Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2015

Sobre os implantes astrais

Imagem
Implantes astrais são aparelhos e dispositivos instalados na pessoa, com finalidades escusas, administrados por consciências muito inteligentes e hábeis na arte de controlar e fazer sofrer. Implante é uma tecnologia avançada proveniente de outros planetas, dos quais os seus inventores foram expulsos, ou os destruíram com os seus experimentos. A humanidade está aqui há milhares de anos e fomos trazidos por seres poderosos eco-criadoresde mundos. Digoco-criadoresporque o nosso planeta foi elaborado e delineado para atender as nossas necessidades físicas, fisiológicas energéticas, além dos interesses daqueles que nos criaram.
As razões para a nossa existência são misteriosas, e quem diga ou busque dar uma resposta a este fenômeno, estará deliberadamente buscando enganar. É fato, no entanto, que servimos de “alimento” para as consciências astrais que nos controlam. De nós, eles sugam (roubam), ou recebem de bom grado, a energiamental,emocionalesexualque produzimos. Somos fonte de energia qu…

França, 2015: somos todos um

Imagem
Quanto aos atentados ocorridos na França em Janeiro deste ano, o mundo ficou chocado com a brutalidade cometida pelos terroristas islâmicos que, na ânsia de vingar o profeta Maomé, não pouparam tiros contra os alvos e alguns inocentes. O fato realmente foi trágico e chocou a opinião pública mundial.

Je ne suis pas Charles Hebdo!

Líderes políticos, religiosos e a sociedade organizada se mobilizaram contra tais crimes e em favor da liberdade de expressão. Há muito tempo, a humanidade vem brigando por garantias à sua liberdade de não só se locomover, mas também expressar o que pensa e sente. Mas..., tem um quê nisso tudo.

Em que pese a perversidade dos atos e o ataque à dita liberdade de expressão, e também a mobilização de milhões de pessoas em favor da vida, não posso deixar de registrar a covardia de quase todos envolvidos nestas mobilizações por não criticarem também as atitudes dos cartunistas mortos.

Foi uma barbárie, isso é fato. Mas eles (os cartunistas) já vinham provocando a religi…

Verdade seja dita

Imagem
Esta história antiga e repetida sobre a luta entre obeme omaljá não convence alguns indivíduos mais questionadores e estudiosos. Basta uma análise mais criteriosa, e com base em preceitos científico-quânticos, que perceberemos algo pouco consistente no conjunto das chamadas verdades universais. Não sou cético, e aviso logo, antes que alguém deturpe as minhas palavras e pense que estou querendo derrocar as bases das crenças religiosas. Aliás, pelas religiões tenho respeito. Mas não aceito muitos conteúdos e dogmas que elas professam. Voltando ao assunto “guerra entre o bem e o mal”, quero dizer quebem e mal, enquanto forças contrárias, ou energias dissonantes, não existem. O que vale, de fato, são as intenções de cada consciência. Ou seja, o que conta é a mola propulsora da sua caminhada na Grande Obra. E isso em nada tem a ver com crenças, fé ou rituais. Somos essência única e, do ponto de vista energético, os trabalhadores do bem não se diferenciam dos trabalhadores do mal. Quero di…

Nossas Múltiplas vidas

Imagem
A existência, ao contrário do que muitos espiritualistas divulgam, não é linear, começando de baixo para cima ou do zero ao infinito. A existência, ou melhor: as existências são múltiplas e simultâneas. Isso mesmo! Vivemos aqui e em outros espaços e dimensões ao mesmo tempo. 
A ciência já cansou de provar que o tempo éunoe não se divide empassado, presente e futuro. Tal divisão é meramente didática e objetiva dar certa noção de continuidade às nossas mentes viciadas em uma visão tridimensional da realidade: inicio (altura), meio (largura) e fim (profundidade).
Se aceitarmos esta concepção simultânea da realidade, defendida pela ciência quântica, poderemos ter um entendimento ampliado do que significa a existência humana neste planeta e nesta região do espaço sideral. Com isso, passaremos a relativizar, isto é, a aceitar a relativização desta mesma realidade na qual estamos inseridos.
Ao aplicarmos a relatividade observacional nas nossas análises, perceberemos algumas respostas às tantas …