domingo, 29 de maio de 2011

Agulhas..implantes...revelações

É chegada a hora de todos saberem o quanto são influenciados por seres de outras dimensões, os quais possuem total inserção em nosso mundo físico através de portais abertos em nossa alma. A propósito, o que eu estou falando não deveria ser novidade para ninguém, já que todos são provenientes destes mundos intervenientes, com a diferença de poderem se alojar (se guardar) no corpo físico.


Faço aqui uma revelação. Uma maneira muito fácil, simples e efetiva dos seres dimensionais nos controlarem é através da colocação de agulhas em nossos corpos astrais. Agora, espantem-se! Isso ocorre a qualquer hora do dia e da noite, e em qualquer lugar. Não precisa ninguém estar dormindo.

As agulhas inseridas nos humanos servem para criar uma espécie de homeostase energética entre os implantadores e seus alvos. Assim, eles podem captar vibrações emocionais e mentais dos escolhidos e implantar mais porcarias em seus corpos. Ex.: implantação de entidades, chips, eletrodos, pequenos cristais, placas, fios, etc. A variedade de objetos e entidades implantadas nos humanos é muito grande.

Os implantadores costumam colocar as tais agulhas na nuca da pessoa-alvo. O incrível é que, no local, costumam surgir bolhas ou pequenas feridas como se fossem espinhas estouradas. A razão para eles escolherem esta região do corpo astral é devido à sua relação direta com o chacra umeral, localizado um pouco abaixo da nuca.

O indivíduo pensa que tem alguma alergia ou irritação pós-corte de cabelo. Isso pode acontecer, mas, em sendo resultado de implantes, as bolhas surgem do nada. Geralmente, ao acordar, você já pode percebê-las, porque dormiu sem tê-las. Quando, associado a estes objetos, o implantador gruda elementais no corpo da vítima, o serviço fica completo. Isto é, malignamente concluído. A pessoa passa, então a ter reações diversas, como: ódio de tudo ou de todos, pavor crônico das pessoas e de determinados lugares; sente ainda desejos estranhos e literalmente animalescos, como: ingerir alimentos estragados, não praticar higiene pessoal, dormir nas calçadas, isolar-se totalmente, usar drogas, etc.
 

Outra revelação. Muitos (supostos) humanos realizam esta implantação. Isto é, servem aos propósitos malignos dos magos negros alojados nas infradimensões paralelas e aos alienígenas macabros conhecidos como zetas. Este "humanos" estão entre nós, mas não gostam da humanidade e, por isso, nas dimensões paralelas, seqüestram corpos astrais para que seus chefes possam obsediar, roubar energias e controlar consciências.

Alguns sintomas da ação destas coisas: crises emocionais inexplicáveis, depressão sem causa definida, medos e sensação de culpa sem qualquer causa aparente, irritação sem controle, formigamentos constantes sem causa médica diagnosticada, imagens mentais persistentes, frio constante no umbigo ou ardência na nuca.

Eventos do dia a dia relacionados a estes objetos: brigas, nervosismo intenso, provocações gratuitas das outras pessoas, pequenos acidentes repetidamente, queda da pressão arterial ou falta de ar, tonturas, enjoos, desmaios imotivados, etc.

Convém salientar que os sintomas mencionados acima não são exclusivos de causas espirituais. Dessa forma, tais impressões e sensações não eximem a pessoa de procurar o seu médico para verificar os reais motivos das reações registradas pelo seu organismo.

Convém dizer ainda, que ninguém pode se deixar impressionar por tais circunstâncias quando elas apontam para possíveis motivos astrais. O solução é buscar a cura diuturnamente, o que nem sempre é conseguido de imediato. Conheço vários casos em que as pessoas lidam com ataques dos seres tenebrosos durante toda a sua vida física e morrem sem resolvê-los.

Livrar-se de problemas relacionados aos ataques astrais não é uma tarefa simples e rápida, pois tudo tem a ver com as nossas verdadeiras conexões infradimensionais gravadas em nossas células quânticas e em nossa memória estelar. Numa análise metafórica, posso dizer que tais conexões são um grande novelo de linho, o qual permanece intrinsecamente amarrado fio a fio, nó a nó. Para desatá-lo, é preciso que haja muito cuidado, parcimônia e paciência até o seu final.

Nada garante, no entanto, que ao nos livrarmos dos nossos "travadores", não nos comprometamos novamente com indivíduos, lugares e situações semelhantes ou iguais às anteriores. Por isso o Cristo foi tão enfático depois de livrar a mulher adúltera das mãos dos apedrejadores, advertindo-a: "_Vá e não peque mais". Cá pra nós, não pecar é a parte mais difícil.


Autor: Gesiel Albuquerque

Livro: Não Seja Redundante

Pessoal,

Este é o livro sobre redundâncias da língua portuguesa, que publiquei em 2005. Trata-se de uma obra contendo mais de 1000 pleonasmos viciosos, e sua correção quanto ao uso. O jornal A Tarde, da Bahia, fez uma matéria sobre esse livro classificando-o como uma obra "interessante, instrutiva e divertida"

Veja alguns exemplos:

Entrar para dentro
Sair para fora
General do Exército
Países do mundo
Cheio pela boca
Fila para mulher grávida
Hermeticamente fechado
Sorriso nos lábios
Completamente lotado
Filho homem
Filha mulher
Cacos quebrados

Entre outros...

"Não seja Redundante" é um livro indicado para todos os falantes de Português, principalmente os jornalistas, escritores, políticos, oradores, etc.


Para adiquirí-lo, envie-me um email fazendo o seu pedido. 

blogdogesiel@hotmail.com

Valor: R$ 25,00 (mais taxas dos Correios) 
Formato: bolso
127 páginas
Contém ilustrações
Possui ISBN

Ser Maçom

É inegável constatar a grande curiosidade das pessoas por assuntos pouco divulgados e até guardados a sete chaves. Em nossa civilização, dentre os alvos de tamanha curiosidade está a maçonaria. Muita gente tem vontade de saber o que os maçons fazem em loja, o que conversam e como se identificam.

A razão de tanto mistério em torno da ordem maçônica remonta a antiguidade quando a Igreja Católica, por razões exclusivamente dela, decidiu condenar a nossa organização e associá-la à crença de que mantínhamos pactos com forças demoníacas. Em virtude dessa acusação injusta, muitos maçons foram caçados e mortos, até por pessoas comuns, que juravam estar fazendo o trabalho de Deus contra o demônio. Por causa dessa falsa crença, muitos pais de família foram agredidos e até queimados. Morriam, inclusive, os não maçons que pareciam ser. Devido àquele quadro tenebroso, o que era discreto passou a ser secreto. Isto é, ninguém se declarava maçom para não ser morto. Graças ao Grande Arquiteto do Universo, aquela situação mudou e hoje podemos falar livremente sobre a nossa condição.

Tristezas à parte, a maçonaria tem sobrevivido às transformações da sociedade e a ela se adaptado, mantendo intactos os seus mistérios e simbologias ao longo de milhares de anos. Muita gente, no entanto, fica curiosa em saber quais segredos são estes. Bem, a resposta é a seguinte: não é da conta de ninguém que não seja maçom. Por acaso interessa aos de fora o que você faz ou deixa de fazer no interior do seu lar? Certamente não. Você conta se quiser, mas não interessa a ninguém que não seja da sua família. Com a nossa instituição não é diferente.

O que acontece entre os maçons e dentro dos templos só interessa a eles. Um profano não entenderia, ou mesmo não saberia corresponder às práticas maçônicas justamente por não ser um iniciado naqueles mistérios. Imagine, por exemplo, se você estivesse nos Estados Unidos sem saber uma palavra sequer em Inglês. Iria sentir-se um peixe fora dágua. Para fazer parte daquele mundo teria de ser iniciado nos seus conhecimentos linguísiticos. Concorda? Com a maçonaria também é assim.

De fato, a maçonaria não é uma instituição secreta, e sim, discreta, mas tem os seus segredos. Toda loja maçônica tem personalidade jurídica e estampa amplamente o seu nome, data de fundação e a qual potência pertence. Os maçons são pessoas conhecidas em suas cidades e, muitas vezes, ocupantes de cargos políticos. Portanto, não há nada de secreto em nossa instituição; isto não siginifca, entretanto, que ela seja aberta a todos. Então, a quem interessam os nossos sinais, toques e palavras? Resposta: a nós, e mais ninguém.

Para fazer parte da maçonaria não basta apenas querer. É preciso um membro da ordem observar, por algum tempo, e perceber se o comportamento do candidato condiz com a postura de um maçom, para só depois formalizar-lhe um convite: é uma dos aspectos necessários, você pode pertencer a qualquer religião ou seita, a única exigência é acreditar em Deus, respeitar a pátria e a família. Após o convite, você será submetido a uma sindicância da vida pregressa e, se aprovado, seu ingresso estará subordinado à aprovação dos demais.

Muito se tem tentado fazer contra os mistérios maçônicos, com vistas a divulgar os simbolos e alegorias da nossa instituição. Sinceramente, eu até acho graça de tanta bobagem veiculada na internet, ou em revistas, sobre possíveis revelações dos nossos augustos mistérios. Se fossem fáceis de serem descobertos, você não acha que isso já teria acontecido há muito tempo? Coloque a inteligência para funcionar e perceberá alguma lógica em minha observação.

Ao entrarmos para ordem, juramos segredo sobre tudo o quanto ouvirmos ou falarmos; sobre as nossas formas de identificação e sobre como proceder em loja. Um maçom jamais revelará o que lhe foi confiado, pois se o fizesse, seria considerado um perjúrio, um traidor. Um homem que não cumpre os seus juramentos voluntários não é digno de ser chamado de homem.

Com tanta curiosidade sobre "a vida secreta dos maçons", as pessoas se esquecem do enorme bem que a maçonaria, em silêncio, faz para a sociedade, com seus hospitais, suas obras assistenciais e ajuda aos mais necessitados. Não precisamos de estardalhaço para contribuir para um mundo melhor, e nem buscamos holofotes para os nossos feitos individuais. A ordem trabalha em segredo em prol de uma humanidade mais justa e perfeita.

Ser maçom é desbastar a pedra bruta da nossa ignorância, levantar templos à virtude e construir masmorras aos vícios. Ser maçom é ainda, expandir a razão através desta sagrada e milenar filosofia para expurgar do mundo assombrado a injustiça, os preconceitos e toda forma de dominação. Ser maçom é ser reconhecido como tal no caminho em que se possa ver a estrela flamejante e conhecer os mistérios da linda flor da acácia. A todos os maçons espalhados pela superfície da Terra o meu abraço fraternal.

Quanto aos curiosos, sugiro diversas páginas na internet, cheias de conteúdo sobre a ordem maçônica. Há também os sites das próprias lojas e potências, através dos quais a pessoa pode coletar informações fidedignas sobre o que é e o que faz a maçonaria em nosso país e no mundo.

Autor: Gesiel Albuquerque

Querem as nossas emoções

Muitos seres presentes em nosso universo astral são provenientes de mundos cujas características físico-químicas, plasmáticas e etéreas diferem grandemente da nossa. Boa parte deles perdeu sua moradia devido aos experimentos genéticos e científicos que os levaram a uma destruição coletiva e à conseqüente alteração da sua matriz genética.
Então, o que estes seres estariam fazendo em nosso universo espiritual já que, com eles, guardamos poucas afinidades? Pois bem, é justamente isso que nos aproxima deles. Ou seja, são as nossas diferenciações matricial-energéticas que levam estas entidades a se aproximarem de nós a fim de buscarem identificar as características que podem ser aproveitadas na realização de mudanças em sua estrutura citoplasmática e núcleo-quânticas com vistas a manterem a preservação de suas espécies.

Nossas emoções, por exemplo, representam um fator muito atrativo para estes seres, porque elas são verdadeiros portais dimensionais através dos quais eles podem adentrar o nosso quantum consciencial e estudar, em detalhes, a natureza da constituição psicobio-dimensional dos seres humanos e os propósitos da sua existência, bem como de qual mistura espacial surgimos e qual a centelha da inteligência que nos anima.

Ao contrário do que muitos pensam, os visitantes de outras galáxias não estão interessados em estudar as nossas emoções pelo fato de não as tê-las. Eles sentem emoções, embora elas não sejam iguais às nossas. Na verdade, o que conhecemos como emoções poderia ser classificado, neles, como síntese programática. Isto é, programas específicos relacionados à intenção de transformar realidades e dinamizar a interação das energias.

Estes indivíduos sabem que possuir emoções humanas é estar propenso à fragilidade e sob o controle de outras mentes. Significa, também, estar em constante conexão com mundos e submundos construídos e mantidos por lógicas inversas aos parâmetros humanóides, quase sempre perversas (para nós), pois, a tônica das mentes destes lugares é sugar energias, escravizar desejos, adoecer almas através das falsas crenças, produzir realidades distorcidas, entre outros.

Como muitos fazem parte deste propósito, as emoções humanas não lhes servem mais do que organelas facilitadoras das estratégias de dominação e vampirização de energias geradas pelos desejos e imaginação.

Este artigo continuará...

Autor: Gesiel Albuquerque