quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Acreditar em ETs

Muita gente costuma dizer que não acredita em extraterrestres. A justificativa dessas pessoas é a de nunca terem visto Ets, e só acreditarão quando os virem. Bem, isso é uma enorme contradição, já que, levando em conta este princípio, eles não devem acreditar em Deus também, pois o "nosso pai" nunca foi visto. Por que tanta vontade de ocultar o óbvio?

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

ETs desarmaram armas nucleares de EUA e Inglaterra.

Um grupo formado por seis oficiais da Força Aérea dos Estados Unidos (Usaf, na sigla em inglês) e um pesquisador de objetos voadores não identificados (ovnis) afirma que extraterrestres têm sobrevoado bases de mísseis e desativado bombas nucleares. Segundo o site TG Daily, os sete irão apresentar um documento contendo testemunhos de mais de 120 antigos oficiais militares apontando para uma "intervenção" alienígena até meados de 2003. Aparentemente, após isso eles perderam o interesse pelas bases, continua o site.

"A Usaf tem mentido sobre os impactos de ovnis em bases nucleares na segurança nacional e nós temos provas", afirma o capitão de lançamento Robert Salas. O grupo afirma que os objetos voadores não identificados têm sobrevoado locais com armas nucleares desde 1948 e que possui documentos que comprovam isso.

Em muitos casos, os mísseis apresentaram mal funcionamento ao mesmo tempo que objetos em formato de disco voavam silenciosamente nas proximidades das bases. Outro membro do grupo, Charles Halt, afirma ter visto um objeto voador no formato de disco lançando um feixe de luz em direção à base da Real Força Aérea britânica (RAF, na sigla em inglês) em Bentwaters, na Inglaterra. Após isso, ele ouviu no rádio que a "aeronave" teria pousado em uma área de armazenamento de armas nucleares.

Os ex-oficiais acreditam que os governos dos dois países "abafaram" as notícias, utilizando excelente métodos de desinformação.
Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI4704050-EI301,00-Exoficiais+ETs+desarmaram+armas+nucleares+de+EUA+e+Inglaterra.html

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Mais sobre os Magos Negros

É urgente estudarmos as características de um mago negro para que possamos detectar, em nosso comportamento, os componentes da magia negra e os eliminarmos da nossa psicologia. Do contrário, cedo ou tarde, serviremos ao lado negro da força.

Especialidades dos Magos Negros:
Feiticeiros, espiritistas, adivinhos, conselheiros, açougueiros, falsos profetas, médicos, curandeiros, rezadores, sacerdotes, magnetizadores, hipnotizadores, bruxas, fetichistas, falsificadores, embalsamadores, etc.

A. Ataques da magia negra:

1. Durante o sono
2. Ao assistirmos aos filmes
3. Originando medo e dúvida
4. Ensinamentos confusos
5. Associações a feiticeiros
6. Prática da luxúria
7. Sedução onírica(sonhos)
8. Roubo de energia sexual

B. Quando se está em vigília:

1. Enviam pessoas para nos perturbarem
2. Empregam feiticeiros inicados
3. Aprendizes manipulados

C. Tipos de trabalhos de Magia Negra:

1. Embruxamentos
2. Feitiços
3. Bonecos
4. Material de cemitério
5. Mal olhado
6. Pragas e maldições

D. Com intervenção de elementais

1. Operações de castrações, sexo, cérebro, coluna
2. Enfermidades orgânicas
3. Originando inimizades: com amigos, familiares, alunos e conhecidos
4. Obsessões psíquicas: ideias fixas, pensamentos negativos, emoções negativas (depressão, orgulho, ilusões)
5. Através dos vícios: alcoolismo, drogas, apostas, Eus de boa e má sorte
6. Por meio de padres, pastores, preletores
7. Alguns aspectos da cultura: modas, intelectualismo, paixão esportiva, etc.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

ETs Insectóides


Dando continuidade às informações sobre ETs, quero falar sobre os insectóides. Essas criaturas são provenientes de um planeta de classificação zeta (ou zera/zebdaá) e são muito parecidos com gafanhotos, com os louva-deuses, ou ainda, com a libélula.

Há, também, alguns deles semelhantes às vespas e às aranhas (mais raros em nosso planeta). Todos estão entre nós há milhares de anos e sua presença tem sido registrada ao longo do tempo, inclusive com relatos na bíblia ou em desenhos antigos nas cavernas.

Os ETs insectóides são muito agressivos e repugnantes. Não têm qualquer afinidade com a humanidade e alguns fazem experiências genéticas, misturando o nosso DNA ao deles. Não possuem emoção, porém são altamente telepáticos e fisiologicamente frágeis, o que os torna vulneráveis aos ataques dos outros ETs.

Alimentam-se de carne vermelha e de extratos produzidos em suas gargantas, após comerem vegetais; processo semelhante à forma de se alimentar dos bovinos: ruminando.

Estes alienígenas têm o poder de se teletransportar no tempo e no espaço porque deteem tecnologia holográfica. Muitos não têm corpo físico, facilitando assim toda a forma de transporte.

Os que vivem na 3D conseguem projetar imagem tridimensional de si para qualquer lugar da galáxia, como se fosse o próprio et em carne e osso. Detalhe: eles conseguem manipular mentalmente as outras criaturas; e se quiserem, podem conduzí-las à loucura.

Esses insetos aparentam ser amigáveis, sempre objetivando dominar a sua futura vítima. Vale salientar que, ao agir dessa forma, buscam atingir alguma fraqueza da criatura-alvo com vistas a dominá-la mental e emocionalmente.

Eles passam a impressão de estar constantemente em outra dimensão. Mesmo quando os vemos, parecem não estar conosco, mesmo estando, entende?

Essas criaturas querem a guerra e o confronto e buscam causar confusão mental e emocional em suas vítimas. Quando caçam, procuram não deixar espaço para elas fugirem; por isso, sempre atacam em bando.

Os insectóides costumam produzir imagens holográficas de anjos ou seres humanos idolatrados pelo homem, na intenção de enganar facilmente os incautos que, sem nunca imaginar, fazem tudo o que eles sugestionam telepaticamente.

Possuem naves espaciais velozes e já conseguiram desenvolver um tipo de motor aeroespacial alimentado por energia proveniente dos minerais retirados do seu planeta de origem. Tais minerais liberam energia muito poderosa e duradoura, capaz de alimentar naves ou cidades por longos períodos. É possível que na Terra haja mineral idêntico, ainda não descoberto.

Entre nós, há muitos humanos com DNA insectóide, e outros tantos disfarçados de humanos, adormecidos ou plenamente conscientes do que são, e qual a sua missão entre nós.

Apenas uma dica: os bandidos (ladrões, traficantes, assassinos em série), quase todos, possuem grande quantidade de moléculas do DNA insectóide.

Autor: Gesiel Albuquerque

sábado, 18 de setembro de 2010

Os ETs aquáticos e os seres humanos.



Os humanos pertencem a um grupo de seres galácticos provenientes de vários planetas do universo. Ocorre que, dentre as várias “espécies alienígenas” formadoras da nossa genética, destacam-se os seres aquáticos. Quem são eles? Bem, essas criaturas vivem em mundos totalmente submersos em líquido, não especificamente a água. Em vários planetas, há líquidos de composições químicas diferentes do H2O (a molécula da água).
Nesses mundos, existem cidades cravadas em depressões submarinas e protegidas por bolhas subaquáticas gigantescas.
Os habitantes dessas cidades são semelhantes aos humanos, com pequenas diferenciações. Por exemplo, alguns deles possuem barbatanas e respiram por aberturas sobre a pele. Outros possuem um sistema de filtragem dos líquidos, o que lhes permite retirar dele as impurezas ou partículas desnecessárias ao seu organismo, como o sal, as algas e outros elementos, instantaneamente.
Os seres aquáticos são detentores de grande tecnologia bélica, industrial e química. Esses seres-peixe possuem motocicletas espaciais, barcos voadores e podem, também, se teletransportarem para qualquer lugar, inclusive, viajar no tempo.
Para se comunicar, eles utilizam a voz, mas podem usar a telepatia. Muitos desses seres se parecem com golfinhos. O detalhe é que podem, além de nadar, andar como seres bípedes.
Do ponto de vista do caráter, os aquáticos são belicosos, pois deteem grande conhecimento científico para, por exemplo, produzir bombas nucleares ou fabricar aparelhos de controle mental. Portanto, não é uma boa idéia aproximar-se desses seres, já que eles não demonstram qualquer interesse em conhecer outras raças, e nem o de manter com elas qualquer intercâmbio.
Os aquáticos sabem manipular os cristais. Através de um processo estranho a nós, eles conseguem potencializar as energias disponíveis em seu habitat para fortalecerem os seus experimentos científicos na fabricação de bombas, nas plantações, no controle mental, na modificação genética, na clonagem, em holografias, e até na aplicação de magia negra.
No planeta Terra, há diversos humanos com a genética dos seres aquáticos. Alguns são, inclusive, seus espiões, os quais informam aos seus líderes tudo o que se passa no planeta e quais as possíveis implicações contrárias aos objetivos deles para com a humanidade.
Próximo artigo será sobre os ETs insectóides.
Autor: Gesiel Albuqerque

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Alienígenas entre nós

A raça humana guarda informações genéticas de várias outras raças alienígenas. Por isso, nos deparamos com tantos visitantes físicos e astrais ao nosso universo. Dentre os alienígenas mais próximos de nós, estão os robôs e os astronautas, sobre os quais eu vou tecer alguns comentários.

Os robôs são seres advindos de uma galáxia muito distante e extremamente mais desenvolvida tecnologicamente do que a nossa. Nesse local cheio de planetas (pelo menos uns duzentos por quadrante), os seres dispõem de recursos de manifestação bastante diferenciados dos nossos. Eles não precisam, por exemplo, de utilizar a voz para se comunicarem; em lugar disso, usam a telepatia como ferramenta de comunicação.
Os seres robôs dessa galáxia recebem uma programação semelhante ao que se faz com o disco rígido de um computador, manipulado por uma CPU principal, subdividida em vários outros computadores usados para controlar uma área específica do planeta. Para explicar melhor, é como um presidente e seus ministros. O presidente é a figura central e os ministros cuidam de setores específicos.
Por causa dessa programação e devido à sua força telepática, os seres robôs possuem grande poder hipnótico e são capazes de alterar a programação original dos outros seres, inclusive a dos humanos, com a instalação de crenças reiteradoras do medo, da culpa e do remorso. Tais programações paralisam a criatura-vítima e a impedem de acessar a sua essência divina.
A forma física desses ets lembra a de um robô transformer (vejam o filme), são altos e quadrados. Geralmente, apresentam uma cor bege ou marrom metálico (bronze), não demonstram emoção ou reações abruptas; e possuem um comportamento mecanicamente programado.

Os seres astronautas provêm de uma galáxia vizinha à nossa, quase paralela, porém, numa outra dimensão. Eles não possuem corpo físico, mas não se adaptam à freqüência energética do nosso planeta; por isso, usam escafandros (roupa de astronauta) para impedir o efeito da “radiação” sobre seus corpos; semelhantemente ao que ocorre com os astronautas humanos, quando saem da Terra.
Eles nos vigiam do alto e, de lá, tiram fotos de pessoas ou lugares com o fim específico de agirem contra as pessoas escolhidas ou destruirem projetos sociais, políticos e bases de outros ets debaixo da terra, etc.
Eles também se comunicam telepaticamente mas, quando estão entre nós, nunca tiram os escafandros; por isso, é muito difícil vermos os seus rostos. esses ets mantêm uma distância mínima de segurança em relação aos humanos e à força gravitacional do centro da Terra. Costumam ficar a entre oitenta e cento e cinquenta metros distantes de nós, lá do alto, nos espionando.
O tipo físico deles é considerado humanóide, mas não são muito altos (no máximo 2 metros de altura). Aparecem geralmente em sonhos e podem interferir na humanidade através de experiências genéticas ou podem, também, vender informações sobre a nossa constituição astral e genética para outros ets, com vistas a que estes implantem chips, agulhas e elementais em nossos corpos energéticos.
Os ets astronautas foram vítimas de explosões nucleares em seus planetas, em épocas muito remotas, causadas por irresponsabilidades ao conduzirem experiências com materiais químicos de alto poder destrutivo. Restam poucos deles no universo. Por isso, eles lutam contra o tempo para não serem extintos, já que não podem se reproduzir, e nem ter um corpo de carne e osso. Esses seres não possuem emoção e são, o que conhecemos aqui na Terra, como muito perversos e frios.
Há outros alienígenas entre nós. Sempre que possível, falarei sobre eles e darei a sua tipificação. Muitos deles jamais foram contatados pelos chamados "ufólogos", nem pertencem à classificação tradicional que estamos acostumados a ler em livros e em sites.
Refiro-me, por exemplo aos seres golfinhos, que são ets provenientes de mundos aquáticos bem distantes do nosso. Uma fração significativa da humanidade é originária desses mundos e carrega o dna de peixe, literalmente. Já ouviram falar dos seres com cara de peixe? Isso é real!
Mas isso, eu falarei posteriormente.
Autor: Gesiel Albuquerque

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

VOTOS, ACORDOS E CONTRATOS.

Numa época primitiva os homens não conseguiam compreender os fenômenos da natureza. Acreditavam que tudo o que acontecia era proveniente da vontade dos deuses. E, por isso, faziam promessas e pactos, prometendo que se a tempestade, o calor, ou qualquer outra força natural amenizasse, iriam prestar oferendas a esses deuses por toda a eternidade.

Os votos ou contratos feitos em vidas passadas são dispositivos de limitação espiritual na nossa vida atual. Eram feitos por total ignorância e, muitas vezes, formavam alianças ou associações eternas. Esses acordos do passado afetam a vida de um indivíduo, até que sejam renunciados. São as principais causas de problemas físicos e psíquicos nesta vida.

Os votos podem ser feitos em várias situações. Imagine-se vivendo na Idade Média como um monge, internado num monastério, passando por iniciações, cultos, rituais cabalísticos, promessas, juras, votos de pobreza, castidade, celibato, obediência, silêncio, dedicação e casamento com Deus, erradicando de dentro do seu ser todo e qualquer desejo ligado à vida material. Hoje, deseja ser um profissional de sucesso, ter dinheiro, bens materiais, ser reconhecido, se relacionar sexualmente bem, constituir família e não consegue atingir os objetivos de uma forma satisfatória. Por que? Porque os votos feitos em outras vidas funcionam como um limitador, um freio de mão puxado que, por mais que se acelere, o carro não desenvolve. Procura se esforçar, investir, trabalhar, se dedicar, mas as coisas nunca dão certo, ou melhor, não acontecem como deseja ou planeja. O dinheiro sempre falta, o trabalho é enfadonho e os relacionamentos afetivos são insatisfatórios. Uma sensação de vida vazia paira sobre você.

O resultado desses compromissos passados fica sempre impregnado na nossa memória astral, nos registros akáshicos. A cada encarnação trocamos de corpo biológico, mas não nos livramos desses arquétipos. Esses votos de fidelidade (contratos) permanecem conosco até que o revoguemos. É preciso que esta energia seja transmutada, pois não nos permitirá viver na quarta dimensão, como deveríamos viver, se esses laços não forem totalmente transmutados e renunciados.

Esses laços cármicos também podem ser feitos com associações a certos indivíduos ou lugares e sempre irão nos afetar de forma negativa, tais como os pactos de sangue e as juras de amor eterno. O sofrimento de hoje pode ser um eco do passado.

Pacto é sinônimo de ajuste, convenção ou contrato. A literatura está cheia de relatos de pessoas que firmam acordos com a força inferior para obterem favores em troca de pagamentos. Estes ajustes primam pela informalidade, onde o pactuante não conhece a extensão das obrigações que está assumindo. Assim, acredita que o pagamento quitará o débito, mas se esquece de que os acordos podem gerar cobranças intermináveis.

Os acordos, contratos ou vínculos com os núcleos de magia negra, ainda que eventuais (sem habitualidade), também são uma das razões para que alguns esforços de liberação sejam pouco profícuos, ou mesmo que não tenham êxito. Neste caso, é muito importante que a pessoa tenha uma participação ativa e consciente no processo da quebra do contrato.

Embora os metafísicos compreendam que os pactos não são uma forma de contrato expresso (escrito), reconhecem que a natureza contratual tácita (não escrita) das relações de afinidade geram obrigações entre o contratante e o contratado.
[...]
Os pactos, portanto, são formas de limitação espiritual, que podem ser originárias de votos de pobreza, castidade, obediência, fé, fidelidade, etc. ou contratos de empreitadas com irmandades espirituais negativas, alianças profanas ou associações, que, por vezes, transcendem mais de uma encarnação e que afetarão a vida do indivíduo até que sejam renunciados (ainda que em outra encarnação), porque possibilitam as reclamações de “direitos e deveres”.

O distrato precisa da especial intervenção do Conselho Cármico. Essa intervenção pode se dar sob a forma coercitiva, obrigando o algoz a interromper a cobrança, mas tem que existir um firme desejo da pessoa de romper este pacto, revogando e renunciando a todos e a cada um dos compromissos de fidelidade firmados.
Autor: Natan-Kadan
Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=12651