que, se essa energia se faz presente no coração e no espírito de alguém, de modo singularmente verdeiro, nunca haverá falhas no seu poder de transformação universal. O indivíduo estará tão inundado pelo sagrado poder desse quantum cósmico afetivo que tudo em sua volta, e dentro de si, funcionará perfeitamente, mesmo que, aos olhos profanos, não pareça.

O poeta Vinícius de Moraes(1913-1980) diz o seguinte: "Encontrei em você a razão de viver e de amar em paz e não sofrer mais, nunca mais. Porque o amor é a coisa mais triste quando se desfaz". Essa visão sensorial sobre o amor é quase uma marca registrada do nosso poeta, que não poupa palavras e nem expressões sinestésicas para demosntrar o quão intenso era vivenciar o prazer da emoção saída dos olhos, da crane, dos poros e das vibrações celulares dos organismos. Vínicius era intensoe muito cônscio das suas necessidades, digamos, amorosas.

Num de seus poemas, o poeta carioca determina: "Eu possa me dizer do amor (que tive): que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure". Talvez essa tenha sido uma das constatações mais próximas da forma como ele encarava o amor. É possível que Vinícius nunca tenha se interessado pela eternidade de coisa alguma, mas sim, pela intensidade das experimentações, e quanto mais intensas, mais eternas (lembradas) elas seriam.

Amor cósmico, intenso, eterno ou finito. Não importam os limites que se imponham ao amor, e nem as formas como o compreendemos ou o exteriorizamos. O que importa é perceber a força que move os seres humanos em direção a um infinito desconhecido, porém, percebido por todos como o eterno ponto de chegada de todos os caminhantes da jornada universal. A essa força, pode ser dado o nome de amor, como classificou Saulo de Tarso (Paulo), em suas epístolas divinamente escritas.

Ainda não dá para falar de amor verdadeiro, visto que seria descrever uma ilusão, por se tratar de algo pouco vivenciado pelos seres da Terra, já que estes se encontram num padrão vibracional tão densificado pela matriz holográfica das percepções sensoriais que não conseguiriam captar as sutilezas mágicas desse sentimento divino e universal, característico da nossa verdadeira essência quântica.

Costuma-se confundir desejos e apegos com o verdadeiro amor: as pessoas se afeiçoam às outras e criam uma certa dependência em relação ao outro, estabelecendo laços psicológicos, afetivos e carnais muito intensos, difíceis de serem desfeitos. O que muitos se esquecem é que o verdadeiro amor não combina com apego, dependências ou dominações, em hipótese alguma.

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 13 de novembro de 2011

Somos células de Deus

Não pense que você está isolado em seus pensamentos e emoções. Suas reações internas são o reflexo daquilo que está lhe conectando aos universos holográficos gravados em seu DNA energético. Numa analogia simplória, comparo o ser humano a um software de computador (consciência) instalado num disco rígido (corpo físico), através do qual se pode executar os comandos e registros armazenados em suas memórias (processador).

Se entendermos que a dinâmica existencial se processa dessa forma, poderemos perceber a nossa função dentro de um programa maior (consciência cósmica ou Deus), num plano mais avançado e deliberadamente projetado para criar colisões através das quais se desprenderão flocos energéticos capazes de mudar realidades e estabelecer parâmetros diferenciados do ponto de vista consciencial e das intenções de cada ser dessa projeção.

O processo holográfico, conhecido por nós na 3D, ainda é embrionário e não pode oferecer os vários recursos para a humanidade estudar as camadas, sub-camadas e têmporas espaciais, interconectadas por passagens dimensionais, através das quais zilhões de (ao infinito) fluxos de éter hipermagnetizado, plasma e antipartículas são transferidas para todos os corpos do universo.

Através do estudo holográfico dessas partículas, pode-se instituir resoluções de vários problemas de ordem sutil dentro de cada organela atômica; o que se refletiria na cura de doenças e traumas em todos os níveis. Em linhas gerais, a holografia permite entender, em tamanho reduzido, como o universo e todos os seus componentes funcionam. Através desse produto oxi-reduzido, é possível encontrar mais facilmente a solução para os vários enígmas da criação.

Ao se estudar a holografia quântica do universo, será possível descobrir como e de onde se manifesta a energia cósmica celestial e perceber a sua atuação descrita nas equações matricial e logarítimica através de sua matemática exponencial, que pode dar uma pista sobre a inteligência da mente infinita de Deus. Surgimos dessa inteligência e nos insurgimos contra ela (numa acepção positiva) porque o nosso papel é caminhar independentemente, não precisando ser carregados.

A mente cósmica nos empurra ao (des)caminho para aprendermos a andar, e a voar, através de um esforço persistente, inexorável e eterno. Mesmo se perdermos a forma fisicamente prescrita e desenhada pelas células plastificadoras, jamais perderemos a nossa essência. Nunca deixaremos de ser filhos do poder infinito porque somos energia da sua energia, liga da sua liga. A propósito, somos diferentes da arquitetura produzida na prancha original, mas sempre pulsados pela entropia que desordena as forças do corpus universal.

O que oblitera as percepções sutis e interfere nos propósitos da existência são, via de regra, as crenças produzidas em nós, e por nós, reproduzidas em várias dimensões simultâneas, futuras e pretéritas com as quais estamos compatibilizados. Não pense, entretanto, que são apenas as criaturas da 3D a serem iludidas por crenças diversas. Nas dimensões etéreas, há muitas entidades enganadas por seus pensamentos, ou pela ação hipnótica de outras mentes, ávidas pelo usufruto da substância nicron, o gás nobre das moléculas do espírito.

Somos energia produzindo e perdendo quantum holo-térmico e cinético proveniente do centro das nossas vontades e daquilo que se convencionou chamar de pensamento, com o objetivo de alterar e refazer projetos macro existenciais. Sendo mais específico, somos as células de Deus em constante movimento e produção de energia, que será plasmada como realidade. Por isso, nunca estamos sozinhos na elaboração do projeto da criação.

A propulsão das nossas ações ocorre quando mobilizamos a intenção de "abrir caminhos" na dinâmica criacional, a qual está repleta de entidades concienciais amadurecidas pelas diversas vivências e "inter-vivências" ao longo de muitas vidas e enquadradas em milimétricos tempos, lugares e pessoas escolhidas. Parece complexo, mas não é.

Ao sair do patamar religioso medieval e adentrar as fórmulas consubstanciadas do espírito (ser etéreo), mergulhado na noção de atemporalidade e situacionlaidade extemporâneas, o indivíduo pode projetar o entendimento sobre o seu conteúdo dinâmico e o que a sua força motriz representa nas diversas manifestações supra-constituídas, dentro do que se convencionou chamar de identidade consciencial ou manifestação individual nesta dimensão.

Numa análise mais aplicativa, o processo existencial é mecanicamente bem simples. E de certo modo, são os seres vivos que danificam essa mecânica com suas expansões tecnomotivas e eminentemente desordenadas. Entretanto, o que aparentemente está em crise de ordenamento, na verdade, cumpre um propósito maior, organizadamente estipulado pelo Grande Senhor do Universo.

Autor: Gesiel Albuquerque

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

A indeterminação Quântica

Embora concordando com Einstein que a atual física quântica, da forma como está estruturada, deixa de nos dar uma explicação adequada do mundo material de nosso dia-a-dia, minha tendência pessoal é adotar a visão de Bohr—Heisenberg a respeito da indeterminação; isto é, quero defender a visão de que o fundamento mesmo da realidade é um labirinto móvel e indeterminado de probabilidades.

A razão para esta minha tendência virá mais adiante quando discutirmos natureza da consciência e sua relação com a física quântica. O funcionamento de nossa própria mente poderá fornecer uma chave para a natureza fundamental da realidade.

Por enquanto, a indeterminação quântica é, no mínimo, uma maneira metafórica muito poderosa para se perceber a realidade. Ao nível do cotidiano podemos ver o princípio da incerteza e o da complementaridade — a dualidade onda—partícula —como algo que nos oferece a chance de escolher entre diversas maneiras de se enxergar um mesmo sistema.

Por exemplo, podemos pensar nas ondas como gigantescas ondulações na superfície do mar ou podemos pensar nelas como certa quantidade de "partículas" (moléculas) de água. Podemos pensar numa nação como uma entidade viva com características próprias, etnia e história, ou podemos dividi-la em cidadesseparadas, prédios distintos, pessoas distintas.

Autora: Dana Zohar
Livro: O ser quântico

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Allan Kardec

As obsessões espirituais precisam ser melhor investigadas pelos que as divulgam como causas de muitos dos sofrimentos humanos. O pesquisador francês Allan Kardec (1804-1869) chegou a classificá-las como simples (irradiação mental do obsessor), mediana (fascinação sobre a vítima) e complexa (subjugação total da vontade do obsediado).

Ocorre que a obsessão espiritual é profundamente mais complexa do que os três níves destacados por Kardec. Há processos meticulosos e extremamente ardilosos de influenciação mental e emocional, cuja detecção é quase inviável devido ao nível de consonância e ressonância com os próprios sentimentos e desejos do obsediado.

Há milhares de pessoas sofrendo os mais diversos tipos de obsessão espiritual e agindo como se fossem verdadeiros luminares terrestres, pensando estarem a ajudar a humanidade a ser mais feliz. Nem desconfiam elas que estão caminhando a passos lentos, porém contínuos, para o abismo da escuridão e do controle total de suas vidas.
O processo obsessivo é elaborado por mentes muito poderosas e muito inteligentes. Não se trata de uma ação sem planejamento ou cuidado específico. Ao contrário do que muitos pensam, nem sempre o ataque se dá devido a uma inimizade entre dois seres, mas sim, pela decisão de poderosos chefes tenebrosos do mundo astral, inconformados com alguma causa coletiva ou revoltados com o comportamento de algum dos seus (ex) subordinados.

Vale dizer que no ataque obsessivo é muito difícil uma ação direta do chefe. Ele sempre incumbe seus comandados a realizarem o serviço. Entre esses comandados estão os demolidores; seres altamente malígnos e especialistas em destruir por completo a vida do indivíduo. Ter um desses na sua vida já é um problema, imagine dois ou mais. Nos casos de obsessão complexa, há sempre mais de uma entidade demolidora.

Toda obsessão tem uma razão de ser e um objetivo a ser alcançado. Os motivos para tal influenciação são tantos que não caberiam neste artigo. É importante alertar, portanto, que nossas vidas estão vulneráveis a todas as ações das mentes astrais; e mesmo estudiosos ou cuidadosos esoteristas e religiosos sofrem tais ataques para que não consigam exercer a sua missão original.

Os ataques obsessivos, os quais estamos acostumados a ver em casa ou nas relações sociais, estão, na sua maioria, ligados ao castigo de desertores, infrataores ou incompetentes na visão de seus antigos chefes. Casos de loucura, de possessão ou influenciação direta são típicos de pessoas cujo comportamento não agradou aos comandantes das legiões trevosas. Em todos os casos, as pessoas são levadas (enquanto dormem) para bases secretas no mundo astral a fim de sofrerem torturas mentais e emocionais indizíveis aos nossos padrões humanóides.

No interior das bases (que mais parecem quarteis militares), as pessoas desdobradas passam por reprogramação mental, colocação de implantes, recebem marcas, selos ou símbolos e ficam com entidades coladas a seus corpos fluidicos a fim de provocar nelas toda sorte de transtornos, dores emocionais e sofrimentos no dia a dia.

O projeto obsessivo engendrado visa a tirar da pessoa-alvo tudo que lhe faça feliz. Por exemplo: amigos, família, lazer, emprego, etc. Dessa forma, o obsediado vai se isolando e perdendo contato com a realidade. Normalmente, o resultado final desse processo é a morte física. Isso não significa, entretanto, que no mundo astral a obsessão seja cessada. Pelo contrário, na maioria das vezes ela fica pior, já que o corpo físico serve como uma capa de proteção contra os fluidos astrais. Uma vez fora dele, tudo se potenciliza sobre o indivíduo, principalmente a força das mentes malígnas contra ele.
Outra forma bem comum de ataque obsessivo espiritual é a inoculação de pensamentos ruins nas outras pessoas em relação ao obsediado. Ou seja, a criatura passa a ser mal vista, odiada ou constantemente envolvida em confusões, perdas e humilhações, para que o mundo a despreze tanto espiritual quanto socialmente. Assim, ela se torna alvo de fofocas, intrigas, calúnias, difamações, mesmo sem ter dado razão para aquilo. Seus objetivos de vida perdem, também, total razão de ser e tudo fica mais difícil para ela conseguir materialmente.

Nos casos obsessivos mais graves, costuma haver a implantação de ovóides (no corpo astral: em simetria com a cabeça, as costas ou o umbigo da pessoa). Estes ovóides sugam paulatinamente as energias da vítima, fazendo-a sentir-se fraca e exaurida, sem ânimo e sem forças até para continuar vivendo. Mesmo depois da morte física, o obsediado ainda continua com o ovóide, que pode permancer até por milênios grudado no corpo fluídico do indivíduo como se fosse um parasita. Com o tempo, a retirada dessa ferramenta (normalmente alienígena) fica extremamente difícil, pois ela já absorveu tudo o que podia do ser parasitado e uniu-se energetica e organicamente a ele.
Através de aparelhos, agulhas e outros artefatos, os obsessores podem controlar suas vítimas à distância e inserir em suas mentes as mais diversas sugestões. Quando a pessoa é "fraca de espírito", costuma ceder facilmente aos seus "senhores", agindo sem sequer desconfiar que aqueles não são seus reais pensamentos e desejos, mas sim, de mentes poderosas as quais têm absoluta informação de tudo o que o ela pensa, deseja ou projeta.

Por mais que oremos e vigiemos não estamos livres de sermos obsediados. Antes de sofremos tal revés, nossos inimigos nos estudam milimetricamente, buscando identificar todas as nossas fraquezas morais e emocionais para, com isso, elaborarem o seu plano de ação contra a nossas vidas. Dessa forma, quando alguém passa a ser obsediado, os autores do processo já sabiam exatamente quando, como e onde agir. Às vezes leva apenas alguns anos; outras vezes, passa por diversas existências.

É preciso que os estudiosos espiritualistas deixem de lado o sectarismo religioso e busquem aprofundar o seu conhecimento sobre como se processam os ataques obsessivos. Não se pode achar que a verdade está apenas naquilo classificado por Kardec nos anos de 1800. Estamos no século XXI e as possibilidades são outras. A capacidade de compreensão da humanidade também aumentou, e já é hora de muitos humanos saberem verdadeiramente o quanto, e como, são atacados neste planeta.
Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 30 de outubro de 2011

Vontade e Auto-Hipnose

A vontade é um subproduto de uma crença no sucesso e uma imagem mental coerente sobre o sucesso de uma determinada decisão. Assim, unificamos a emoção e a razão, e podemos nos sentir motivados para entrar em ação. Poderia explicar isso até neurológicamente, mas não cabe aqui no momento.

O importante a ressaltar quanto à auto-hipnose é que praticar em si mesmo dificilmente será tão intenso quanto se o fizer guiado por outra pessoa. Isto porque quando se faz em si mesmo estamos nos dividindo em três pessoas diferentes: um deles vai pensar o que dizer a si mesmo, outro vai observar os resultados e, por fim, o terceiro vai passar pela experiência.

Mesmo que para alguns a hipnose não seja nada mais do que uma meditação orientada, ela tem uma sutil diferença, pois a relação comunicativa entre duas mentes é bem mais intensa do que a relação interna, de auto-sugestão.

Entendermos esta diferença já é um bom sinal - sim, realmente não dá para fazer que a “hipnose em si mesmo” seja tão intensa quanto a hipnose de outra pessoa. Pelo menos não se estivermos querendo “comandar a mente a força”. A presença da parte crítica da mente poderá interferir na profundidade do transe, e a atenção será mais flutuante; a mente não estará unifocalizada.

Autor: Antonio Azevedo
http://www.portalcmc.com.br/autohiptx_05.htm

sábado, 22 de outubro de 2011

Infraconexões ancestrais

Todos os humanos encarnados neste planeta possuem uma origem que não é o próprio planeta Terra, mas sim, outras civilizações existentes em dimensões e locais bem mais distantes. Muitos dos humanos encarnados aqui foram testemunhas oculares ou até participaram de eventos envolvendo destruição em massa e de guerras nucleares ou similares.

Não é a toa que muitos têm aquela sensação de que este mundo vai acabar ou que algo de muito ruim está para acontecer com o nosso povo. Quando acontece um terremoto em alta escala ou tsunamis, estas pessoas se preocupam ainda mais com uma possível proximidade de outro evento catastrófico.

A Terra sempre foi e continuará a ser um lugar receptivo aos viajantes etelares, os quais chegam aqui por iniciativa própria ou por orientação dos gestores dessa dimensão até o seu nível sétimo. Uma vez encaranados, estas pessoas carregam instaladas em si uma programação específica a fim de lhes direcionar novos rumos nesta nova existência.

Ocorre que muitos se deixam levar pelas suas infraconexões ancestrais e, como numa experiência repetida, se envolvem em fatos negativos para todos. Veja um exemplo. Suponhamos que um determinado ser veio parar aqui na Terra, trazendo consigo toda a sua bagagem de conhecimento e de participação em situações dolorosas. Imaginemos ainda que este ser tenha sido um cientista poderoso em seu planeta de origem, onde ele dominava técnicas de manipulação genética. Será muito difícil que, uma vez encarnado, esse ser não se envolva na área médica do planeta e se devote a pesquisar ou a realizar experiências químicas e biológicas com outros humanos.

A intenção dessas pesquisas será sempre a melhor. Porém, tudo que começa com os melhores dos proprósitos nem sempre acaba com os melhores dos fins. O que eu quero dizer com isso é que muitas pessoas agem "no automático" de forma quase inconsciente em relação aos verdadeiros objetivos da sua ação. O que fala mais alto na verdade são as nossas conexões e matrizes conscienciais.

Quantas vezes você já se perguntou o porquê de ter feito algo quase sem querer. Quantas vezes você não entendeu porque tomou determinada decisão quando poderia ter escolhido agir de outra forma tranquilamente. Resposta para isso: são as nossas essências celulares, amigo.

Quando fomos criados pela mente divina, passamos a pertencer a uma matriz x ou y, as quais guardam e realizam as mesmas coisas de forma diferente. Isto é, as ações são as mesmas, porém os propósitos e mecanismos são aplicados de maneira bem diversa, atendendo sempre ao que está gravado lá no fundo da nossa programação intracelular etérea.

Muitas vezes as pessoas dizem um "sim", sentindo nitidamente um "não". O inverso também é verdadeiro. Isso porque nossas forças se manifestam através do avatar alojado dentro de nós. Portanto, não adiantam os bons modos, a gentileza ou a desfaçatez, porque nossa essência banhará sempre as nossas verdadeiras intenções, sejam elas boas ou ruins. (segundo a compreensão terráquea).

O homem vive em guerra e nem se apercebe disso. Estamos em constante e eterno conflito uns com os outros, tanto no plano físico quanto no plano astral. A tônica da existência é a "guerra" e por causa dela sobrevivemos na criação universal. Esta guerra se processa de várias formas; entre elas estão: ataques aramados, tortura mental e psicológica, controle mental, roubo de energia espiritual através do vampirismo, fofocas, calúnias, intrigas, luta por espaços e posições sociais ou profissionais, etc.

Um observador mais atento perceberá o quanto estamos imersos num universo de atritos (mesmo para os considerados pacíficos) e entenderá a razão disso através do que foi exposto no inicío desse artigo. Somos humanos, mas somos de origens diferentes. Isso quer dizer: planetas e dimensões diferentes. Você acha que se fôssemos iguais em tudo, sentíriamos alguma vontade de atacar o próximo? O que parece ser igual é, na verdade, muito diferente.


Autor: Gesiel Albuquerque

Oração contra os inimigos

Chagas abertas, Sagrado Coração, todo amor e bondade, o sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, no meu corpo se derramem hoje e sempre.

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge. Para que meus inimigos, tendo pés, não me alcancem; tendo mãos, não me peguem; tendo olhos não me enxerguem, e nem pensamentos eles possam ter para me fazer o mal.
Armas de fogo meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.

Jesus Cristo, protege-me e defende-me com o poder de tua Divina Graça e a Virgem de Nazaré me cubra com o sagrado e divino manto, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições; Deus, com sua Divina Misericórdia e grande poder seja o meu defensor contra a maldade e perseguição de meus inimigos.

Oh! Glorioso São Jorge, em nome de Deus, em nome da Virgem de Nazaré, e em nome da falange do Divino Espírito Santo, estendei-me o vosso escudo e vossas poderosas armas, defendendo-me com vossa força e vossa grandeza, do poder de meus inimigos carnais e espirituais, e de todas as suas más influências e que debaixo das patas do vosso fiel ginete, meus inimigos fiquem humildes e obedientes a vós, sem se atreverem a ter um olhar sequer que me possa prejudicar.

Assim seja, com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo. Amém.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Ninguém é dono da verdade



Qualquer um que pretenda explicar a suposta verdade sobre a existência humana e toda a realidade dimensional que a cerca, estaria cometendo, no mínimo, uma tentativa de golpe contra as consciências encarnadas. A verdade é que ninguém é dono da verdade. Nada do que muitos buscam demonstrar como explicação única e irremediável em relação ao mundo espiritual, por exemplo, significa verdade.

Não há uma verdade, mas sim, várias delas, a depender do contexto em que elas são observadas, e dependendo, também, do nível de compreensão de quem as analisa. Em sendo assim, assuntos expostos como explicações finais sobre causa e efeito de um determinado evento, podem ser, apenas, a ponta do iceberg, cujo corpo de gelo maior se encontra escondido embaixo da água.

Tudo pode ser e pode não ser. O todo pode representar nada, e o tudo pode não estar no todo. É assim que se processa. Fazemos parte de diversas realidades quânticas dimensionais, as quais nos levam a sofrer ou passar por acontecimentos específicos voltados ao cumprimento de um determinado objetivo. Cessado aquele objetivo, os acontecimentos perderão a sua força, e até, a sua razão de ser.

Vejamos um fato emblemático. Muitos acreditam na existência de extraterrestres, mas pensam que estes se encontram em mundos bem distantes dos nossos; e, por isso, não nos influenciam em coisa alguma. Pois bem, de acordo com os meus estudos e observações, constatei que os Ets estão mais próximos do que pensamos. Saibam todos que, na verdade, somos de origem alienígena. E mais! Entre nós, há milhões de extraterrestres pertencentes a milhares de outras raças estelares, as quais fazem do planeta Terra o seu esconderijo e refúgio.

Muitos alienígenas vivem entre os humanos residindo dentro dos seus corpos energéticos, acoplados ao corpo físico, de maneira indetectável e imperceptível. A esse processo, dá-se o nome de "entrante". E, ao contrário do que muitos pensam, há milhões (quem sabe bilhões) de entrantes em nosso meio, grudados aos corpos astrais dos incautos humanos. Se quiser perceber melhor isso, observe as marcas, logotipos e símbolos de lojas, empresas, igrejas ou organizações. Todas elas, aparentemente tidas como criações ingênuas, não passam de expressões subconscienciais das mentes proveninetes de sociedades alienígenas atuantes neste planeta, hospedadas em homens, mulheres e crianças, e suas respectivas características.

Veja bem! No início deste texto, eu falei que ninguém é dono da verdade. Portanto, nem eu sou dono dela. Mas, deixo para você, leitor, analisar e estudar, observar e refletir criticamente sobre esta fração de verdade que hora exponho aqui. Pegue-a, amplie-a ou rejeite-a.

Passar bem!



Autor: Gesiel Albuquerque

sábado, 1 de outubro de 2011

Suposto alienígena aparece na Indonésia (chocante)


Uma luz brilhante (na forma de homem-pássaro) flagrada no dia 11 de setembro por câmeras de segurança em uma praça em Jacarta, na Indonésia, tem intrigado os moradores. Alguns acreditam que a imagem luminosa seria um anjo, mas, para outros, uma criatura alienígena, segundo o jornal on-line "Examiner".

Endereço dessa notícia: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2011/09/cameras-de-seguranca-teriam-flagrado-anjo-na-indonesia.html

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Fazemos parte de uma cadeia alimentar


A realidade física não significa algo ruim para as experiências humanas. Entretanto, é preciso ter certa precaução em relação à facilidade de sermos iludidos durante a manifestação da nossa verdadeira essência e quanto à programação que temos a desempenhar.
Ocorre que ao adentrarmos a terceira dimensão (planeta Terra) através do corpo físico, perdemos a lembrança de quem realmente somos e dos compromissos assumidos com seres e governos astrais antes de nascermos. Dessa forma, ficamos fragilizados e propensos à influenciação de outras mentes interdimensionais (não-humanos), conhecedoras exatas sobre o que somos e de onde saímos até chegarmos aqui.


Lamento informar, e podem ficar estarrecidos; porém, eu sei muito bem do que estou a falar. A verdade é que fazemos parte de uma cadeia alimentar, na qual há predadores (extraterrestres e magos negros) acima de nós, pelos quais somos explorados e extorquidos energeticamente, e servimos, sem saber, na maioria das vezes, como fonte de energia para essas criaturas provenientes de outras civilizações de universos entrecruzados com o nosso.

O que facilita esse roubo das nossas forças é justamente a falta de lembrança da nossa verdadeira essência e o que podemos fazer para nos protegermos. Há, no entanto, seres encarnados plenamente conscientes desse processo de extorção energética e empenhados e ajudar aos seus "senhores" a roubar energia dos humanos. Esse processo é caracterizado como "vampirismo". Aliás, não faltam vampiros entre nós, em todos os setores e seguimentos sociais.

Quando encarnados neste orbe, os seres humanos perdem parte do seu poder consciencial e tornam-se alvos fáceis nas mãos de manipuladores das vontades, residentes em espaços diretamente conectados a nosso. Assim, o que se costuma chamar de pensamentos humanos, ou escolhas individuais, não passa, em muitos casos, de manipulação mental arquitetada por entidades mais avançadas tecnologicamente do que nós.

E qual é a fonte da sobrevivência deles? Resposta: são as nossas emoções e desejos, através dos quais produzimos formas-pensamento que lhes servem de verdadeiros manjares afrodisíacos.

Conclusão: Devemos estar sempre atentos ao que pensamos ou sentimos. Ou então, poderemos servir de marionetes, e de "alimento" para os seres tenebrosos do mundo etéreo.

Autor: Gesiel Albuquerque

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Partícula "mais veloz que a luz" pode ser revolução na física

Estudiosos dizem que se velocidade for confirmada, partícula pode provar que é possível viajar no tempo
Cientistas de ponta disseram nesta sexta-feira (23) que a descoberta de partículas sub-atômicas que viajam mais rápido que a velocidade da luz poderia obrigar uma ampla reavaliação das teorias sobre a composição do cosmos, caso seja independentemente confirmada.

Jeff Forshaw, professor de física de partículas na Universidade de Manchester, na Grã-Bretanha, disse à Reuters que os resultados, se confirmados, poderiam significar que é possível teoricamente "enviar informações para o passado".
"Em outras palavras, a viagem para o passado poderia ser possível... (apesar de que) isso não significa que estaremos construindo máquinas do tempo em qualquer momento próximo."
O instituto de pesquisa CERN, localizado perto de Genebra, na Suíça, confirmou hoje (23) em uma coletiva de imprensa de mais de uma hora que medições feitas durante três anos revelaram que neutrinos injetados em um receptor em Gran Sasso, na Itália, haviam chegado em média 60 nanossegundos mais rápido do que a luz teria feito -- uma diferença minúscula que poderia, no entanto, minar a Teoria da Relatividade de Albert Einstein, de 1905.

"Afirmações extraordinárias exigem provas extraordinárias, e essa é uma afirmação extraordinária", disse o eminente cosmologista e astrofísico Martin Rees à Reuters.

Fonte dessa notícia:

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A energia magnética em nós

O título deste artigo não é novidade para ninguém, pois costumamos ouvir falar dessa temática nas aulas de física e química, ou nas discussões entre amigos. Portanto, não é algo novo. Bem, mas se não é novo, por que resolvi intitular o meu texto usando essa frase? A resposta é a seguinte: devido a influência (atrativa ou repulsiva) do magnetismo sobre todos os seres da criação. Eu disse: todos.

A energia magnética é fundamental para nossa existência; e posso dizer seguramente que, sem ela, não estaríamos aqui. Vamos aos fatos:

Através de um posicionamento específico e por causa de uma movimentação dinâmica envolvendo rotação e translação, o centro gravitacional do nosso planeta emite uma energia poderosa capaz de exercer, entre outras tarefas, a coesão das partículas e não deixar que os corpos se desintegrem facilmente. Em sendo assim, e por analogia, não é difícil depreender que somos aglomerados de células, órgãos e tecidos, graças ao magnetismo imanente em nós.

É também devido a essa poderosa força de união atômica que podemos ficar "grudados" na superfície terrestre (força gravitacional). Isso, em qualquer aula de física pode se comprovar. Observe que, saindo do ponto de atração magnética (gravidade), os corpos perdem o seu sistema referencial de massa e de peso, podendo, então, realizar movimentos inimagináveis aos nossos padrões gravitacionais. Na lua, por exemplo, onde a gravidade é quase zero, qualquer um de nós poderia andar a saltos gigantescos e, de certa forma, até voar.

Mas, como isso pode interferir em nossas vidas positiva ou negativamente? Bem, por sermos seres magnéticos e termos o poder de absorver e emitir energia, é possível inferirmos que se não soubermos utilizar (aplicar) esse fluxo em nossa dinâmica, teremos resultados nada agradáveis durante o percurso estelar. Isso vale tanto para a atração dos corpos quanto para o poder de atração, ou repulsão, das nossas emoções, pensamentos e sentimentos.

Nesse caso, quero ater-me especificamente à energia magnética da mente e das emoções, personificada nos desejos. Quando estes se mostram obtusos, doentios ou viciados (repetitivos), a energia produzida por eles servirá para abrir e manter portais magneticamente negativados e com frequências quânticas corrompidas; o que certamente atrairá seres provenientes de mundos e dimensões com padrões inversos, facilitando o ataque à nossa lógica existencial dentro dos níveis da 3D. Significa que poderemos ser mais facilmente controlados, dominados e escravizados por mentes dissonantes das nossas. Através da imposição de castigos, torturas ou hipnoses, acabaremos por nos adequar a esses padrões invertidos e a ele nos prendermos indefinidamente.

Quando essas frequências se distorcem, perdemos o equilíbrio central do nosso próprio eixo psicológico-energético fazendo com que toda a homeostase molecular, orgânica e espiritual estabelecida antes de nascermos na 3D se desmonte e permita o acesso de terceiros às nossas defesas. Isso é muito perigoso porque, como diz um ditado antigo: "para se conseguir algo é muito difícil; para perdê-lo é extremamente fácil". Aplicando-o ao mote desse texto, insisto que conseguir o equilíbrio energético-emocional é difícil; porém, perdê-lo é muito fácil.

E de que forma perdemos essa homeostase quântico-magnética? Quando assumimos, por exemplo, compromissos impagáveis em troca de poder, recompensas vãs, supostas proteções astrais, entre outras; quando por razões que a própria razão desconhece o homem se entrega ao seu lado negro, preferindo destruir para supostamente construir, colidir para supostamente manter distância e equilíbrio.



Essa lógica pertence à essência teórica da poderosa loja negra do mundo astral, a qual vê no caos destruidor o poder de restauração da essência humana. Ao contrário dela, a loja branca prefere edificar para não cair, respeitar distâncias para não colidir, estabelecer equilíbirio entre as forças do caos.

Nos desequilibramos ainda quando buscamos impedir a manifestação energética das outras consciências magnetizadas pela grande mente divina. Ao tentarmos inibir a manifestação das outras energias, produzimos ligações biomoleculares intensamente imbricadas nos alvos da nossa interferência e, fatalmente, em algum momento, estaremos subordinados a lei de aproxiamação do nosso inimigo, ficando mais íntimo dele do que se possa imaginar. Uma das forças do caos é a constante de aproximação (atrito) e de distanciamento (campos magnéticos repulsivos). Um pode se tornar o outro facilmente, e vice-versa.

Comecei este texto falando da energia magnética, a fim de mostrar o quão importante ela é para a existência humana, e do próprio planeta. Busquei mostrar a sua manifestação em todos os níveis, reinos e sobre todos os seres (encarnados ou não). E finalizo-o chamando atenção para os cuidados para a utilização do magnetismo em nossas atitudes, posturas e decisões.

A grande questão desse fluido vital em nós, criaturas magnéticas, é a sua atuação para a construção ou desconstrução de realidades, sejam densas ou sutis. Dessa forma, convém alertar sobre os perigos do seu uso incorreto, em relação, por exemplo, ao nosso Eu divino, cujo canal principal de manifestação é a vontade, a partir da qual tudo se magnetiza, concretizando-se ou desequilibrando-se por completo.



Autor: Gesiel Albuquerque

Físicos europeus descobrem partículas mais rápidas que a luz

Físicos anunciaram esta quinta-feira (22) que partículas subatômicas denominadas neutrinos podem viajar mais rápido que a luz, uma descoberta que, se comprovada, seria inconsistente com a teoria da relatividade de Einstein.

Em experimentos feitos entre o Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern), em Genebra, na Suíça, e um laboratório na Itália, as minúsculas partículas foram cronometradas a uma velocidade de 300.006 km/seg, sutilmente mais rápido do que a velocidade da luz, afirmaram os cientistas.
“Dá uma sensação de que tem alguma coisa errada, que isso não pode estar acontecendo,” disse James Gillies, porta-voz do Cern. Ele afirmou que os resultados surpreenderam tanto os pesquisadores da institução que eles pediram que outros colegas verificassem suas medições antes de anunciar de fato a descoberta.”Eles estão convidando a comunidade mundial da Física a examinar minuciosamente seu trabalho, e idealmente, conseguir que alguém repita os resultados,” afirmou.

A equipe do acelerador de partículas do Fermilab, nos Estados Unidos, já se comprometeu a iniciar esse trabalho. “É um choque,” disse o chefe do grupo de Física Teórica do Fermilab, Stephen Parke, que não fez parte da pesquisa na Suíça. “Vai nos causar um monte de problemas, isso é fato. Se é que é mesmo verdade”.

O Fermilab conseguiu resultados semelhantes em 2007, mas a margem de erro era tão grande que minimizou sua importância científica.
[...]
Mas os cientistas concordam que se os resultados forem confirmados, eles vão forçar uma revisão completa das leis da física.

A Teoria da Relatividade de Einstein, que diz que a energia é igual a massa vezes a velocidade da luz é a base de toda a física moderna, afirmou John Ellis, físico do Cern que não esteve envolvido na experiência. “Funcionava perfeitamente até agora”, ressaltando que os pesquisadores do OPERA podem ter a responsabilidade de explicar como neutrinos mais rápidos que a luz não foram descobertos até agora. “Se for verdade, é uma descoberta tão fantástica, mas tão fantástica, que temos que ser cuidadosos até confirmá-la”.

(Com informações da AP e AFP)

Fonte dessa notícia:

http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/fisicos-europeus-descobrem-particulas-mais-rapidas-que-a-luz/n1597223663198.html

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Soldadura perispirítica

No campo das obsessões, o perispírito também é utilizado como mecanismo de ação, podendo-se através dele entender como funciona este fenômeno. Nas mais variadas expressões obsessivas caracterizadas pela influenciação entre almas, sejam elas encarnadas ou desencarnadas, o intercâmbio se verifica em decorrência da proximidade da natureza da vibração dos indivíduos, que se utilizam do perispírito para estabelecerem o contato nocivo:

"A justaposição do agente ao paciente pode se verificar de tal forma, que os perispíritos parecem se interpenetrar, como a configurar uma quase fusão entre eles.                        
Esse processo, que, pela persistência dessa interpenetração psicossômica, pode ser chamado de Soldadura Perispirítica, acontece sob o comando magnético de terceiros - Espíritos treinados em tais perversidades -, ou por ação natural do próprio obsessor.

No primeiro caso, almas em desequilíbrio - inconscientes, até, do que ocorre, catalogando-se, entre elas, particularmente, as submetidas aos efeitos do monodeísmo - são magneticamente jungidas aos perispíritos das vítimas, provocando-lhes os mais graves desajustes psíquicos, responsáveis pelo surgimento dos numerosos distúrbios elencados em psicopatologia.                        
No segundo, a atitude mental vingativa do próprio obsessor, fechado em seu ódio contra o obsidiado - ontem, normalmente, seu cruel algoz -, leva-o a unir-se de tal maneira a este, que os perispíritos parecem como que soldados entre si". (Zalmino Zimmermann, Perispírito, Cap. XIV, p.409).     
                  

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Todo cuidado é pouco!

O homem encarnado costuma se esquecer por completo da sua realidade espiritual. Mesmo freqüentando religiões ou indo a cultos diversos, o ser humano nem se lembra que é um ser fluídico etéreo vivenciando uma realidade densa, carnal, em consonância com a sua mentalidade e desejos.

Esse esquecimento provoca uma espécie de torpor mental que impede um aprofundamento mais significativo sobre a análise da sua natureza e, consequentemente, as suas falhas e carências. Todo esse processo gera fragilidades capazes de manter portais dimensionais escancarados aos dominadores do mundo astral. E o que é pior, quanto mais controlado, mais o homem pensa que é livre. Quando mais subordinado, mais ele se sente dominador. Por isso vê-se tanta gente dizer que não acredita nisso ou naquilo, em se tratando de assuntos espirituais.
Entretanto, não é demais lembrar a presença encarnada de muitas pessoas conhecedoras de todo esse processo dominador, mas intimamente ligadas aos seus chefes em outras dimensões e até mundos distantes do nosso. Sem querer ser exagerado, e já sendo, a humanidade está para os dominadores assim como o gado está para nós. Ou seja, é como se tivéssemos sido criados para servirmos de alimento para os senhores da escuridão. Por isso, todo cuidado é pouco.
Autor: Gesiel Albuquerque

sábado, 3 de setembro de 2011

As egrégoras

Todo cuidado é pouco com a formação das egrégoras tenebrosas aqui no mundo físico e no mundo astral. Os seres deste universo possuem dispositivos internos que, quando necessário, fazem com que eles se unam e formem coletividades energéticas tanto para fazer o bem quanto para fazer o mal. Infelizmente, na maioria das vezes, essas uniões são formadas para fazer o mal através da inveja, do ódio e dos sentimentos de destruição contra pessoas ou causas.

As conexões internas humanas são intrinsecamente ligadas às bases de onde saímos. Nestas bases, habitam fraternidades, organizações, empresas e instituições que coordenam, em muitos casos, os processos reencarnatórios. Ao formarmos, ou participarmos das egrégoras, ativamos todos os nossos contatos e essências imateriais gravados em nosso DNA espiritual.

Dessa forma, é preciso que as pessoas se conscientizem dos efeitos e poder das uniões energéticas a fim de que estas só sejam formadas para fazer o bem. Pois, quando o feitiço se volta contra os feiticeiros, as consequências são imprevisivelmente destruidoras.


Autor: Gesiel Albuquerque

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Sobre as vidas passadas

Ao contrário do que muitas seitas pregam a respeito das vidas supostamente passadas, este blog informa que não há somente vidas no passado, mas, vidas simultâneas e futuras ocorrendo neste momento. Significa dizer que neste exato momento em que você está lendo este artigo, outros EUs seus, assim como os meus, estão em plena manifestação em outros mundos e realidades dimensionais.

É preciso que você saiba que muito do que sofre física e espiritualmente, nem sempre, está ligado a uma vida passada ou ao que você faz na 3D; e sim, ao que você faz ou estão fazendo contra sua consciênica em outros mundos. Às vezes, o indivíduo é um “santo” na Terra, mas em outros mundos há partes suas extremamente perversas; e quando capturado por seus inimigos, sofre as maiores atrocidades, o que acaba se refletindo no seu Eu encarnado aqui.

Há também casos em que os trabalhadores do universo-luz, quando são capturados pelos seres do universo-trevas, sofrem torturas, roubos de energia, e implantações de objetos em seus corpos astrais. Feito isso, os tenebrosos buscam implementar as mais perversas técnicas de magia negra contra os trabalhadores da luz, na intenção de aniquilá-los totalmente onde quer que eles estejam dentro dos universos. Todo esse processo, não importa a dimensão ou o período em que ocorra, se reflete diretamente sobre o indivíduo, quando encarnado aqui.

Os terapeutas regressivos poderiam tentar esta experiência: levar o seu paciente ao futuro ou a dimensões paralelas, a fim de buscar as causas das suas aflições desta existência. Garanto que o resultado será surpreendente. Só precisa haver boa vontade e crença nesta possibilidade. Detalhe: o paciente não precisa saber a qual tempo ele estará sendo conduzido. Um terapeuta habilidoso fará isso com maesteia e pouco incômodo.

Autor: Gesiel Albuquerque

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Astrônomo católico: “Não há contradição entre a religião e vida extraterrestre”

Padre José Gabriel Funes, diretor do Observatório de Astronomia do Vaticano, conversou com o iG sobre ETs, Deus e a origem do Universo.

Beatriz Merched, iG Rio de Janeiro | 18/08/2011 16:33

O padre argentino José Gabriel Funes não gosta de polêmicas, embora seu nome sempre seja citado quando o assunto envolve vida extraterrestre e a crença na religião católica. Astrônomo e diretor do Observatório de Astronomia do Vaticano, o religioso, que já declarou acreditar na possibilidade de Deus ter criado vidas em outros planetas, garante que não vive em conflito com a Igreja Católica. “Não existem contradições e oposições. O interesse científico é o que me motiva. Busco Deus em tudo o que faço e o encontro em minhas pesquisas também”.
O interesse pelas estrelas começou cedo. Mais precisamente quando o primeiro astronauta pousou na Lua e ele tinha apenas 6 anos. E sua ordenação como membro da ordem jesuíta só aconteceu na fase adulta. Hoje, aos 48 anos, o padre se orgulha de poder participar de palestras e seminários de estudo sobre a formação das galáxias. “Encontro todo o apoio possível do Santo Padre às minhas pesquisas”, afirma, referindo-se ao Papa Bento XVI.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/astronomo+catolico+nao+ha+contradicao+entre+a+religiao+e+vida+extraterrestre/n1597162899874.html

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Ovóides

Os obsessores desencarnados utilizam-se dos ovóides para intensificar o cerco às suas vítimas. Imantando-as (como sanguessuga agarrada à sua vítima, sugando o sangue que serve de alimento) nos pontos energéticos (chakras) do nosso corpo físico, como no chakra genésico, no chakra coronário e no chakra esplênico, alimentando-se das energias humanas para sentir o gosto, o cheiro e o sabor da vida material e dos prazeres mundanos deixados pela morte do corpo físico. Com este assédio, a estrutura espiritual do ser vai ficando enfraquecida.
Instala-se então o chamado parasitismo espiritual, através do qual o obsediado passa a viver o clima criado pelos obsessores e agravado pelas ondas mentais altamente perturbadoras dos ovoides. É uma subjugação gravíssima que pode lesar o cérebro ou outros órgãos que estejam sendo visados. Mesmo depois da retirada destes ovoides do corpo astral, pela equipe socorrista, danos podem ser causados às tecelagens sutis do corpo físico, contaminando as células do organismo.

E não é só a forma que importa, mas, também, a concentração dos princípios vitais, como no ovo das aves, dos répteis, etc. Os espíritos ovóides são os mais comuns no mundo invisível que nos cerca. Eles enxergam e ouvem, num raio de dois metros em torno deles. Sua capacidade de aderência é espantosa. Por invisíveis mecanismo de ódio, eles aderem ao encarnado, e provocam os mais variados sintomas de moléstias, em sua maioria de ordem convulsiva.

A esses seres se devem doenças como labirintite, meningite, deformações da coluna, disritmia e inúmeras formas de distúrbios mentais e neurológicos.

Sua aderência se faz de duas maneiras: por compressão e por vampirismo. Atuam como corpos estranhos no organismo e, ao mesmo tempo, como sanguessugas, alimentando-se de nutrientes nobres do organismo, como hormônios e plasmas sutis. (...)

O afastamento só existe quando se completa o equilíbrio, quando há o refazimento total do prejuízo sofrido pelo espírito cobrador.

Na verdade, no caso dos ovóides, o problema é de difícil solução mediúnica. Para que haja completa solução na obsessão ovoidiana, é necessário a capacidade mediúnica astral, isto é, médiuns que tragam o contato efetivo dos Médicos Espirituais ao paciente.

Fontes de pesquisa:

http://www.obstumaran.com.br/doutrina/15-o/549-ovoide.html e
Tia Neiva – “Sob os Olhos da Clarividente"

http://www.oconsolador.com.br/ano3/112/eduardo_augusto.html 
EDUARDO AUGUSTO LOURENÇO

eduardoalourenco@hotmail.com
Americana, São Paulo (Brasil)


quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Cachorros e gatos

Somente os mais extremos defensores do caráter único do homem negariam a vida consciente dos mamíferos domésticos como gatos e cachorros. Eles evidentemente não estão anestesiados (insensíveis) — o critério mais elementar para a determinação de se algo é consciente. Eles se movimentam envolvendo-se em atividades espontâneas e propositadas, têm uma capacidade indubitável de sentir prazer ou dor, aprendem de seu ambiente e adaptam-se a ele e, ao menos até certo ponto, são dotados de livre-arbítrio — eles são capazes de fazer e de fato fazem escolhas. O senso comum associa todas essas coisas à consciência, no caso dos seres humanos. Se os gatos e cães também desfrutam de uma "vida interior" como nós, ou se possuem um senso do "eu", é algo sem resposta por parte dos defensores de ambas as teses, mas em geral não temos dificuldade para perceber que são também criaturas conscientes.

Autora: Danah Zoar
Do livro: "O ser Quântico"

terça-feira, 26 de julho de 2011

Bases subterrâneas nas infradimensões

Há milhares de bases subterrâneas instaladas no mundo astral simétrico ao plano 3D (a Terra física). Quando os seres dessas bases decidem seqüestrar os corpos astrais dos humanos durante o sono, eles utilizam elevadores que descem a profundidades incríveis e assumem rotas verticais ou horizontais.

O objetivo dos seres malignos ao construírem estas bases em grandes profundidades é dificultar, ao máximo, serem descobertos pela polícia interdimensional ou pelos protetores das suas vítimas. Lá embaixo, as entidades seqüestradas costumam receber implantes, sofrer torturas psíquicas ou clonagem do seu cordão prateado, ou ainda, receber programações de lavagem cerebral. Quando voltam ao corpo (ou à superfície), não lembram de nada, mas passam a sentir os sintomas das “coisas” instaladas em seus corpos.

Os moradores dessas regiões são, geralmente, magos negros e alienígenas renegados em seus mundos, os quais vivem no astral do planeta Terra há milhares de anos. Nestes locais há cultos secretos, corporações militares e construções que mais parecem os edifícios militares construídos na realidade física. Desses lugares, partem inúmeros solados do mal em busca de almas incautas (a maioria) que possam lhes servir de fonte de energia e de controle mental.

Muitos dos seres advindos dessas regiões subterrâneas se encontram encarnados entre nós. São demônios, dragões ou répteis que voltaram ao corpo físico para executarem missões específicas como causar medo, dor, pânico, insegurança, sofrimento e desilusão nas outras pessoas. Sempre que dormem, estes seres se deslocam para os seus mundos subterrâneos a fim de prestar contas do que estão a desenvolver no mundo físico.

Autor: Gesiel Albuquerque

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Físico de Hong Kong prova que viajar no tempo é impossível

Sabe aquela cena de viajar no tempo e no espaço? Ela ainda ficará restrita às histórias de ficção científica. Na vida real, um físico de Hong Kong provou que nada pode viajar mais rápido do que a velocidade da luz --teoria formulada por Albert Einstein.

A possibilidade de se viajar no tempo surgiu cerca de dez anos atrás, quando cientistas descobriram a propagação superluminal (mais rápida que a luz) de pulsos óticos em alguns meios específicos.

Posteriormente ficou provado que o fato era na verdade um fenômeno visual, mas os pesquisadores ainda defenderam que um único fóton poderia superar a velocidade da luz.
O professor assistente de física Du Shengwang, da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong, decidiu encerrar a discussão acadêmica e provar que as conclusões de Einstein estavam corretas medindo a velocidade de um único fóton.

"O estudo mostrou que um único fóton também obedece ao limite de velocidade como as ondas eletromagnéticas", disse ele.
"Ao provar que os fótons não podem viajar mais rápido do que a velocidade da luz, nossos resultados encerram o debate sobre a verdadeira velocidade de informação transportada por um único fóton", escreveu.
O estudo foi publicado na revista científica "Physical Review Letters".

DA FRANCE PRESSE

No site: http://noticias.bol.uol.com.br/ciencia/2011/07/25/fisico-de-hong-kong-prova-que-viajar-no-tempo-e-impossivel.jhtm

sexta-feira, 15 de julho de 2011

O invisível existe

Iniciados não têm qualquer interesse em “provar” a existência do Invisível: eles não seriam iniciados se não tivessem tido experiência pessoal da experiência dos planos sutis, e daquelas partes da consciência humana que são da mesma gama vibratória que essas esferas de energia que a ciência oficial está começando finalmente a estudar.

Nós sabemos que o Invisível existe. Portanto, quando um caso de extrusão indevida das forças sutis no mundo material nos é anunciado, nós procuramos investigar a situação com a maior objetividade possível. A solução de um pretenso caso de ataque mágico não deve ser procurada em nossos preconceitos, e sim na evidência disponível.

O primeiro passo, em todo caso, é chamar o médico ou o psiquiatra em nosso auxílio. Se os fenômenos não podem ser curados em termos de doenças do sistema nervoso ou glandular, ou explicados em termos de repressão anormal dos instintos naturais do animal humano, então é tempo de considerarmos a nossa experiência e aplicarmos nos nossos testes especializados.

É claro que há mais no homem que apenas corpo e mente. Somos seres espirituais manifestados sobre este plano, e corpo e mente são apenas as vestimentas de um viajor que atravessa uma terra estranha.

Autor: Marcelo Motta
do livro: Sintomas de ataques ocultos

terça-feira, 5 de julho de 2011

Proteção individual

Quando você pensar que já sabe de tudo, perceberá que não sabe nem o ínfimo de uma parte de tudo aquilo que nos influencia e nos controla a partir das outras dimensões. O problema não é conhecer, e sim, entender todo o processo ardiloso utilizado pelos milhares de seres interessados no projeto humanóide.

Não é a toa que os seres humanos vivem “cegos” para essa realidade, embora, a maioria busque a sua proteção individual para enfrentar os desafios da sobrevivência. Por causa dessas buscas, muitos pactos, acordos, votos e contratos se estabelecem entre os seres multidimensionais e os encarnados na Terra.

A matriz de controle é muito poderosa. Não será fácil se libertar dela, até porque os seus mantenedores entendem que se você não está com eles, está contra eles. E o tratamento deles dispensado aos inimigos, isto é, os que tentam retirar o véu, é muito duro, indizível para os padrões humanos. Isso porque os recursos utilizados por estas instituições do astral são milhões de anos-luz mais avançados do que os conhecidos e aplicados pela humanidade.

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 3 de julho de 2011

Onde ela malha?

Considere a musculação - Getty Images

Foto: reprodução

Teoria da relatividade X Física Quântica

A teoria da relatividade em si, embora tenha conseqüências importantes no modo como se faz uma parte da física, provavelmente não levará a uma nova visão de mundo. Embora uma leitura errônea de Einstein tenha sido animadora para a tendência a favor do "relativismo", para certas correntes históricas e antropológicas a teoria da relatividade em si trata da física das altas velocidades e enormes distâncias. Ela se consuma numa escala cosmológica e não tem virtualmente nenhuma aplicação em nosso cotidiano, em nosso mundo de pés na terra. Assim, ainda que qualquer colegial saiba que o espaço é curvo e o tempo, da forma como o conhecemos, não passa de uma mera ilusão, é muito improvável que as pessoas comuns cheguem a uma compreensão da realidade diária sob as luzes da obra de Einstein.

A física quântica é diferente. Sendo a física desse minúsculo micromundo dentro dos átomos, ela descreve o funcionamento interno de tudo o que vemos e ao menos fisicamente somos.

Todo o mundo da matéria, incluindo nossos próprios corpos, é feito de átomos e seus componentes ainda menores, e as leis que governam esses pequenos pedacinhos de realidade básica transbordam para nossa vida diária. Um único fóton, ou "partícula" de luz, afeta a sensibilidade do nervo ótico. O princípio da incerteza que governa o comportamento dos elétrons desempenha um papel na estrutura dos acidentes genéticos que contribuem para o processo de envelhecimento e para a evolução de certos tipos de câncer, sendo que o próprio processo evolutivo talvez seja afetado de maneira semelhante.

Autora: Danah Zohar
Do livro: "o ser quântico"

sábado, 2 de julho de 2011

Itamar Franco

                                                                  Foto: reprodução

 Grande homem, grande político, grande presidente! Descanse em paz!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Visão metafórica sobre o amor

"O amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que doi e não se sente..."(.) Com esta frase extraída do texto de Luis Vaz de Camões (1524-1580), pretendo falar sobre a importância desse sentimento para todos nós. Obviamente, muito do que for dito aqui, será do seu conhecimento porque a temática amorosa é uma constante em todas as escolas humanas.

A citação acima é o começo de um poema cuja preocupação é demonstrar as incongruências de um sentimento tido pelo poeta como avassalador, o qual costuma se tornar uma doença da própria alma de quem o vivencia, agindo como uma droga que, apesar de fazer mal, não consegue ser rejeitada. Não é atoa que, na composição deste poema, o autor se refere ao amor como um "contentamento descontente". Em si, você já pode perceber quão incoerente é esse contentamento sem contentamento. Isto é, como é que alguém pode dizer-se contente, estando descontente? Esta é uma das façanhas do impretadas pelo amor camoniano.

Há muitas modalidades de amor, adaptadas ao gosto do seu "manifestante". Muitos, entretanto, confundem apego excessivo com esse sentimento incomensurável, impalpável, imaterial e abarcador dos desejos, ilusões, fantasias, viagens conscienciais e desterramento, quase completo, da sistemática real. O amor é isso: é tudo, é todo, é tido como tal.

Vem-me agora à lembrança as frases do apóstolo Paulo sobre a importância do amor na sua vida. Não apenas como algo sentido, mas como forma de fortalecer a razão das suas ações perante o mundo com base numa percepção metafísica da natureza humana. Através desse sentimento, Paulo demonstra ter conseguido uma façanha realizada por poucos: ele conseguiu se encontrar. Ou seja, descobriu e experimentou a sua verdadeira essência que, na sua nomenclatura, era o amor. Paulo percebeu quem era, do que era feito e qual era a origem da sua composição. Entendeu que sem o amor, o amor de Deus, ele não era nada.

"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse Amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine". Com esta constatação, o apóstolo Paulo assumia que a essência da existência estava em vivenciar o amor sincero, verdadeiro, transformador e supra-humano. Para ele não adiantava falar a língua dos seres celestiais, porque ela não produziria efeito milagroso sem o poder mágico desse sentimento.

Paulo instala o conceito de essência para as ações, posturas e valores na vida das pessoas. Claro que ele não falava de um desejo carnal ou de uma atração física. E sim, de um sentimento cuja exigência para ser manifestado deveria ser a verdade da alma no auditório da consciência, sem rodeios, invenções ou máscaras.

O apóstolo ainda profetiza a impossibilidade de o amor falhar. Significando dizer que, se essa energia se faz presente no coração e no espírito de alguém, de modo singularmente verdeiro, nunca haverá falhas no seu poder de transformação universal. O indivíduo estará tão inundado pelo sagrado poder desse quantum cósmico afetivo que tudo em sua volta, e dentro de si, funcionará perfeitamente, mesmo que, aos olhos profanos, não pareça.

Vinícius de Moraes (1913-1980) diz o seguinte: "Encontrei em você a razão de viver e de amar em paz e não sofrer mais, nunca mais. Porque o amor é a coisa mais triste quando se desfaz". Essa visão sensorial sobre o amor é quase uma marca registrada do nosso poeta, que não poupa palavras e nem expressões sinestésicas para demonstrar o quão intenso era vivenciar o prazer da emoção saída dos olhos, da crane, dos poros e das vibrações celulares nos organismos. Vínicius era intenso e muito cônscio das suas necessidades, digamos, amorosas.

Num de seus poemas, o poeta carioca determina: "Eu possa me dizer do amor (que tive): que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure". Talvez essa tenha sido uma das constatações mais próximas da forma como ele encarava o amor. É possível que Vinícius nunca tenha se interessado pela eternidade de coisa alguma, mas sim, pela intensidade das experimentações, e quanto mais intensas, mais eternas (lembradas) elas seriam.

Amor cósmico, intenso, eterno ou finito. Não importa os limites que se imponham ao amor, e nem as formas como o compreendemos ou venhamos a exteriorizá-lo. O importante é perceber a força que move os seres humanos em direção a uma eternidade desconhecida, porém, intuída por todos como o ponto de chegada dos caminhantes dessa jornada universal. A essa força, podem ser comparadas quaisquer outras, como as classificadas por Saulo de Tarso (Paulo), em suas epístolas divinamente produzidas.

Falar de amor verdadeiro seria ilusão descritiva, por se tratar de algo pouco acessível aos seres da Terra, já que estes se encontram num padrão vibracional tão densificado pela matriz holográfica dos sentidos e das percepções sensoriais que não conseguiriam captar as sutilezas mágicas desse sentimento divino universal, característico da nossa verdadeira essência quântica.

Numa analogia simples, seria o mesmo que não conseguir entrar num salão limpo porque os pés estariam muito sujos. Ou seja, primeiramente, ter-se-ia que limpá-los, e bem, para ter a permissão de adentrar ao salão. Isso não impede, no entanto, de mesmo do lado de fora, declamarmos axiomas como os do poeta Isaias Medeiros, que diz: "amor é provar que, por dois pontos quaisquer de um plano do destino, passam inúmeras retas, mas apenas uma permanece unindo-os, enquanto ninguém conseguir provar o contrário".

Para finalizar, acrescento a minha visão metafórica sobre o amor ao dizer que ele é a serpente do éden e a luz sobre a minha semente! É o todo distorcido, em frangalhos, suprimido, este amor que não se vê, arde e sente, é amor patrono e total, quase indecente. O amor é tópico frasal sem explicação. É ferida sentida e, aberta, admoesta o coração. É produto da soma dos quadrados (a² + b²), é a hipotenusa (h²) da minha solicitude desmedida. Ele complica, enobrece e resolve a minha vida; e sem ele, eu nada seria.


Autor: Gesiel Albuquerque