terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Nossos Eus nas outras dimensões

Estamos presentes em diversas dimensões. Isso não é novidade, pois já falei sobre isso antes. Por isso, quero relembrar a todos que muitos dos problemas interiores e exteriores vivenciados por nós, no plano físico terráqueo, estão relacionados ao que sofremos ou realizamos nas dimenões onde os nossos outros Eus estão se manifestando.

Para tentar explicar isso de forma mais simples, eu lhe proponho imaginar o seguinte: às vezes, na 3D (Terra), você é uma pessoa boa, amiga, sociável, e até religiosa; de conduta ilibada, como diriam alguns. Porém, alguns dos seus Eus estão envolvidos em conflitos, guerras ou causas pessoais em outras dimensões, o que faz com você sofra por parte dos seus inimigos constantes ataques, perseguições e até aprisionamentos. (Lembre-se daquele filme "O exterminador do Futuro", com Arnold Schwarzenegger).
Você já se perguntou por que sofre tanto e, aparentemente, sem motivos? Já que é uma pessoa "tão boa para os outros". Pois bem, a resposta está no que os seus Eus fazem nos diversos mundos onde estão projetados.

Infelizmente, sofremos os reflexos dessas práticas por nós desconhecidas em estado de vigília. Já se perguntou, também, por que tem tantos sonhos ruins, sem motivo aparente? Já que sempre procura fazer o bem aos outros? A resposta também é que dei acima.

Isso, entretanto, não tem nada a ver com a visão propalada pelos espíritas quanto a uma suposta lei do karma, que de lei não tem nada; e nem de karma.

É bom que você saiba que a 3ª lei de Newton (ação e reação) - tão conclamada pelo espiritismo - não se aplica em aboslutamente nada ligado ao que se convencionou chamar de Karma. Qualquer pessoa mais estudiosa e menos dogmática percebe a fragilidade dessas ideias associadas à nossa experiência enquanto seres astrais vivendo em corpos de carne e osso.

Autor: Gesiel Albuquerque

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Cientistas encontram sinais da existência da 'partícula de Deus'

A partícula é considerada o pedaço que falta na principal teoria da física de partículas - conhecida como Modelo Padrão - que descreve como partículas e forças interagem. Ela seria responsável por dar massa a todas as outras partículas.

Durante um seminário do Cern, organização que opera o GCH, nesta terça-feira, cientistas anunciaram que dois experimentos no colisor conseguiram encontrar sinais que podem ser do bóson de Higgs, causando furor na comunidade científica.

No entanto, os pesquisadores ainda não tem dados suficientes para reivindicar verdadeiramente a descoberta. Encontrar o bóson de Higgs seria um dos maiores avanços científicos dos últimos 60 anos. De acordo com os cientistas, ela é crucial para a compreensão do universo, mas nunca foi observada em experimentos.
Segundo os cientistas, quando o universo esfriou após o Big Bang, uma força invisível conhecida como o campo de Higgs teria se formado juntamente com o bóson de Higgs. É este campo que dá massa às partículas fundamentais que formam os átomos. Sem ele, estas partículas passariam pelo cosmos na velocidade da luz e não conseguiriam se aglutinar.
O modo como o campo de Higgs trabalha foi associado ao modo como fotógrafos e repórteres se reúnem ao redor de uma celebridade. O grupo de pessoas é 'atraído' fortemente pela celebridade e cria resistência ao seu movimento em um salão, por exemplo. Dessa maneira, o grupo dá 'massa' àquela celebridade, tornando sua movimentação mais lenta.
'Descobrir a partícula confirma que a abordagem que estamos usando para entender o universo está correta.' Estas preocupações motivam o esforço do Cern para destacar o bóson de Higgs e outros fenômenos usando o GCH. O Grande Colisor de Hádrons fica em um túnel circular de 27 quilômetros de comprimento na fronteira entre a França e a Suíça, repleto de ímãs que 'conduzem' partículas de prótons pelo imenso anel.
Fonte dessa notícia:


sábado, 10 de dezembro de 2011

Defesa espiritual

Preciso destacar neste artigo a importância da oração e da vigilância em nossas vidas. Mesmo atentos e vigilantes, não deixamos de sofrer investidas malígnas sobre nosso cotidiano e nossos projetos pessoais. Enganam-se aqueles que pensam estarem protegidos só porque se encontram num suposto patamar superior vibracional. Isso é embuste dos magos negros, os quais buscam criar em nós a sensação de proteção; quando, de fato, ninguém está 100% protegido.

Se alguém se achar totalmente protegido, por favor, envie-me um email; eu quero conhecer o super-homem ou a super-mulher. Na verdade, ninguém está cem por cento protegido porque, dentro de cada um, há infinitas conexões com situações, experiências e outros seres com os quais lidamos nas diversas existências. Tais contatos estabelecem laços emocionais, mentais e energéticos, majoritariamente negativos. Quando buscamos mudar a frequência vibracional dessas experiências, já é tarde, pois muitos dos nossos ex comparsas, "amigos" ou dependentes não aceitam a nossa mudança e tentam fazer de tudo para não acessarmos patamares vibracionais pertinentes à paz e ao equilíbrio da alma.

Há também entidades e organizações preocupadas apenas em combater os propósitos divinos imanentes em nós. Todas as vezes que buscamos acessar a fonte trina do amor incondicional, uma luzinha vermelha se acende nos laboratórios dos cientistas e magos negros; e a partir, daí, uma ardilosa ação de ataque sutil e covarde é montada contra nós. Se não formos fortes (e dificilmente somos), nos deixamos sucumbir pelas diversas táticas malígnas de controle emocional e espiritual; ficando muito mais difícil acessar a nossa luz interior. Nessa hora, orar e vigiar é muito mais importante e necessário.

Orar e vigiar é um processo fundamental para o combate aos ataques trevosos, pois os mesmos visam a minar as nossas defesas psicológicas, emocionais e energéticas, para depois dominar-nos por completo. Uma vez caído nos domínios dos malígnos, a saída das suas garras é muito difícil.

No entanto, a oração a que me refiro não pode ser apenas balbuciar de palavras ou fórmulas vazias. Ela tem de estar impregnada pela energia da ação e da reação às investidas do mal, através de atitudes contrárias e energeticamente poderosas o suficiente para anular o efeito das forças tenebrosas: essa é a nossa verdadeira defesa espiritual.

Vigiar significa estar sempre alerta em relação às brechas existentes em nossas alma, as quais possibilitam a investida dos seres malígnos contra o nosso manancial divino.

Orar significa agir contra todas as formas de ataque de forma a combater uma energia xis com outra energia ípsilon. Isto é, temos de ser diferentes daqueles que nos atacam; do contrário, seremos facilmente rendidos.

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 4 de dezembro de 2011

Pais de Santo X Magos Negros

Muitos “pais de santo” se vêem desacreditados porque fazem trabalhos que não surtem o resultadoesperado. Pelos meus estudos, há pouquíssimos pais de santo cujos trabalhos surtem verdadeiro efeito. Muitos são charlatães mesmo; outros, entretanto, contam com a desobediência dos seus serviçais no mundo astral, os quais só fazem absorver a energia das oferendas e não cumprem com o combinado.

Dito isso, quero agora falar dos magos negros residentes no mundo astral; esses sim merecem o nosso cuidado e atenção devido ao seu altíssimo grau de periculosidade. Trata-se de entidades muito diferentes de qualquer modelo mental que conhecemos na Terra. Eles não são humanos no sentido lato do termo, apesar de viverem na psicosfera do nosso planeta há milhares de anos.

Os magos negros são inteligentíssimos. Eles possuem iniciações em templos de magia muito antigos localizados em outros planetas; dessa forma, as suas técnicas mágicas estão muito além do nosso conhecimento e se baseiam, principalmente, no controle mental e no roubo de energia.
Essa técnica bélica é muito tenebrosa porque busca a anulação completa da vítima em questão de tempo. E o que é pior, muitas vezes, com a aquiescência da vítima, que nunca desconfia de estar sendo atacada magicamente.

Fico impressionado com tanta ingenuidade no tocante à verdadeira natureza da magia. Quem sequer desconfiar dos grandes perigos da magia negra e dos seus manipuladores nas dimensões paralelas, não se meterá a besta a mexer com ela.
Autor: Gesiel Albuquerque

Forças invisíveis atuam entre nós


Vivemos no meio de forças invisíveis das quais podemos perceber apenas os efeitos. Movemo-nos entre formas invisíveis cujas ações com muita freqüência simplesmente não percebemos, embora possamos ser profundamente afetados por elas.

Neste lado mental da natureza, invisível aos nossos sentidos, intangível aos nossos instrumentos de precisão, muitas coisas podem acontecer que não deixam de ecoar no plano físico. Há seres que vivem nesse mundo invisível como os peixes vivem no mar. Há homens e mulheres com mentes treinadas ou habilidades especiais que podem penetrar nesse mundo invisível como um escafandrista desce ao leito oceânico.

Há também ocasiões em que, tal como acontece a um país quando os diques marinhos se rompem, as forças invisíveis fluem para cima de nós e nos engolfam. Normalmente, isso não acontece. Somos protegidos pela nossa própria incapacidade de perceber essas forças invisíveis.

Há quatro situações, contudo, em que o véu pode ser rasgado e podemos encontrar o Invisível. Podemos nos achar num lugar em que essas forças estão conectadas. Podemos encontrar pessoas que manipulem essas forças. E podemos "também ir ao encontro do Invisível, guiados pelo nosso interesse por ele, e perder a nossa serenidade antes de saber onde estamos; ou podemos cair vítimas de certos estados patológicos que rasgam o véu. O limiar do Invisível é uma costa traiçoeira em que nos banhamos.

Há buracos, correntes e areia movediça. O nadador forte, que conhece a costa, pode arriscar-se com relativa segurança. O nadador inexperiente, que não ouve nenhum conselho a não ser seus próprios impulsos, pode pagar com a própria vida a sua temeridade. Mas não devemos incorrer no erro de pensar que essas forças invisíveis são necessariamente más e nocivas à humanidade.

Elas não são mais nocivas em si do que a água ou o fogo, embora sejam muito poderosas. Se vamos contra elas, o resultado é desastroso' para nós, pois quebramos uma lei da natureza; mas elas não existem para atacar-nos, assim como nós também não.

Autor: Dion Fortune
Livro: Autodefesa Psíquica