A energia magnética em nós

O título deste artigo não é novidade para ninguém, pois costumamos ouvir falar dessa temática nas aulas de física e química, ou nas discussões entre amigos. Portanto, não é algo novo. Bem, mas se não é novo, por que resolvi intitular o meu texto usando essa frase? A resposta é a seguinte: devido a influência (atrativa ou repulsiva) do magnetismo sobre todos os seres da criação. Eu disse: todos.

A energia magnética é fundamental para nossa existência; e posso dizer seguramente que, sem ela, não estaríamos aqui. Vamos aos fatos:

Através de um posicionamento específico e por causa de uma movimentação dinâmica envolvendo rotação e translação, o centro gravitacional do nosso planeta emite uma energia poderosa capaz de exercer, entre outras tarefas, a coesão das partículas e não deixar que os corpos se desintegrem facilmente. Em sendo assim, e por analogia, não é difícil depreender que somos aglomerados de células, órgãos e tecidos, graças ao magnetismo imanente em nós.

É também devido a essa poderosa força de união atômica que podemos ficar "grudados" na superfície terrestre (força gravitacional). Isso, em qualquer aula de física pode se comprovar. Observe que, saindo do ponto de atração magnética (gravidade), os corpos perdem o seu sistema referencial de massa e de peso, podendo, então, realizar movimentos inimagináveis aos nossos padrões gravitacionais. Na lua, por exemplo, onde a gravidade é quase zero, qualquer um de nós poderia andar a saltos gigantescos e, de certa forma, até voar.

Mas, como isso pode interferir em nossas vidas positiva ou negativamente? Bem, por sermos seres magnéticos e termos o poder de absorver e emitir energia, é possível inferirmos que se não soubermos utilizar (aplicar) esse fluxo em nossa dinâmica, teremos resultados nada agradáveis durante o percurso estelar. Isso vale tanto para a atração dos corpos quanto para o poder de atração, ou repulsão, das nossas emoções, pensamentos e sentimentos.

Nesse caso, quero ater-me especificamente à energia magnética da mente e das emoções, personificada nos desejos. Quando estes se mostram obtusos, doentios ou viciados (repetitivos), a energia produzida por eles servirá para abrir e manter portais magneticamente negativados e com frequências quânticas corrompidas; o que certamente atrairá seres provenientes de mundos e dimensões com padrões inversos, facilitando o ataque à nossa lógica existencial dentro dos níveis da 3D. Significa que poderemos ser mais facilmente controlados, dominados e escravizados por mentes dissonantes das nossas. Através da imposição de castigos, torturas ou hipnoses, acabaremos por nos adequar a esses padrões invertidos e a ele nos prendermos indefinidamente.

Quando essas frequências se distorcem, perdemos o equilíbrio central do nosso próprio eixo psicológico-energético fazendo com que toda a homeostase molecular, orgânica e espiritual estabelecida antes de nascermos na 3D se desmonte e permita o acesso de terceiros às nossas defesas. Isso é muito perigoso porque, como diz um ditado antigo: "para se conseguir algo é muito difícil; para perdê-lo é extremamente fácil". Aplicando-o ao mote desse texto, insisto que conseguir o equilíbrio energético-emocional é difícil; porém, perdê-lo é muito fácil.

E de que forma perdemos essa homeostase quântico-magnética? Quando assumimos, por exemplo, compromissos impagáveis em troca de poder, recompensas vãs, supostas proteções astrais, entre outras; quando por razões que a própria razão desconhece o homem se entrega ao seu lado negro, preferindo destruir para supostamente construir, colidir para supostamente manter distância e equilíbrio.



Essa lógica pertence à essência teórica da poderosa loja negra do mundo astral, a qual vê no caos destruidor o poder de restauração da essência humana. Ao contrário dela, a loja branca prefere edificar para não cair, respeitar distâncias para não colidir, estabelecer equilíbirio entre as forças do caos.

Nos desequilibramos ainda quando buscamos impedir a manifestação energética das outras consciências magnetizadas pela grande mente divina. Ao tentarmos inibir a manifestação das outras energias, produzimos ligações biomoleculares intensamente imbricadas nos alvos da nossa interferência e, fatalmente, em algum momento, estaremos subordinados a lei de aproxiamação do nosso inimigo, ficando mais íntimo dele do que se possa imaginar. Uma das forças do caos é a constante de aproximação (atrito) e de distanciamento (campos magnéticos repulsivos). Um pode se tornar o outro facilmente, e vice-versa.

Comecei este texto falando da energia magnética, a fim de mostrar o quão importante ela é para a existência humana, e do próprio planeta. Busquei mostrar a sua manifestação em todos os níveis, reinos e sobre todos os seres (encarnados ou não). E finalizo-o chamando atenção para os cuidados para a utilização do magnetismo em nossas atitudes, posturas e decisões.

A grande questão desse fluido vital em nós, criaturas magnéticas, é a sua atuação para a construção ou desconstrução de realidades, sejam densas ou sutis. Dessa forma, convém alertar sobre os perigos do seu uso incorreto, em relação, por exemplo, ao nosso Eu divino, cujo canal principal de manifestação é a vontade, a partir da qual tudo se magnetiza, concretizando-se ou desequilibrando-se por completo.



Autor: Gesiel Albuquerque

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Esclarecimentos enviados por Rodrigo Romo

Rodrigo Romo é uma farsa

Anjos, deuses e equívocos