segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Evolucionismo, uma farsa


A teoria da evolução é muito falha e facilmente desmontada por qualquer interessado em questioná-la mais incisivamente. Só não entendo porque tanta gente acredita e aceita a evolução como um processo verdadeiro quando, de fato, os seres da criação não evoluem, e sim, se transformam.

Pesquisadores afirmam que as espécies sofrem, ao longo das gerações, uma modificação gradual que inclui a formação de novas raças e de novas espécies. Isso, entretanto, não significa evolução; pois, se pensarmos assim, partiremos do princípio que as novas espécies serão melhores e mais avançadas do que as que lhes deram origem. E isso não acontece na maioria das vezes.´

Com o advento das idéias espiritualistas ocorridas no Brasil a partir do século XX, essa noção de evolucionismo ficou mais evidenciada devido à influência dessa teoria sobre os conceitos abstratos amplamente divulgados na França e na Inglaterra nos Séculos XVII, XVIII e XIX, envolvendo o homem e Deus.

Depois da sua divulgação, tal teoria se transformou em fonte de controvérsia, não somente no campo científico, como também na área ideológica e religiosa em todo o mundo. Afirmo sem qualquer receio que o evolucionismo é uma farsa.

Até o século XVIII, o mundo ocidental aceitava com muita naturalidade a doutrina do criacionismo, outra teoria meramente hipotética sem qualquer comprovação, voltada apenas a fortalecer a crença humana em um poder sobrenatural capaz de criar e recriar toda a existência. De acordo com essa doutrina, cada espécie animal ou vegetal teria sido criado, independentemente, por ato divino.

Autor: Gesiel Albuquerque

Obs.: imagem copiada do site: http://www.lepanto.com.br/dados/Evolucion.html

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Entrantes: como são produzidos


Os entrantes são seres produzidos em laboratório e recebem uma programação específica (missão) a ser desenvolvida durante a sua permanência no corpo físico do hospedeiro.

Os construtores de entrantes o fazem como se estivessem a participar de uma indústria, semelhante ao que ocorre nas fábricas de carros. Isto é, em cada plataforma é colocada uma peça, parte ou acessório.

Construção de um entrante:

Os engenheiros de entrantes capturam a energia do indivíduo a ser implantado e a partir dessa carga energética fabricam uma criatura parecida com um humano e a programam de acordo com os seus objetivos.

Essa construção ocorre por partes. Primeiro constroi-se o corpo emocional, depois o corpo respondente, e no final colocam a programação nas suas células.

Digamos que haja num entrante a seguinte porcentagem: 20% de energia do hospedeiro e 80% de energia do laboratório onde foi construído. Nunca um entrante é totalmente indiferente energeticamente ao cedente do corpo físico.

Vou explicar os passos dessa implantação.

Passo 1: escolhe-se a vítima/alvo do processo.

Essa escolha pode acontecer por motivos nobres ou por vingança deliberada das fraternidades das sombras. Quando o objetivo é divino, o indivíduo já sabe previamente que passará por isso durante a sua vida terrena, aceitando os acontecimentos e deixando o corpo conscientemente. Quando não, o humano nem desconfia ao ser substituído e começa a sofrer todo o tipo de sordidez contra a sua alma e os seus valores ético-espirituais.

É importante salientar também sobre os casos em que o hospedeiro permanece consciente de estar a servir as forças das trevas e, mesmo assim, cede espaço em seu corpo para que o entrante se manifeste.

Passo 2: implantar a entidade entrante.

Esse processo é mais complexo porque não ocorre da noite para o dia. Às vezes, demora uma eternidade para que toda a implantação se consolide. Claro que se existir a anuência do hospedeiro, as coisas ficarão mais fáceis e menos demoradas.

A implantação entrante se dá por cirurgia espiritual e geralmente o implantado não se lembra. Ele tem apenas a sensação de haver passado por algum evento estranho, ou de ter sonhado estar caindo num abismo sem fim.

As transformações no comportamento começam a partir desses sonhos. Isso ocorre frequentemente na infância, quando estamos mais indefesos e tudo sobre o que reclamamos é visto como “coisa de criança”.

Há também situações nas quais a colocação de um entrante se dá depois de a vítima ter sofrido um acidente grave(levando-a ao coma) ou de ter passado por um trauma emocional e psicológico intenso.

Quando o propósito é nobre (ligado às hierarquias da luz), o hospedeiro recebe a entidade entrante de maneira bem tranquila. Normalmente, depois de uma meditação profunda, de uma noite de sono nos templos sublimes ou através de um choque passageiro e agradável; e pronto, o ser estará ativado.

Passo 3: Desenvolver a missão.

O entrante, uma vez instalado, passa por um processo de adaptação para, depois, desempenhar a sua missão dentro daquele novo corpo. Sua tarefa pode ser a de monitorar o planeta, vigiar o implantado, destruir a sua vida, fazer algum bem, ou mal, à humanidade, etc. Isso vai depender dos propósitos dos engenheiros que o construíram. Se servirem à luz, sua missão será sempre boa para todos. Se trabalharem para as trevas, nem precisa dizer.

Há casos raros nos quais alguns seres resolvem pessoalmente transformarem-se em entrantes a fim de desenvolverem uma missão na Terra. Nesta circunstância, o ser vem protegido por um exército de seres astrais para que o seu projeto não sofra percalços ou falhas impeditivas. Cito, por exemplo, os missionários Gandhi, Irmã Dulce, Madre Teresa de Calcutá, Chico Xavier, dentre outros.

Autor: Gesiel Albuquerque

Envie comentários.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Seres Produzidos(entrantes)


Caros amigos, preparem-se! O assunto a ser abordado agora é pouco divulgado em livros e na mídia eletrônica, mas é tão real quanto qualquer outro acontecimento humano do nosso dia a dia. Refiro-me ao processo de troca de inteligências astrais dentro do corpo físico: falo sobre os entrantes.

Muito do que é dito sobre o processo entrante chega bem perto da realidade. O que ainda se teima em afirmar é a opinião sobre o grande nível evolutivo dessas criaturas. Quero informar-lhes que, de fato, os entrantes são fruto de uma tecnologia muito avançada; mas não são, necessariamente, seres evoluídos. É difícil saber quando esse avanço tecnológico pertence às hierarquias da luz ou às hierarquias das trevas.

Normalmente, e para o nosso desprazer, a maior parte dos processos entrantes na humanidade se dá por iniciativa dos seres das fraternidades tenebrosas, moradores da crosta terrestre, ou alojados em bases alienígenas, situadas nas hiper-dimensões paralelas.

A intenção dos "engenheiros dos entrantes" é, basicamente: escravizar a raça humana, estudá-la milimetricamente e roubar dos indivíduos as suas energias emocionais, astrais, mentais e físicas. Dessa forma, os construtores do mal, pertencentes a essas fraternidades, ficam mais fortes, revigorados e mais controladores.

Se na 3D (nosso planeta) precisamos de alimentos sólidos e líquidos para repormos nossas energias físicas, nas outras dimensões, os seres astrais tenebrosos se revigoram com a energia produzida pelas emoções e pelos desejos humanos.

Quanto mais produzimos emoções e intensificamos a busca pelo “prazer”, mais doamos aos tenebrosos as nossas energias vitais. E eles continuam a absorvê-la sempre mais. Para tanto, desenvolvem uma infinidade de aparelhos e de entidades capazes de retirar o máximo da nossa força vital para deixá-los cada vez mais poderosos.

Todas as vezes em que as pessoas se encontram numa fossa emocional, estão sob a ação dos ladrões de energias, que as sugam sem qualquer preocupação com as suas vítimas. Este roubo energético provoca nos alvos dos ataques uma sensação de fraqueza, indisposição, irritabilidade, e até reações estranhas (medo, agressividade, desejos insólitos repentinos, covardia extrema, etc.).

Muitas vezes, as vítimas vão ao médico, ou ao psicólogo, e não são diagnosticadas sobre nada mais sério. Outras vezes, são induzidas a tomarem medicamentos anti-depressivos a fim de diminuir aquela sensação ruim, que é vista pela medicina como um mal-estar psicológico. Na verdade, esse processo é o resultado da ação dos tenebrosos(construtores de entrantes) contra os humanos, sem que estes nunca suspeitem.

Como se pode observar, os entrantes produzidos pelas trevas têm a função de roubar as energias e também podem monitorar e controlar nossas vidas. Entretanto, como se trata de um processo de realização complexo e demorado, os malígnos os utilizam menos. Isso não diminui, porém, o efeito destruidor desse ataque na vida do sujeito cedente do corpo astral/físico e das outras pessoas relacionadas a ele. Tudo fica mais difícil na existência do hospedeiro de um entrante.

Autor: Gesiel Albuquerque

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Extraterrestres

A humanidade tem sido alvo do interesse de muitos Ets, cuja existência, muitos não ousariam imaginar. Falo, por exemplo, dos Ets insectóides, dos astronautas e dos Ets robôs. Esses são os mais frequentemente vistos e contatados em nível de primeiro e segundo grau.

Esses ETs são muito científicos e possuem um poder mental grande. Dessa forma, eles podem ler os nossos pensamentos, sentimentos e emoções, e podem estudar, com grande maestria, o nosso código genético, fisiológico e energético.

Já mantive contato com os Ets astronautas e os Ets robôs. E já vi de longe um Et insectóide. Vou relatar, muito resumidamente, como foram essas experiências.

No primeiro contato, eu estava em frente da minha casa quanto avistei um ser parecido com um humano flutuando a uma distância aproximada de 400 metros em manobra de observação. Esse ser vestia um escafandro branco e usava um capacete hermeticamente fechado. Do alto, o Et astronauta tirava fotos de mim.

Certa vez, eu fui seguido por um ET robô. Ele aparentava ter uns 2 metros de altura e tinha a pele (lataria) na cor bronzeada, semelhante ao cobre. Ele não falava coisa alguma, mas, estranhamente, eu consegui entender o que ele queria ali. Isto é, ele consegui transmitir telepaticamente as suas mensagens; e eu as entendi.

Numa outra oportunidade, estava num determinado local quando avistei um ser gigante, semelhante a um enorme gafanhoto. Ele estava comendo capim (folhas) e nem olhava para mim. No entanto, deu a entender que sabia da nossa presença. Alguém me alertou para que eu não chegasse mais perto, ou então, seria atacado.

Vale salientar, extemporaneamente, que a maioria dos alienígenas existentes na atmosfera Terráquea não possui corpo físico. Outros possuem, porém não querem ser vistos. Para tanto, eles utilizam um avançado recurso de camuflagem e, ainda, usam materiais e roupas não refletidoras da luz. Mas eles estão entre nós, mais próximos do que imaginamos.
Autor: Gesiel Albuquerque

sábado, 11 de dezembro de 2010

Jesus X ETs

A fé é mesmo uma força que move montanhas. Essa afirmação é conhecida de todos e consta no livro bíblico que conhecemos. O incrível disso não é a frase, mas sim, a forma como a intenção é direcionada ao se produzir tal afirmação: "a fé move montanhas".

Observe! Quando você acredita no que deseja, então a sua vontade acontece no plano dimensional da 3D. Não importa se o objeto da sua fé tem história prévia ou não. Ou ainda, se tem comprovações científicas para ratificarem a crença sobre ele. Um exemplo: acreditar em Jesus como salvador do mundo. 
Sobre Jesus, a única fonte de informação sobre sua vida é a bíblia. Não há, entretanto, uma fonte histórica ou científica sequer que comprove a existência desse homem chamado de "rei dos judeus". Mas, mesmo assim, os humanos acreditam piamente nas suas supostas palavras.
O mais incrível ainda é perceber que boa parte daqueles que matariam ou morreriam para comprovar a existência de Jesus, não o fariam se a proposta fosse acreditar na existência de extraterrestres. Pergunto. Qual é a diferença? Respondo. Nenhuma.

Se não se pode comprovar a existência do homem Jesus, também não se pode provar que extraterrestre existe. Porém, acredita-se avidamente no primeiro e despreza-se, com muita segurança, a possibilidade de vida do segundo. Estranho isso, né!

Qual seria, então, a razão dessa discrepância da fé? Por que muitos homens e mulheres movem (e até removem) montanhas para pregar as palavras de alguém que, na prática, nunca existiu? Por que não ter essa mesma opinião direcionada aos Ets?

A resposta é simples. Porque a maioria dos humanos é representante dos aliens na Terra. E para os Ets, não é interessante sabermos que eles existem, pois o véu encobridor dos nossos sentidos cairia e perceberíamos as suas várias formas de manipulação mental, emocional e energética.

Há poderosos soldados alienígenas entre nós, em patamares altíssimos de influenciação pela palavra, pelo dinheiro e pela opressão, dispostos a demover de qualquer ideal o mais simples movimento voltado à descoberta das atividades alienígenas contra os humanos. Em outras palavras, os humanos são prisioneiros, e vão continuar assim por muito e muito tempo.

Só quero que saibam o quanto a humanidade é induzida a não se interessar ou a procurar, erradamente, respostas para os diversos problemas existenciais. Para isso, há muitos Ets infiltrados entre nós, fingindo ser os melhores cidadãos, dominando setores específicos dos nossos grupos sociais, atentos a qualquer manobra de despertamento e sempre prontos a fortalecer a fé humana em outros assuntos, menos na existência deles.

Quando há qualquer movimentação estranha contra os seus planos, os soldados vão diretamente aos seus chefes, no plano astral, contar tudo. Depois disso, os líderes aliens elaboram uma estratégia para aniquilar os agentes da tal manobra. Portanto, não custa nada fiquem atento.

Autor: Gesiel Albuquerque

sábado, 4 de dezembro de 2010

Seres Entrantes (ou intrantes) 1

O termo entrante (ou intrante) é o nome usado para determinar seres de origem espiritual, que não utilizam os meios Divinos para se estabelecerem e utilizarem um corpo de origem física encarnado em nosso meio. (transmigração)

O processo entrante se dá em uma cirurgia espiritual que pode durar meses ou anos, de tão delicada que é, por isso é realizada por seres que portam com sucesso implantes emocionais, mentais e alguns implantes espirituais de complexidade menos elevada.

Este tipo de cirurgia só pode ser realizada com a anuência do ser espiritual ocupante do corpo físico através de seu Eu Superior - nunca seu Eu Inferior - sendo que os métodos de convencimento aplicados ao ser implantado são diversos, mas a maioria é iludida (enganada), pensando estarem a servir a Luz de Deus; outros, através de vantagens karmicas ou materiais por toda a sua vida; e ainda, através de pactos de serviços, etc.

É comum encontrar estes seres da Luz contrária, na história da humanidade, desde a Lemuria e a Atlântida até os dias de hoje, no meio de humanos encarnados.

Fonte: http://www.eusouluz.iet.pro.br/entrantes.htm

Seres Entrantes (ou intrantes) 2

É bom citar que muitos entrantes vêm a nós com palavras e condutas de vida ilibada, baseadas em preceitos divinos de vida de forma incontestável. Então, de que forma pode servir ao mal? É simples. Quando se fornece o conhecimento a alguém que ainda não possui habilidade suficiente para lidar com ele, é bem mais fácil a este ser passar a servir ao lado negro.

Para se localizarem seres entrantes não nos parece ser muito difícil, visto que possuem grande poder de convencimento em suas palavras e estão infiltrados entre nós como lideres políticos, intelectuais, financeiros e religiosos; sendo algumas de suas palavras verdades da luz, como: respeito ao próximo, amor incondicional, etc.

Outras vezes, eles fornecem conhecimentos ocultos iniciáticos verdadeiros da energia cósmica (magia), esperando, de 100 iniciados, que 99 utilizem este conhecimento para conseguirem bens materiais ou simplesmente os levem a uma estagnação. E quando se derem conta, suas vidas físicas já tenham sido perdidas em caminhos que levaram a lugar nenhum.

Fonte: http://www.eusouluz.iet.pro.br/entrantes.htm