quinta-feira, 31 de março de 2011

Características de um trabalhador da luz


1) Desde cedo em suas vidas, eles sentem que são diferentes. Quase sempre, sentem-se isolados dos outros, solitários e incompreendidos. Freqüentemente tornam-se individualistas e têm que encontrar seus próprios caminhos na vida

2) Têm dificuldade para se sentir à vontade em empregos tradicionais e/ou em estruturas burocratas. São naturalmente antiautoritários, o que significa que resistem naturalmente às decisões ou valores baseados somente em poder ou hierarquia.

3) Os Trabalhadores da Luz sentem-se atraídos para ajudar as pessoas, como terapeutas ou como professores. Podem ser psicólogos, curadores, professores, enfermeiros.

4) Honram e respeitam profundamente a vida, o que freqüentemente se manifesta como afeição pelos animais e preocupação com o meio ambiente. A destruição de partes do reino animal ou vegetal na Terra pela ação do homem evoca neles profundos sentimentos de perda e aflição.

5) São bondosos, sensíveis e empáticos. Podem sentir-se incomodados ao se defrontarem com um comportamento agressivo e geralmente têm dificuldade para se defender. Podem ser sonhadores, ingênuos ou profundamente idealistas, assim como insuficientemente "enraizados", isto é, não ter os pés na terra. Como eles têm facilidade para captar sentimentos e humores (negativos) das pessoas que os rodeiam, é importante que possam, regularmente, passar algum tempo a sós.

6) Eles viveram muitas vidas nas quais estiveram profundamente envolvidos com a espiritualidade e/ou religião. Estiveram presentes, em grande número, nas velhas ordens religiosas do seu passado, como monges, monjas, ermitães, psíquicos, bruxas, xamãs, sacerdotes, sacerdotisas, etc. Construíram uma ponte entre o visível e o invisível, entre o contexto diário da vida terrestre e os reinos misteriosos de pós-vida, de Deus e dos espíritos do bem e do mal.

7) Muitas vezes foram renegados e perseguidos ou sentenciados à fogueira devido aos dons que possuíam. Os traumas das perseguições deixaram profundas marcas na memória de suas almas. Isso pode manifestar-se atualmente como medo de estar completamente enraizado, isto é, medo de estar realmente presente, porque vocês se lembram de terem sido brutalmente atacados por serem quem eram.

8) Os Trabalhadores da Luz podem estar presos nos mesmos estados de ignorância e ilusão que qualquer outra pessoa, embora comecem de um ponto de partida diferente, a capacidade deles para romper o medo e a ilusão, com o propósito de alcançar a iluminação, pode ser bloqueada por muitos fatores.

Observações importantes:

Um dos fatores que bloqueiam o caminho da iluminação para os Trabalhadores da Luz é o fato de terem uma pesada carga cármica, que pode levá-los a se extraviarem por bastante tempo e está relacionada com decisões que eles tomaram com relação à humanidade em suas etapas iniciais. Foram decisões essencialmente desrespeitosas para com a vida . Todos os Trabalhadores da Luz que vivem agora desejam corrigir alguns de seus erros passados e recuperar e cuidar do que foi destruído por causa disso.

Quando os Trabalhadores da Luz completarem seu caminho através da carga cármica, isto é, quando liberarem todo tipo de necessidade de poder, compreenderão que são essencialmente seres de luz. Isso lhes permitirá ajudar outras pessoas a achar seu próprio ser verdadeiro. Mas primeiro eles mesmos têm que passar por esse processo, o que geralmente exige grande determinação e perseverança no nível interno. Devido aos valores e julgamentos neles incutidos pela sociedade, os quais freqüentemente vão contra seus próprios impulsos naturais, muitos Trabalhadores da Luz se perderam, terminando em estados de desconfiança de si mesmos, auto-negação e, inclusive, depressão e desesperança. Isto porque eles não conseguem se adaptar à ordem estabelecida e concluem que deve haver algo de terrivelmente errado com eles.

O que os Trabalhadores da Luz têm que fazer, neste ponto, é deixar de procurar validação externa, através de pais, amigos ou da sociedade. Em algum momento, você (que está lendo isto) terá que dar o salto para a verdadeira autorização, o que significa realmente acreditar em si mesmo e verdadeiramente honrar suas inclinações naturais e seu conhecimento interior, agindo de acordo com eles. Nós o convidamos a fazer isso e lhe asseguramos que estaremos com você em cada passo do caminho - exatamente como você, num futuro não distante, estará aí para ajudar outros em seu caminho.
Autora: De Lara Souzah

Autora: Lara Souzah
Disponível em: http://odiadaluz.webnode.com/trabalhadores-da-luz/

terça-feira, 29 de março de 2011

Alma amiga e boa


Alma amiga e boa, tua fé te guia, salva e perdoa. Tudo tem o seu propósito de ser, inclusive a tua missão neste orbe, conectado à dimensão do sofrimento. Não podes perder a crença no teu deus e naquele que em ti habita, que te guia pelas sendas do caminho, orientando-te à verdadeira liberdade.

Amiga alma, tua ações são únicas e transformadoras por onde quer que vás. Como sabes, não somos imunes às intempéries da vida; não estamos isentos dos compromissos, e nem impunes em nossos atos: tudo tem o seu preço. Cabe-nos escolher acertadamente.

É no momento da escolha que determinamos o caminho a seguir, pois ao escolhermos, manifestamos processos genéticos alojados na programação da nossa alma, que nos direcionam às conquistas exitosas, personificadas no amor, na paz, na liberdade e na integração com o nosso criador; ou à aquisição de compromissos sofríveis, difíceis de ser removidos em pouco tempo.

Tenha fé, alma boa, não te entregues aos perigos da estrada, e nem deixe de confiar no que está além do horizonte. Siga com decisão forte e consciente de que, ao chegar, terás o merecido descanso e a necessária recompensa.

Lembre-se que o rio despeja as suas águas no mar por ter chegado ao seu destino final. Quando o Sol aparece para iluminar as regiões do globo, seus efeitos sobre a vida ficam evidentes pelo vicejar de novas sementes no solo, através das reações químicas, a fornecerem vitaminas e energia para os organismos.

A chuva cai sobre o solo ressecado, fornecendo-lhe hidrogênio e oxigênio para reagirem com seus elementos físico-químicos. As plantas florescem, servindo de sombra e alimento para os demais seres. Quando a lua brilha, enchendo a noite de beleza e harmonia, as estrelas agradecem pela oportunidade de nunca ficarem sozinhas na abóboda celeste.

O mar nos enche de esperança e fantasia, com os movimento de suas ondas, e a existência parece se renovar mais e mais pela força dos ventos, penetrando em nossos pulmões.

Em sua tarefa, as forças da natureza estão em alinhamento com a grande inteligência divina, que as programou para favorecer, milimetricamente, a manifestação da vida. Antes de desistir, pense na sua importância para a criação e não ceda aos obstáculos. Vença-os! Cumpra a sua missão.

Assim como o rio, o sol, a chuva, a lua e o mar, devemos seguir o nosso caminho, rumo ao destino principal, apesar das dificuldades, ou mesmo, subordinados a elas.

Somos viajantes neste universo infinito de experiências, e somos testemunhas dos luares belos não só deste planeta, mas de tantos outros pelos quais passamos; e dos quais, nem sempre soubemos cuidar. A grande mente divina assim nos fez para que pudéssemos aprender a sorrir depois de superar as lágrimas e as dores contidas em nós, ou continuadas nos outros.

Deus, na sua infinita sabedoria, nos quer felizes porque somos suas células, pululando neste imenso organismo vivo, cheio de vida, fortalecendo a própria vida. Deus nos quer bem! Entretanto, nossa matriz nos leva a rumos quase sempre tortuosos e complexos de serem trilhados. Pensando fazer o melhor para si, muitos assinam contratos em branco com situações, lugares e outros seres, querendo obter a realização dos seus prazeres imediatos.

Sem perceber, o indivíduo se insere num ciclo vicioso de temor e de terrorismo contra si e contra a obra da criação. Mas Deus está atento e sabe o quanto e quando deve interferir. Ele nos permite decidir e, como um pai, nos monitora a fim de detectar até onde podemos chegar.

Quando as sombras te atingirem impiedosamente, chamando-te para com elas ir, pense na beleza do mar sob o Sol, com suas ondas que vêm e voltam, e sempre voltam. Se a noite parecer mais longa do que devia ser em teus sonhos, instrua-te com as estrelas a emitirem suas luzes há milhares de anos, mesmo quando não existem mais.

Ao passares por vales escuros e frios, sentindo medo do que está por vir, confia naquele que te criou e inspirou a vida das tuas células, para que pudesses sentir a manifestação da essência por toda a criação. Não desanimes, estou contigo! Tua vida não é de mais ninguém além de ti. Cuida dela!

A caminhada é longa e, por isso, não se deve parar. Mas tenho uma notícia boa para ti. Deus está contigo, e sempre esteve. Os portais estão abertos, esperando a tua chegada para que, do altar das vitórias, possas dizer: _eu venci porque caminhei sem cessar; fui mordido por cães selvagens, atacado por feras e quase dizimado; mas não desisti da jornada difícil a mim indicada.

O deserto assusta, mas, mesmo nele, existem oásis verdejantes e propícios ao teu descanso e alimentação. A obra da criação não transcorre à revelia do seu mentor, tudo está onde devia estar: a sabedoria está à tua frente, ao teu lado e dentro de ti.

A criação significa a manifestação da sabedoria que habita em todos os entes do universo. Nada é criado sem o poder sábio do seu idealizador. Somos todos uns nos outros, perpassando e se interpassando pela difusão da grande energia divina.

Que a grande presença do Eu Sou irradie luz, amor e muita energia a todos os seres do Universo. Mesmo para as criaturas que não desejam obter a força diretamente da fonte original e preferem roubá-la dos humanos.

Que a Grande Mente Cósmica ative em nossas células o propósito divino das realizações em toda a vida e possibilite a todos entenderem os sagrados mecanismos da dinâmica divina das nossas verdadeiras conexões e centelhas.

Ninguém precisa acordar, pois a grande maioria não está preparada e nem disposta a recobrar os sentidos (infra)dimensionais. Entretanto, é importante dizer que muitos estão imersos num oceano de ilusões, recheado de perigos suficientes para mantê-los escravizados mental e espiritualmente por milhões de anos terrestres.

Boa parte dos humanos vive como se nada estivesse a acontecer consigo, ou ao seu redor. Mas, do lado de lá, temos conhecimento do turbilhão de conflitos, dúvidas e questionamentos insuflados em toda a manifestação da 3D, com o objetivo de minar as verdadeiras crenças e as realidades.

Que o pai, que está em todo o universo, nos permita adentrar neste reino de sabedoria e de amor transcendental, prevalente em toda a manifestação celestial. Que nessa jornada, o mal não nos domine eternamente, para que possamos chegar fortalecidos e galgar degraus de liberdade e paz interior.

Que a Grande Força do Criador do Universo acenda em todos a vontade de questionar e de se incomodar com o sofrimento, com a tristeza, com a fraqueza, com as ilusões, com os medos, com as culpas, com os flagelos para que, desses aprisionamentos, eles se libertem para todo o sempre.

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 27 de março de 2011

Paulo Coelho(IV)


Sobre a encruzilhada
Do paganismo romano aos cultos afro-brasileiros, da mitologia grega as tradições indígenas americanas, a encruzilhada sempre foi considerada um lugar sagrado. É ali que alguns deuses habitam, e observam o viajante tomar uma decisão.

Ali se concentram as duas grandes energias – o caminho que será escolhido, e o caminho que será abandonado. Ambos estão juntos numa encruzilhada. Ambos se transformam em um caminho só – mas por um curto período de tempo apenas. O caminhante pode descansar, dormir um pouco, até mesmo consultar os deuses que habitam as encruzilhadas.

Mas ninguém pode ficar ali para sempre: uma vez tomada a decisão, é preciso seguir adiante, confiar no próprio coração. E esquecer o caminho que não escolhemos.

Autor: Paulo Coelho

sábado, 26 de março de 2011

Irradie luz


Que a grande presença do Eu Sou irradie luz, amor e muita energia a todos os seres do Universo. Mesmo para as criaturas que não desejam obter a força diretamente da fonte original e preferem roubá-la dos humanos.

Que a Grande Mente Cósmica ative em nossas células o propósito divino das realizações em toda a vida e possibilite a todos entenderem os sagrados mecanismos dinâmicos da essência, em forma de existência, na execução das nossas verdadeiras conexões e centelhas.

Que a humanidade entenda o quanto é valiosa para os dois lados, em constante conflito, e como ela é subjugada por seres com propósitos escusos de escravizar, sugar energias, deprimir a mente, iludir as emoções e tantos outros processos ardilosos.

Ninguém precisa acordar, pois a grande maioria não está preparada e nem disposta a recobrar os sentidos (infra)dimensionais. Entretanto, é importante dizer que estão imersos num oceano de ilusões, recheado de perigos suficientes para nos manter escravizados mental e espiritualmente por milhões de anos terrestres. Infelizmente, estamos sob a influência deles, infelizmente.

Os humanos vivem como se nada estivesse a acontecer consigo, ou ao seu redor. Mas, do lado de cá, temos conhecimento do turbilhão de conflitos, dúvidas e questionamentos insuflados em toda a manifestação na 3D com o objetivo de minar as verdadeiras crenças e as realidades.

A sensação de muitos é a de incompletude, de vazio ou de impotência perante os mistérios da existência em todos os níveis. O que ilude são os prazeres terrenos, a família, os (supostos) amigos, o trabalho, o futebol, etc. Assim, passamos pela 3D sem muita dificuldade, porém, incompletos.

Que a Grande Força do Criador do Universo acenda em todos a vontade de questionar e de se incomodar com o sofrimento, com a tristeza, com a fraqueza, com as ilusões, com os medos, com as culpas, com os flagelos para que, desses aprisionamentos, os seres humanos se libertem por todo o eterno agora.

Autor: Gesiel Albuquerque

quinta-feira, 24 de março de 2011

Escolha


Sempre ouvi dizer que há muitas portas em nossa vida. Tais aberturas estão à nossa disposição nas diversas situações(complexas e simples) em cada desafio pessoal. Cabe-nos escolher a mais segura para adentrarmos os seus umbrais. Nenhuma escolha é fácil. Talvez, por isso, quase sempre, escolhemos erradadamente.

Se você não sabe por qual porta atravessar, sugiro ficar diante de uma delas e fazer as seguintes reflexões: aonde esta porta vai me levar? O que vou querer depois de atravessar os umbrais? Quem, ou o que, me espera lá dentro?

Acredito que uma boa reflexão antes de qualquer escolha nos dá uma certa vantagem para selecionarmos bem o melhor para nós. Uma coisa importante na hora de escolher é ter força para decidir sem titubear e assumir riscos.

Se estiver errado, você saberá dar meia volta e volver. É possível que o caminho de retorno seja mais longo e áspero. Mas é melhor voltar do que continuar com a decisão errada.

Autor: Gesiel Albuquerque

terça-feira, 22 de março de 2011

Maçonaria: ser maçom


É inegável constatar a grande curiosidade das pessoas por assuntos pouco divulgados e até guardados a sete chaves. Em nossa civilização, dentre os alvos de tamanha curiosidade está a maçonaria. Muita gente tem vontade de saber o que os maçons fazem em loja, o que conversam e como se identificam.

A razão de tanto mistério em torno da ordem maçônica remonta a antiguidade quando a Igreja Católica, por razões exclusivamente dela, decidiu condenar a nossa organização e associá-la à crença de que mantínhamos pactos com forças demoníacas. Em virtude dessa acusação injusta, muitos maçons foram caçados e mortos, até por pessoas comuns, que juravam estar fazendo o trabalho de Deus contra o demônio.


Por causa dessa falsa crença, muitos pais de família foram agredidos e até queimados. Morriam, inclusive, os não maçons que pareciam ser. Devido àquele quadro tenebroso, o que era discreto passou a ser secreto. Isto é, ninguém se declarava maçom para não ser morto. Graças ao Grande Arquiteto do Universo, aquela situação mudou e hoje podemos falar livremente sobre a nossa condição.

Tristezas à parte, a maçonaria tem sobrevivido às transformações da sociedade e a ela se adaptado, mantendo intactos os seus mistérios e simbologias ao longo de milhares de anos. Muita gente, no entanto, fica curiosa em saber quais segredos são estes. Bem, a resposta é a seguinte: não é da conta de ninguém que não seja maçom. Por acaso interessa aos de fora o que você faz ou deixa de fazer no interior do seu lar? Certamente não. Você conta se quiser, mas não interessa a ninguém que não seja da sua família. Com a nossa instituição não é diferente.

O que acontece entre os maçons e dentro dos templos só interessa a eles. Um profano não entenderia, ou mesmo não saberia corresponder às práticas maçônicas justamente por não ser um iniciado naqueles mistérios. Imagine, por exemplo, se você estivesse nos Estados Unidos sem saber uma palavra sequer em Inglês. Iria sentir-se um peixe fora dágua. Para fazer parte daquele mundo teria de ser iniciado nos seus conhecimentos linguísiticos. Concorda? Com a maçonaria também é assim.

De fato, a maçonaria não é uma instituição secreta, e sim, discreta, mas tem os seus segredos. Toda loja maçônica tem personalidade jurídica e estampa amplamente o seu nome, data de fundação e a qual potência pertence. Os maçons são pessoas conhecidas em suas cidades e, muitas vezes, ocupantes de cargos políticos. Portanto, não há nada de secreto em nossa instituição; isto não siginifca, entretanto, que ela seja aberta a todos. Então, a quem interessam os nossos sinais, toques e palavras? Resposta: a nós, e mais ninguém.

Para fazer parte da maçonaria não basta apenas querer. É preciso um membro da ordem observar, por algum tempo, e perceber se o comportamento do candidato condiz com a postura de um maçom, para só depois formalizar-lhe um convite: é uma dos aspectos necessários, você pode pertencer a qualquer religião ou seita, a única exigência é acreditar em Deus, respeitar a pátria e a família. Após o convite, você será submetido a uma sindicância da vida pregressa e, se aprovado, seu ingresso estará subordinado à aprovação dos demais.

Muito se tem tentado fazer contra os mistérios maçônicos, com vistas a divulgar os simbolos e alegorias da nossa instituição. Sinceramente, eu até acho graça de tanta bobagem veiculada na internet, ou em revistas, sobre possíveis revelações dos nossos augustos mistérios. Se fossem fáceis de serem descobertos, você não acha que isso já teria acontecido há muito tempo? Coloque a inteligência para funcionar e perceberá alguma lógica em minha observação.

Ao entrarmos para ordem, juramos segredo sobre tudo o quanto ouvirmos ou falarmos; sobre as nossas formas de identificação e sobre como proceder em loja. Um maçom jamais revelará o que lhe foi confiado, pois se o fizesse, seria considerado um perjúrio, um traidor. Um homem que não cumpre os seus juramentos voluntários não é digno de ser chamado de homem.

Com tanta curiosidade sobre "a vida secreta dos maçons", as pessoas se esquecem do enorme bem que a maçonaria, em silêncio, faz para a sociedade, com seus hospitais, suas obras assistenciais e ajuda aos mais necessitados. Não precisamos de estardalhaço para contribuir para um mundo melhor, e nem buscamos holofotes para os nossos feitos individuais. A ordem trabalha em segredo em prol de uma humanidade mais justa e perfeita.

Ser maçom é desbastar a pedra bruta da nossa ignorância, levantar templos à virtude e construir masmorras aos vícios. Ser maçom é ainda, expandir a razão através desta sagrada e milenar filosofia para expurgar do mundo assombrado a injustiça, os preconceitos e toda forma de dominação. Ser maçom é ser reconhecido como tal no caminho em que se possa ver a estrela flamejante e conhecer os mistérios da linda flor da acácia. A todos os maçons espalhados pela superfície da Terra o meu abraço fraternal.

Quanto aos curiosos, sugiro diversas páginas na internet, cheias de conteúdo sobre a ordem maçônica. Há também os sites das próprias lojas e potências, através dos quais a pessoa pode coletar informações fidedignas sobre o que é e o que faz a maçonaria em nosso país e no mundo.


Autor: Gesiel Albuquerque

segunda-feira, 21 de março de 2011

Músico diz que foi abduzido por alienígenas


LOS ANGELES (Reuters Life!) - Sem dúvida Sammy Hagar, o ex-vocalista da banda Van Halen, já viveu muitas experiências incomuns em sua vida, mas nesta segunda-feira o roqueiro contou a sua história mais extraordinária à MTV. Ele disse que foi abduzido por alienígenas.

Ou, pelo menos, seu cérebro foi. Em uma entrevista para seu novo livro, 'Red: My Uncensored Life in Rock', Hagar expôs o que até ele admitiu poderá fazê-lo 'parecer um maluco' para alguns leitores.

Ele e o jornalista estavam falando sobre os sonhos que o roqueiro supostamente teve sobre Ovnis, e ao ser questionado se ele acreditava que havia sido abduzido, Hagar respondeu: 'Acho que eu fui'.

O jornalistas parecia surpreso. 'O quê? É mesmo? Eu estava brincando. Você realmente acredita nisso?', pergunta.

Hagar riu e explicou que um trecho do livro descreve um sonho no qual ele foi contatado na Califórnia por alienígenas do espaço e que isso foi, de fato, real.

No relato, o roqueiro conta que foi chamado pela sua mente através de uma conexão sem fio.

'Foi real', disse Hagar ao jornalista, segundo o site da MTV's Hive. 'Eles estavam 'plugados' comigo. Era uma situação de 'download'... Ou, eles carregaram dados do meu cérebro, como em um experimento'.

Hagar então descreve outra experiência aos quatro anos de idade, na qual ele acredita ter visto uma nave espacial alienígena em plena luz do dia, pairando sobre um campo em uma área rural onde sua família vivia.

O cantor e guitarrista não é um estranho aos tempos selvagens. Ele participou de diversas bandas, como o Montrose, durante a era 'sexo, drogas e rock 'n' roll' dos anos 1970 e 1980, e em seu auge, o Van Halen foi uma das bandas de maior sucesso no rock.

Em seu livro e na entrevista à Hive, da MTV, Hagar conta as histórias de sexo e drogas durante esses anos, e ainda conta algumas coisas não muito legais sobre o outro vocalista do Van Halen, David Lee Roth, que Hagar substituiu em 1985.

Fonte: http://entretenimento.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=28074471

Acontecimentos no planeta


Preocupa-me o fato de a humanidade estar tão vulnerável à ação dos Ets e magos negros. Entretanto, sei que isso se dá devido às inúmeras conexões, contratos e pactos estabelecidos entre muitos humanos e os seres das organizações dominadoras. Preocupa-me, também, o andamento dos acontecimentos no planeta. Afinal, onde vamos parar? Por que as entidades-guia deste universo ainda não intercederam? Penso que, aos poucos, estamos cedendo a nossa moradia aos incômodos vizinhos das infradimensões.

Desde a mais remota antiguidade, estes seres têm vivido em nosso planeta juntamente com outras raças semelhantes. Entre elas estão os seres-águia (tão divulgados pelos egípicios), os astronautas e os répteis. Em algum momento, eles resolveram não mais aparecer para nós e se "enclausuraram" nas quarta, quinta e sexta dimensões terráqueas respectivamente. Não tenho vocação para ser profeta do caos, mas estou sinceramente preocupado com os rumos da nossa civilização.

Quando os véus encobridores das consciências cairem, as pessoas verão quem são verdadeiramente e a quem se ligam nas diversas dimensões conectadas ao nosso mundo. Muitos humanos têm plena noção das suas especialidades e tarefas a serem desenvolvidas na Terra. Eles estão esperando o momento certo para agirem mais intensamente na concretização dos propósitos do tenebroso chefe, a quem chamam de "lord ou egrégora". Os propósitos desta egrégora são: massificar a ilusão dos sentidos, dominar as vontades e desejos humanos, roubar energias vitais, impedir a libertação das consciências, realizar experimentos biológicos, ampliar a violência ao extremo, reforçar doenças crônicas (aids, câncer, diabetes e outras) e escravizar os homens. Muitos destes intentos já estão em andamento faz tempo.

Outra forma de servir aos chefes do mundo astral é manter a violência em todos os níveis. Mesmo aquele cidadão aparentemente tímido e pacato contribui, de alguma maneira, para a instituição deste estado destrutivo. Você deve estar se perguntando, como isso pode ocorrer? Por exemplo: quando você destroi o meio ambiente ou castiga o corpo físico, usando drogas e afins; quando mata animais desnecessariamente ou estimula atitudes más, quando oprime o seu semelhante pela palavra, pela dor ou pela humilhação (ainda que seja dentro de casa), está, em algum nível, contribuindo para que a violência continue a existir. Não faço, no entanto, juízo de valor sobre o quanto esta situação está certa ou errada, se contém pecado ou não. Somos assim, inexoravelmente, desde que viemos de outros mundos.

A humanidade é composta por vários seres oriundos de outras galáxias. Por causa disso, existem nela uma gama variada de entidades dos mais diversos matizes psicológicos e emocionais; e propósitos diferenciados em relação à manutenção da vida e, consequentemente, do planeta Terra. Muitos estão aqui forçadamente cumprindo um tipo de castigo pessoal por terem incomodado aos seus superiores. Na maioria das vezes, não têm qualquer consideração e respeito pelos outros humanóides e não pretendem viver em harmonia. Daí tanta situação triste e as muitas tragédias sofridas pelos povos ou infringidas por estes ao restante dos outros habitantes. Lembre-se, por exemplo, da situação do continente africano (Burúndi, Etiópia, Serra-Leoa, Somália, Zimbabué e outros países). As razões do sofrimento daquela gente estão ligadas às suas vivências em galáxias remotas, nas quais se envolveram em guerras, magias e torturas. Ora foram vilões, ora, vítimas. Mas isso não tem nada a ver com karma, que é uma grande bobagem.

Convém dizer que alguns planetas do nosso sistema solar já foram habitados por nossa raça que, por ignorância ou atendendo às ordens dos seus líderes, destruiu aqueles astros os quais lhes serviram de moradia por longos e longos anos. Isto aconteceu através de manipulações químico-orgânicas e fisico-químicas das partículas da matéria, o que levou à destruição do solo, das águas, do ar e dos micro-organismos. Muitos dos seres advindos daqueles planetas juraram não mais realizar pesquisas e manipulações em nenhum nível que colocasse em perigo os demais seres. Entretanto, falharam e continuaram a produzir experimentos altamente perigosos à nossa composição genética, os quais, em breve, serão descobertos. Talvez quando isso acontecer, será tarde demais.

É possível que o problema da raça humanóide seja a diversidade de espécies alienígenas ocupando corpos de carne e osso e vivendo, completamente, os desígnios de seus senhores. Entre estes, há os que possuem boas intenções e amam os seres da Terra. No entanto, infelizmente, a maioria destes "senhores" está imbuída de um único intento: escravizar mental, emocional e energeticamente a criaturas do reino hominal.

Como se pode observar, a egrégora tem controlado as mentes e emoções humanas ao longo de milhares de anos e de forma muito sutil, aproveitando-se das nossas fragilidades emocionais e mentais; e obtendo êxito significativo, cada vez mais, enraizando crenças e hipnoses nas células da nossa memória estelar. Tais gravações permanecem eternamente instaladas nos resíduos intracelulares e nos centros de comando de cada indivíduo, influenciando as atitudes, desejos e as manipulações produzidas por pessoas consideradas, inlcusive, as mais insuspeitas.

Infelizmente, apresento-lhes uma constatação lamentável, porém verídica. Os humanos são controlados mental e emocionalmente porque possuem com os seus "controladores" uma total identidade quântica, o que facilita para estes a realização dos seus intentos neste orbe. Honestamente, penso ser muito difícil haver uma libertação total deste controle porque, de uma certa maneira, dependemos dele para existir enquanto entidades singulares. Os tais controladores entendem que a energia deve estar sempre em movimento, provocando atrito; e o que conhecemos como violência não é nada significativo para eles, comparada aos percalços de cada ser e à sua necessidade de sobrevivência nos sistemas planetários a que pertencem: cada um tem a sua particularidade.

Os indivíduos que não desejam continuar nesta escravidão (e enganação), precisam agir para modificar este quadro. Todos os habitantes deste planeta (não pactuados) e suas representações astrais devem se unir contra a ação dos terríveis magos negros e Ets, principalmente os zetas e os insetos. Ou então, nossa permanência nesta superfície chegará ao fim mais rapidamente do que o esperado. Devo reconhecer, porém, que tal união é muito díficil por causa da noção errônea de muitas pessoas sobre estes fatos. Ou seja, muitos têm a opinião que tais assuntos não passam de conto da carochinha. Enquanto isso, nossa situação mundial se agrava mais e mais (fome, miséria, mortes crueis, controle, desastres ambientais, sofrimentos diversos, doenças incuráveis). Certa vez, um mentor me disse o seguinte: _"Tudo está onde devia estar". Em sendo assim, digo, quem sou eu para questionar as trilhas do destino?

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 20 de março de 2011

Os Ets Zetas


Os Ets zetas estão mais próximos de nós do que podemos imaginar. Na verdade, eles estão entre nós e, literalmente, dentro de muitos humanos. Vamos aos fatos. Os zetas desenvolveram um tipo de tecnologia que lhes permite viver no chamado “mundo dos espíritos”, com total influência sobre a terceira dimensão. De lá, eles conseguem influenciar, sem qualquer escrúpulo, boa parte das mentes incautas dos humanos.

Estes Ets também conseguem manipular os seres desencarnados errantes ou seqüestrar cascões astrais perambulantes no mundo astral, para os implantarem nas pessoas durante o sono. Muitos zetas não podem ou não se interessam em possuir um corpo físico. Para eles é muito mais vantajoso estar na quarta dimensão com totais poderes sobre a terceira. O contrário não seria possível, devido a uma barreira vibracional conhecida como corpo físico.

O propósito principal destes baixinhos terríveis é realizar experiências genéticas com o nosso DNA espiritual, e não com o DNA físico, ao contrário do que muitos pensam. Isso não significa que eles não possam, ou não queiram, realizar tais experiências físicas; isto só não lhes interessa muito. Os zetas são perversos e não possuem senso ético, além de não gostarem dos humanos. Para eles, somos uma raça inferior, propícia à escravidão.

Uma artimanha muito comum destes extraterrestres é criar elementais parecidos com espíritos de luz, a fim de ludibriar as pessoas, fazendo-as pensar que são protegidas ou que possuem guias espirituais poderosos. Dessa forma, eles conseguem infiltrar falsas crenças com o objetivo de enfraquecer as defesas psíquicas dos humanos e torná-los mansos e sem reação.

Crenças de amor ao próximo, amor universal, caridade, altruísmo, penitência, dentre outras, são muito utilizadas por estes seres com vistas a debilitar o trabalho de grupos ou até de civilizações. Dessa forma, em favor de um suposto “ideal superior”, muitas pessoas insistem, ou desistem, de projetos importantes que visam à melhoria das condições de sobrevivência da civilização. Para tanto, a mídia é um potencial aliado deste aliens na ratificação dos padrões e valores sociais, culturais e religiosos tidos como corretos para todos.

Contam ainda com muitos Ets entrantes inseridos em corpos astrais de muita gente. Assim, eles podem saber, com riqueza de detalhes, tudo o que se passa na sociedade e suas possíveis implicações para os projetos de controle das massas. Há milhares destes entrantes em todos os setores das nossas organizações: na política, na mídia, no serviço público, no militarismo, nas religiões, etc.

Autor: Gesiel Albuquerque

sexta-feira, 18 de março de 2011

Paulo Coelho (III)


Um demônio não precisa de tempo para causar estragos – assim como as tempestades, os furacões e as avalanches, que conseguem destruir, em algumas horas, árvores que foram plantadas há duzentos anos.

Demônios chegam e partem sempre, sem que necessariamente algo seja afetado pela presença deles.

Estão constantemente caminhando pelo mundo, às vezes apenas para saber o que está acontecendo, outras vezes para testar esta ou aquela alma, mas são inconstantes e mudam de alvo sem qualquer lógica, guiados apenas pelo prazer de uma batalha que valha a pena

Autor: Paulo Coelho

Aspecto invisível das coisas


Nossos próprios corpos não são mais que universos em miniatura. As partículas de que se compõe nossa vida estão enfeixadas num sistema de órbitas incrivelmente complexo que nadam num campo magnético. Ocultistas falam do plano astral, do plano emocional, do plano mental, do plano etérico.

Tudo isso nada mais é que campos de energia vibrando em velocidades diversas, todos se interpenetrando e se concentrando em focos infinitesimais que, para os nossos sentidos grosseiros, aparecem como a carne “sólida” de que somos compostos. O assim chamado materialismo científico nunca existiu.

Não há diferença entre a matéria e a energia, e aquilo a que chamamos “morte” é apenas uma das modificações do infinito oceano da vida.

Nesse aspecto invisível das coisas (invisível para os nossos sentidos), por enquanto difícil de pesquisar ate´para os nossos mais precisos instrumentos científicos, ocorrem continuamente fenômenos de que não nos tornamos imediatamente
conscientes, mas que no entanto podem produzir ecos naquilo que convencionamos
chamar de “matéria”.

Há seres compostos de energia mais sutil que aquelas que impressiona as nossas mentes através dos sentidos físicos: seres que deslizam numa gama vibratória tal como peixes nadam no oceano.


Fonte: livro Ataque e Defesa Astral, p. 9

Autor: Marcelo Ramos Motta

quinta-feira, 17 de março de 2011

Formas de ataques dos tenebrosos


Os tenebrosos têm uma infinidade de recursos para atacar de diversas maneiras ao homem:

Os ataques durante o sono geralmente são através dos sonhos intelectuais, emocionais, sexuais, instintivos e motores.

Durante o estado de vigília, através de abordagens, fascinações, dependências etc.

Os ataques de magia negra se referem às diversas formas de despachos, bonecos com agulhas, macumbas etc.

As obsessões psíquicas: tratam-se de entidades perversas que assumem o comando da máquina humana. Verdadeiras legiões de egos que sugam as energias vitais do possuído.

Outra forma muito conhecida de ataque dos tenebrosos é através de inimizades, calúnias, intrigas e difamações, que se infundem na mente dos outros, para que estes nos ataquem.

Fonte: http://www.gnosisonline.org/defesa-psiquica/formas-de-ataque-dos-tenebrosos/

quarta-feira, 16 de março de 2011

Extraterrestres


Quem não quiser acreditar em extraterrestres, não acredite. Eu, tranquilamente, sei que eles existem.

terça-feira, 15 de março de 2011

Obsessões espirituais (II)

As obsessões complexas consideram uma gama mais ampla de fenômenos, entre os quais aqueles em que se detecta a presença de artefatos e instrumentos da tecnologia astral, como implantes de aparelhos, larvas e outras criações do pensamento desorganizado.

Também agrupamos sob essa nomenclatura as chamadas arquepadias, as síndromes espirituais e o uso de duplicatas ou clones de corpos astrais de meus irmãos, com as gradações naturais de cada um desses processos.

Na abordagem dos fenômenos obsessivos de alta complexidade, não se deve esquecer de que meus irmãos estarão lidando com seres extrafísicos possuidores de uma estrutura técnica e de bagagem científica, além daqueles que, desde uma época remota, lidam com forças ocultas da natureza, nos chamados procedimentos da magia negra ou goécia.

Autor: Robson Pinheiro

domingo, 13 de março de 2011

?

Foto: Agência Reuters

?

Foto tirada em 11 de março mostra chegada de onda gigante à cidade de Miyako, no Japão.

sexta-feira, 11 de março de 2011

O planeta Terra


Precisamos cuidar mais do nosso planeta. Os sinais são claros quanto ao retorno que a Natureza nos dá para a destruição desmedida das terras, do ar, da água, da fauna e da flora. É preciso sentir, lembrar, perceber e alertar que esta casa é de todos nós, e como tal, responsabilidade de cada um. Ou cuidamos desse planeta ou ele não resistirá a tantas agressões!

Pare e pense um pouco. Você gosta de viver numa casa feia, suja ou caindo aos pedaços? A maioria das pessoas dirá que não, pois todos queremos conforto, segurança e qualidade de vida. Daí surge a necessidade de lembrar que a Terra é a nossa residência coletiva e, por isso, devemos fazer o possível para mantê-la limpa, saudável e habitável.

Assim como temos o direito de usufruir de todo esse patrimônio orgânico-natural deixado pelos nossos ancestrais, as gerações futuras merecem também que deixemos para elas um planeta cheio de vida e beleza. Infelizmente, pelo que tem acontecido, não será essa a herança que irão receber. 

Autor: Gesiel Albuquerque

Paulo Coelho (II)


(I)

Diz o mestre:

A palavra é poder. As palavras transformam o mundo e o homem. Todos nós já escutamos dizer: “não se deve falar das coisas boas que nos acontecem, pois a inveja alheia destruirá nossa alegria”.

Nada disso. Os vencedores falam com orgulho dos milagres de suas vidas. Se você coloca energia positiva no ar, ela atrai mais energia positiva – e alegra aqueles que realmente lhe querem bem.

Quanto aos invejosos, aos derrotados – estes só poderão lhe causar algum dano se você lhes der este poder. Não tema. Fale das coisas boas da sua vida para todos que quiserem ouvir. A alma do mundo precisa muito de sua alegria

(II)

Feche os olhos. Não precisa sequer fechar os olhos. Basta imaginar a seguinte cena: um bando de pássaros voando. OK, agora me diga quantos pássaros você viu. Cinco? Onze? Dezessete?

Seja qual for a resposta – e dificilmente alguém sabe dizer com exatidão o número exato – alguma coisa fica bem clara nesta pequena experiência. Você pode imaginar um bando de pássaros, mas o número de aves fugiu ao seu controle. Entretanto, a cena era clara, definida, exata e, em algum, lugar, existe a resposta para esta pergunta.

Quem definiu quantos pássaros deviam aparecer na cena? Você não foi.

Autor: Paulo Coelho

quarta-feira, 9 de março de 2011

Orar e vigiar


Existem organizações gigantescas no mundo astral, formadas por cidades, bairros, ruas, casas e até palácios. A fontes de energia destes lugares são, primordialmente, as forças vitais roubadas das entidades escravizadas mental e emocionalmente, através de programações hipnóticas e de aparelhos instalados em seus corpos.

Nestes regiões, há enormes blocos de cristais, cuja função é armazenar e distribuir toda a energia bioelétrico-magnética para os locais e indivíduos conectados.

A forma como as entidades nos atacam merece ser melhor avaliada e discutida nos meios espiritualistas. Na prática, elas estão com a “faca e o queijo nas mãos”, talvez, nem precisem cortá-lo. E o prejuízo fica para os humanos indefesos, que pensam ter total proteção.

Infelizmente,estamos em desvantagem! Das dimensões e infradimensões paralelas, os magos negros e Ets (principalmente os zetas) podem ter total acesso à energia de qualquer encarnado ou desencarnado pertencente à psicosfera da Terra.

A grande facilidade destes seres de nos roubarem as forças se dá, além de outros fatores, pela sincronização vibracional entre o coeficiente de ajuste temporal e quântico da nossa dimensão astral e estes lugares malignos.

Eles conseguem estudar, com riqueza de detalhes, todas as fraquezas e qualidades das suas vítimas para elaborar um plano milimétrico de controle e roubo de energia. Muitas vezes, esperam algumas vidas para decidirem atacar veementemente as suas presas.

Os referidos seres possuem aparência, na maioria das vezes, considerada normal, para os padrões humanos, mesmo quando alguns assemelham-se a dragões ou insetos. Para o vidente ingênuo, estas criaturas se pareceriam com elementais ou “seres de luz”.

A melhor estratégia para não cairmos facilmente nos seus embustes é cumprir aquela máxima composta por apenas duas palavras: orar e vigiar!

Autor: Gesiel Albuquerque
Foto copiada de: http://www.flickr.com/photos/blackflames/3426805837/

quinta-feira, 3 de março de 2011

A divina proporção (sequência de fibonacci)


A proporção áurea, número de ouro, número áureo ou proporção de ouro é uma constante real algébrica irracional denotada pela letra grega φ (em homenagem ao escultor Fídias, que a teria utilizado para conceber o Parthenon) e com o valor arredondado a três casas decimais de 1,618.

Como é um número extraído da sequência de Fibonacci, o número áureo representa diretamente uma constante de crescimento, sendo aproximado pela divisão do enésimo termo da Série de Fibonacci 1,1,2,3,5,8,13,21,34,55,89..., na qual cada número é a soma dos dois números imediatamente anteriores na própria série, pelo termo anterior.

Essa divisão converge para o número áureo conforme tomamos cada vez maior. Podemos ver um exemplo dessa convergência a seguir, em que a série de Fibonacci está escrita até seu sétimo termo 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13.

Também é chamada de seção áurea (do latim sectio aurea), razão áurea, razão de ouro, divina proporção, divina seção (do latim sectio divina), proporção em extrema razão, divisão de extrema razão ou áurea excelência. O número de ouro é ainda frequentemente chamado razão de Phidias.

Desde a Antiguidade, a proporção áurea é empregada na arte. É frequente a sua utilização em pinturas renascentistas, como as do mestre Giotto. Este número está envolvido com a natureza do crescimento. Phi (não confundir com o número Pi π), como é chamado o número de ouro, pode ser encontrado na proporção das conchas (o nautilus, por exemplo), dos seres humanos (o tamanho das falanges, ossos dos dedos, por exemplo) e nas colméias, entre inúmeros outros exemplos que envolvem a ordem do crescimento.

Você encontrará, sempre, o número 1,618 ao medir, por exemplo:

• A altura do corpo humano pela medida do umbigo até o chão.
• A altura do crânio pela medida da mandíbula até o alto da cabeça.
• A medida da cintura até a cabeça pelo tamanho do tórax.
• A medida do ombro à ponta do dedo pela medida do cotovelo à ponta do dedo.
• O tamanho dos dedos pela medida da dobra central até a ponta.
• A medida da dobra central até a ponta dividido pela segunda dobra até a ponta.

Essas proporções anatômicas foram bem representadas pelo "Homem Vitruviano", obra de Leonardo Da Vinci.

Pesquisado em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Propor%C3%A7%C3%A3o_%C3%A1urea

quarta-feira, 2 de março de 2011

Big Brother Brasil


O Big Brother é um programa idealizado pela empresa holandesa ENDEMOL. Trata-se de uma idéia interessante que pretende "engaiolar" pessoas de diferentes naipes e matizes, visando à observação dos seus comportamentos e reações, sob condições de estresse emocional, psicológico e convivência com temperamentos distintos, em local diferenciado.

Apesar de muitos fiscais do "ter o que fazer" criticarem este modelo de programação, por entenderem que ela é um culto à inutilidade, eu a vejo com bons olhos, apesar de ser reticente quanto a aceitá-la como uma criação genial. O Big Brother tem a sua serventia. Se não tivesse, milhões de pessoas não perderiam o seu precioso tempo (mesmo não assumindo) para torcer, xingar, esbravejar e chorar junto com os participantes.

Comparo este programa a quadros simultâneos da vida real. Nele, podemos perceber quem são, de fato, as essências humanas das criaturas expostas ali, por mais que usem máscaras. Os jogadores do BBB correm atrás de um prêmio em dinheiro, ou de ter notoriedade para, quem sabe, exercer algum tipo de poder (vide Jean Wyllis).

Ao assistir o Big Brother, identificamo-nos com um ou outro participante, desejando que ele ganhe dinheiro e prestígio (como contrapartida, em razão da sua exposição, muitas vezes, constrangedora) só para vê-lo mais feliz. Costumamos, também, manifestar os nossos ódios imperiais contra alguns dos enclausurados que não seguem a nossa linha ética; mesmo fazendo (na vida real) pior ou igual ao que eles possam vir a fazer.

O telespectador, assim como um juiz togado, exerce com ampla e irrestrita maestria o seu poder punitivo contra os "pecadores aprisionados". Se eles brigam, os condenamos, se fumam, os criticamos, se criam as suas estratégias de sobrevivência dentro do jogo, os rotulamos de falsos e maquiavélicos. Lembramos tanto destes brothers que esquecemos de nós. Será que não agimos como eles?

Fico, então, com as palavras do músico Paulo Ricardo quando, inteligentemente, enche de questionamentos o telespectador/observador, "todo poderoso", esquecido da profunda semelhança entre a sua natureza e a dos integrantes do programa. O cantor pergunta: "se você pudesse me dizer, se você soubesse o que fazer, o que você faria, aonde iria chegar? Se você soubesse quem você é, até onde vai a sua fé, o que você faria? Pagaria pra ver?" E conclui: O mundo é perigoso e cheio de armadilhas, de mistério e gozo, verdades e mentiras. Viver é quase um jogo, um mergulho no infinito. Se souber brincar com fogo, não há nada mais bonito".

Autor: Gesiel Albuquerque