segunda-feira, 21 de abril de 2014

Qual é a verdade? (Matrix)


“What truth?”
“That you are a slave, Neo”.

Qual é a verdade?
Que você é um escravo, Neo.


 
Com esta resposta, produzida pelo texto de Matrix, o filme, inicio este post para mostrar aos meus leitores que, infelizmente, mas infelizmente mesmo, somos escravos.

Somos escravos das nossas (?) crenças, culpas, medos, inseguranças e do mundo. Já nascemos escravizados desde épocas muito remotas. Pensamos ser livres, mas, na verdade não o somos.
 
De onde viemos e por quem fomos, digamos, produzidos em outros mundos, demonstra com clareza a nossa ação neste planeta. Servimos a forças poderosas que agem sem que percebamos.  E esta relação é, na maioria das vezes simbiótica, bilateral e interdependente. Isso não tem nada a ver com o bem e o mal, que não existem.
 
Lamento, essa não é uma boa notícia. Porém, infelizmente tenho que divulgá-la. Somos escravos, e seremos eternamente, e nem percebemos isso. Tem gente que insiste em acreditar que é livre. "Sabe de nada inocente".

Sem essa de evolução, de mudanças; somos o que somos, e pronto. Não estamos sozinhos na criação e ninguém seria louco de nos deixar sozinhos. Somos experimentos para alguns, massa de manobra para outros e servimos de alimento para uma boa parte dos maiorais da Criação.

Nossa energia é agradável para os controladores. Somos centelhas carregadas de energia emocional, mental, sexual e cósmica. Por isso somos tão desejados pelos Maiorais, assim como desejamos a carne bovina, caprina, ou até os vegetais para nos alimentarem.

Fazemos parte de um sistema e dele não sairemos jamais. Enganamo-nos, somos enganados e nos deixamos enganar. E assim segue a obra da Criação.

Autor: Gesiel Albuquerque