sábado, 21 de setembro de 2013

A terrível magia negra


A magia negra é uma forma terrível de ataque. Ao falar dela, não me refiro aos feitiços encontrados em encruzilhadas ou próximos a cemitérios. Esses emolumentos são também magia negra, mas mexem primordialmente com forças elementais da natureza e entidades perdidas no mundo interdimensional; ou seja, espíritos de gente morta.
          Ao falar dessa força, estou a me referir a uma forma muito mais poderosa de manipulação, influenciação e controle realizado por magos negros, não-humanos e alienígenas. Estes seres sabem e podem manipular energias densas de alto poder destrutivo, capazes de inviabilizar a vida de uma pessoa por diversas encarnações.
       Essa magia ainda é muito pouco conhecida dos seres humanos, embora muitos estejam sob a influência dela sem sequer perceberem. As ferramentas mais utilizadas nessa modalidade são a hipnose, os implantes e a clonagem. Uma vez realizadas, a pessoa perde a força de vontade, se enfraquece energeticamente e cai facilmente sob controle dos seus algozes, tornando-se uma presa capturada. Dificilmente ela se liberta desse julgo maligno

 
Autor: Gesiel Albuquerque

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

O poder dos pactos



            Muito se fala contra os pactos; e quem fala se esquece de que está aqui devido justamente aos pactos. Todos nós assumimos algum tipo de pacto, acordo, voto de obediência ou contrato. Tudo em nossa vida começa a partir de um pacto.

            Se você começa a trabalhar numa firma, vai ter de fazer com essa firma um pacto de obediência às suas regras, de prestação dos seus serviços, etc. Se você vai se casar, terá de dizer sim è pessoa com qual estará em núpcias e assumirá um pacto de estar com ela até “que a morte os separem”. Na maioria das vezes ninguém obedece.
            Leio constantemente em parabrisas de veículos frases do tipo: “Deus é fiel”, “Querendo Deus, quem impedirá”, etc. Todas representam uma relação de servidão a esse Deus para obter dele a proteção e a prosperidade.

            Vejam, portanto, que somos fruto do pacto. Pacto é aceitação e submissão. E não estou a me referir sobre os pontos negativos ou positivos. Cada um sentirá depois a cobrança, pois o pacto implica uma retribuição futura ou simultânea.
            O problema, portanto, não é o pacto, mas a forma como ele é realizado e com quem pactuamos algum compromisso. A depender desses dois fatores, se torna quase impossível se libertar dos compromissos com quem nos deu algum "presente". Digamos assim que eles se tornam impagáveis. Qual é a conseqüência? Subserviência e escravidão eterna.
Muitos pactuantes acreditam terem feito acordo com Deus, quando na verdade, se vincularam a outras forças muito poderosas e exigentes. Por isso é tão comum vermos tantos desmoronamentos emocionais, sentimentais, espirituais, materiais e conscienciais das criaturas humanas.

Há pessoas que têm suas vidas travadas, bloqueadas e são impedidas de viverem por si. Sabe por que? Porque elas não serviram a contento aos seus chefes, ou eles não precisam mais delas. E aí elas são descartadas, humilhadas e desprezadas. E se alguém tentar fugir do compromisso assumido...? Este verá o inferno da forma como realmente ele é.
 
Autor: Gesiel Albuquerque