domingo, 27 de fevereiro de 2011

Cumpra a sua Missão; Infinita Sabedoria


Cumpra a sua Missão!

Quando o rio despeja as suas águas no mar, a sua missão está cumprida por ter chegado ao seu destino final. Quando o Sol desaparece no poente para iluminar outras regiões do globo, seus efeitos sobre a vida ficam evidentes pelo vicejar de novas sementes no solo, através das reações químicas, a fornecerem vitaminas e energia para os organismos.

Quando a chuva cai sobre o solo ressecado, fornecendo-lhe hidrogênio e oxigênio para reagirem com seus elementos físico-químicos, as plantas florescem, servindo de sombra e alimento para os demais seres. Quando a lua brilha, enchendo a noite de beleza e harmonia, as estrelas agradecem pela oportunidade de nunca ficarem sozinhas na abóboda celeste.

Quando o mar nos enche de esperança e fantasia, com os movimento de suas ondas, a existência parece se renovar mais e mais pela força dos ventos, penetrando em nossos pulmões.

Assim como o rio, o sol, a chuva, a lua e o mar, devemos seguir o nosso caminho, rumo ao destino principal, apesar das dificuldades, ou mesmo, subordinados a elas.

Em sua tarefa, as forças da natureza estão em alinhamento com a grande inteligência divina, que as programou para favorecer, milimetricamente, a manifestação da vida. Antes de desistir, pense na sua importância para a criação e não ceda aos obstáculos. Vença-os! Cumpra a sua missão.

Infinita Sabedoria!

Somos viajantes neste universo infinito de experiências. Somos testemunhas dos luares belos não só deste planeta, mas de tantos outros pelos quais passamos, e dos quais, nem sempre soubemos cuidar. A grande inteligência divina assim nos fez para que pudéssemos aprender a sorrir depois de superar as lágrimas e as dores contidas em nós, ou continuadas nos outros.

Deus, na sua infinita sabedoria, nos quer felizes porque somos suas células, pululando neste imenso organismo vivo, cheio de vida, fortalecendo a própria vida. Deus nos quer bem! Entretanto, nossa matriz nos leva a rumos quase sempre tortuosos e complexos de serem trilhados. Pensando fazer o melhor para si, assinamos contratos em branco com situações, lugares e outros seres com o objetivo de obter a satisfação dos seus prazeres imediatos.

Sem perceber, o indivíduo se insere num ciclo vicioso de terror e de terrorismo contra si e contra a obra da criação. Mas Deus está atento e sabe o quanto e quando deve interferir. Ele nos permite decidir e, como um pai, nos monitora a fim de detectar até onde podemos chegar.

Que o pai, que está em todo o universo, nos permita adentrar neste reino de sabedoria e de amor transcendental, prevalente em toda a manifestação celestial. Que nessa jornada, o mal não nos domine eternamente, para que possamos sair da sua fortalecidos e galgar degraus de liberdade e paz interior. Adonai tsebayoth.

Canalizações: Gesiel Albuquerque

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Tenha fé


Alma amiga e boa, tua fé te guia, salva e perdoa. Tudo tem o seu propósito de ser, inclusive a tua missão neste orbe, conectado à dimensão do sofrimento. Não podes perder a crença no teu deus e naquele que em ti habita, que te guiam pelas sendas do caminho, orientando-te à verdadeira liberdade.

Amiga alma, tua ações são únicas e transformadoras por onde quer que vás. Como sabes, não somos imunes às intempéries da vida; não estamos isentos dos compromissos, e nem impunes em nossos atos: tudo tem o seu preço. Cabe-nos escolher.

É neste momento que determinamos o caminho a seguir, pois ao escolhermos, manifestamos processos genéticos alojados na programação da nossa alma, que nos direcionam às conquistas exitosas, personificadas no amor, na paz, na liberdade e na integração com o nosso criador; ou à aquisição de compromissos sofríveis, difíceis de ser removidos em pouco tempo.

Tenha fé, alma boa, não te entregues aos perigos da estrada, e nem deixe de confiar no que está além do horizonte. Siga com decisão forte e consciênte de que, ao chegar, terás o merecido descanso e a necessária recompensa.

Canalização: Gesiel Albuquerque

Paulo Coelho (I)


Nosso inimigo só entra na luta porque sabe que pode nos atingir. Exatamente naquele ponto onde nosso orgulho nos fez crer que éramos invencíveis. Durante a luta estamos sempre procurando defender nosso lado fraco, enquanto o inimigo golpeia o lado desguarnecido – aquele em que nós temos mais confiança. E terminamos derrotados porque acontece aquilo que não podia nunca acontecer: deixar que o inimigo escolha a maneira de lutar.

O inimigo está ali para testar nossa mão, nossa vontade, o manejo da espada. Foi colocado em nossas vidas – e nós na vida dele – com um propósito. Este propósito tem que ser satisfeito. Por isso, fugir da luta é o pior que pode nos acontecer. É pior do que perder a luta, porque na derrota sempre podemos aprender alguma coisa, mas na fuga, tudo que conseguimos é declarar a vitória de nosso Inimigo.

Autor: Paulo Coelho

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Maçonaria


Saúdo a todos os irmãos espalhados pela superfície da Terra.

A Maçonaria é uma ordem universal formada de homens de todas as raças, credos e nacionalidades, acolhidos por suas qualidades morais e intelectuais e reunidos com a finalidade de construírem uma sociedade humana, fundada no amor fraternal, na esperança com amor à Deus, à pátria, à família e ao Próximo, com tolerância, virtude e sabedoria e com a constante investigação da verdade dentro dos princípios da razão e da justiça, da felicidade geral e a paz universal.

A extinção do dinossauros


Evidências históricas sobre a vida dos dinossauros são irrefutáveis. Segundo a Paleontologia, aqueles seres já habitavam diversos pontos da Terra antes de nós, inclusive na região nordeste do Brasil. Não há o que questionar, portanto, sobre estas informações comprovadas pela ciência paleontológica. O que não se tem certeza é sobre o desaparecimento daqueles seres, há 65 milhões de anos, sem deixar qualquer pista consistente sobre as causas.

As dúvidas sobre a passagem daquelas criaturas por aqui pairam em torno dos supostos acontecimentos que culminaram no seu extermínio rápido e coletivo. Pesquisadores buscam explicar tal fato levantando hipóteses a esse respeito. A mais aceita na atualidade atribui o desaparecimento à queda de um meteoro gigante, cuja onda de energia espalhada foi tão intensa e destruidora que levou à morte milhões de animais, entre eles, os dinossauros.

O referido meteoro teria de 6 a 14km de diâmetro e atingido o planeta na região da península de Yucatán, no México. O impacto teria aberto uma cratera de 180km, e mais duas secundárias próximas a ela, medindo entre 240 e 300km de largura. Esta tese espacialesca, entretanto, tem se mostrado frágil demais para ser aceita pela maioria dos cientistas. As controvérsias são variadas e continuam a manter as dúvidas sobre como, de fato, aqueles bichos desapareceram.

Os dinossauros eram herbívoros e carnívoros; e muito deles eram grandes, pesados e tinham de comer enormes quantidades de vegetais ou de animais pequenos. Com a queda do suposto meteorito, uma nuvem densa de poeira ficou suspensa na atmosfera por um período longo, escondendo a luz do Sol; tempo suficiente para provocar a morte das plantas e dos animais da sua cadeia alimentar. Em conseqüência, os dinos morreram também.

Tenho, entretanto, outras informações sobre este desaparecimento. Os fatos a mim revelados, em minhas viagens astrais, demonstram que os ETs dizimaram os dinossauros por entenderem não haver possibilidade da existência simultânea entre eles e os humanos.

Os extraterrestres-águia, reptilianos e insectóides foram os principais engenheiros construtores da matriz genética dinossáurica. Quando perceberam a inviabilidade daquelas criaturas continuarem a viver no planeta, devido ao projeto humanóide já em fase de realização, resolveram inocular nelas um vírus altamente contagioso capaz de se espalhar pelo ar através do escarro (ou espirro), ou pelo contato com a saliva, secreções e sangue.

Em pouco tempo, o número de animais doentes foi aumentando e contaminando outros. Em menos de cinco anos, cerca de 90% dos dinossauros já haviam morrido. Alguns deles, resistentes, morreram um pouco mais tarde, mas chegaram a ter filhotes, os quais não suportaram a falta de alimento, luz e água. Muitos deles foram, também, contaminados, pelo vírus letal.

Autor: Gesiel Albuquerque

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Extraterrestres


Quarta Chave de Ezequiel: ez10:1-22-dd:extt? 2=25

Depois olhei para o firmamento que estava por cima da cabeça dos seres-águia, apareceu sobre eles uma pedra de safira, semelhante a forma de um trono.

E falou ao homem vestido de linho, dizendo: vai por entre as rodas, até debaixo do querubim e enche as tuas mãos de brasas acesas dentre os querubins e espalha-as sobre a cidade.

E os querubins estavam ao lado direito da casa, quando entrou aquele homem; e uma nuvem encheu o átrio interior. Então se levantou-se uma nuvem de raios sobre o querubim indo para a entrada da casa; e encheu-se a casa, e o átrio se encheu do resplendor. E o ruído das asas dos querubins se ouviu até ao átrio exterior, como a voz do de um ser Todo-Poderoso, quando fala.

Dando ele ordem ao homem vestido de linho, dizendo: toma fogo dentre as rodas, dentre os querubins, entrou ele, e parou junto às rodas.
Então estendeu uma entidade a sua mão dentre os querubins para o fogo que estava entre eles; e tomou dele, e o pôs nas mãos do que estava vestido de linho; o qual o tomou, e saiu.

E apareceu nos querubins uma semelhança de mão de homem debaixo das suas asas. E quatro rodas junto aos querubins, uma roda junto a um ser poderoso, e outra roda junto a outra entidade; e o aspecto das rodas era como a cor da pedra de berilo. E, quanto ao seu aspecto, as quatro tinham uma mesma semelhança; como se estivesse uma roda no meio de outra roda.

Andando estes, andavam para os quatro lados deles; não se viravam quando andavam, mas para o lugar para onde olhava a cabeça, para esse seguiam; não se viravam quando andavam.
E todo o seu corpo, as suas costas, as suas mãos, as suas asas e as rodas, as rodas que os quatro tinham, estavam cheias de olhos ao redor.

E cada um tinha quatro rostos; o rosto do primeiro era rosto de querubim, e o rosto do segundo, rosto de homem, e do terceiro era rosto de leão, e do quarto, rosto de águia.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Ovóides astrais


Digo-lhes com profunda convicção e total discernimento que estes implantes são realmente terríveis e asquerosos. Ao contrário do que muita gente pensa, os ovóides nem sempre são espíritos endividados, tomados pela culpa ou pelo remorso, o que os levaria a perder a sua forma perispiritual e a transformar-se num corpo oval... e toda aquela história que vocês estão acostumados a ler. Saibam! Não se trata disso.

Os ovóides são ferramentas construídas por magos negros e ETs Zetas que, no silêncio e na invisibilidade, buscam implementar todas as formas de roubo de energia e de controle mental. Repito, estes seres são extremamente covardes e, literalmente, sem coração. A maioria deles trabalha de forma mercenária para entidades perversas da quarta dimensão, implantando objetos e sequestrando os alvos escolhidos. Em troca, recebem cápsulas de energia produzida pelas baixas emoções e prazeres humanos. Os zetas vêem estes fluidos como verdadeiros "manjares dos deuses", servindo-lhes de alimento rico em nutrientes para o seu organismo. Eles ingerem estas substâncias como autênticos viciados em drogas pesadas, injetando-as em algumas partes do corpo.

Sintomas:

A pessoa imantada por um ovóide sente, nas primeiras semanas, tonturas muito intensas iguais às típicas bebedeiras tomadas numa balada. O indivíduo vê o mundo rodar literalmente e passa a notar a sua energia sendo drenada como numa tubulação de água, vazando intensamente. Concomitantemente a isso, há ocorrências de náuseas e de enjôo por qualquer coisa, levando a um desconforto estomacal e à falta de apetite. Sempre que o alien faz a manutenção desta ferramenta, todas estas sensações se manifestam no implantado, juntamente com o estado depressivo, uma sensação de vazio na alma e vontade de morrer. Tais manifestações perduram por umas duas semanas.

O indivíduo apresenta estados depressivos mórbidos, quase incuráveis, inexplicáveis ao crivo da medicina e às opiniões alheias. Mesmo indo ao médico, nunca será detectado algo mais sério em seu organismo. Se houver, não estará relacionado ao ovóide ou terá sido preexistente à sua imantação. Entretanto, com o passar do tempo, a perda de energia e outras formas de ataque provocam distúrbios em órgãos do corpo físico, levando a vítima a adoecer e, até, a morrer.

Localização:

Geralmente, os ETs colam estas peças bem em cima das têmporas, ou em um dos lados da cabeça. Há casos em que eles as grudam nos chacras do umbigo ou do coração. Pode haver, também, a colocação delas próximo à região do cerebelo, ou ainda, com muita freqüência, nas costas. Não é difícil, porém, encontrá-los grudados na genitália ou no ânus.

O ovóide vai debilitando a vítima que, sem energia, sente-se enfraquecida e pode chegar à morte em pouco tempo. Isso depende muito dos intentos dos seus implantadores em relação ao implantado. Caso este possua algum merecimento espiritual, poderá ser encaminhado aos hospitais sagrados para que estas armas elipsoidais, que o enfraquecem tanto, sejam retiradas. Também depende do grau de envolvimento e merecimento da pessoa; às vezes, ela passa anos infestada por estes oviformes sem nunca suspeitar de nada.


Alvo dos ovóides:

Os alvos dos implantadores são, geralmente, desertores das fraternidades tenebrosas do mundo astral ou trabalhadores da luz, capturados em emboscadas milimetricamente planejadas pelas altas inteligências na arte de fazer o mal. No entanto, não há um padrão específico para estes ataques, qualquer um pode ser vítima destas armas. Para isso, basta que o seu fluido vital apresente alguma "qualidade interessante" para os ETs, e eles farão tudo para sugá-lo.

Este implante assemelha-se muito a uma "água-viva" grudada ao corpo energético. Em estágios mais avançados, parece um polvo cheio de tentáculos enfiados na cabeça do hospedeiro. Com o tempo, desenvolve ramificações que vão se aprofundando nos corpos energéticos, à procura de energia cada vez mais escassa, assim como uma planta espichando as suas raízes para o interior da terra em busca de água.


Autor: Gesiel Albuquerque

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Não desanimes!


Quando as sombras te atingirem impiedosamente, chamando-te para com elas ir, pense na beleza do mar sob o Sol, com suas ondas que vêm e voltam, e sempre voltam. Quando a noite parecer mais longa do que devia ser em teus sonhos, instrua-te com as estrelas a emitirem suas luzes há milhares de anos, mesmo não existindo mais.

Ao passares por vales escuros e frios, sentindo medo do que está por vir, confia naquele que te criou e inspirou a vida das tuas células, para que pudesses sentir a manifestação da essência por toda a criação. Não desanimes, estou contigo! Tua vida não é de mais ninguém além de ti, somente tua. Cuida dela!

A caminhada é longa e, por isso, não se deve parar. Mas tenho uma notícia boa para ti. Deus está contigo, e sempre esteve. Os portais estão abertos, esperando a tua chegada para que, do altar das vitórias, possas dizer: eu venci porque caminhei sem cessar; fui mordido por cães selvagens, atacado por bestas-feras e quase dizimado; mas não desisti da jornada difícil a mim indicada.

O deserto assusta, mas, mesmo nele, existem oásis verdejantes e propícios ao teu descanso e alimentação. A obra da criação não transcorre à revelia do seu mentor, tudo está onde devia estar: a sabedoria está à tua frente, ao teu lado e dentro de ti.

A criação significa a manifestação da sabedoria que habita em todos os entes do universo. Nada é criado sem o poder sábio do seu idealizador. Somos todos uns nos outros, perpassando e se interpassando pela difusão da grande energia divina.

Canalização: Gesiel Albuquerque

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Mais sobre implantes astrais


Entidades e elementais

Apesar de muitos esotéricos não considerarem estes seres como implantes, eu assim os considero, porque estas coisas são coladas, literalmente, (às vezes, parafusadas) nas camadas e subcamadas energéticas do indivíduo.

A função destas criaturas diabólicas é capturar todas as informações emocionais e mentais da pessoa e servirem como "voz da consciência" a comandar as ações do implantado. A vítima "ouve" aquela voz lá no fundo dizendo: faça isso ou aquilo; ou ainda, emitindo opiniões sobre várias situações do cotidiano. Todo o processo ocorre "dentro da cabeça" da pessoa.

Outra coisa tenebrosa destas entidades é gerar estados mórbidos de consciência, causando depressão, medo, insegurança e complexos de inferioridade na pessoa. Causam também imagens distorcidas da realidade, fazendo com que o hospedeiro não consiga enxergar o óbvio das coisas. Por exemplo: uma garota muito magra, quase esquelética, olha-se no espelho e vê-se gorda, comparando-se a uma baleia. Por mais que alguém diga que ela está magérrima, quase doente, esta se enxergará gorda, insuflada.

Estas entidades são de difícil remoção, pois costumam ser afixadas em camadas muito profundas do ser, dificultando a percepção das equipes de ajuda. Em muitos casos, os magos negros e Ets costumam ludibriar as equipes da luz, colocando vários elementais nos corpos astrais da vítima, deixando para as camadas mais profundas a fixação daquelas entidades mais perniciosas. Quando as equipes de ajuda chegam, conseguem tirar apenas as entidades superficialmente colocadas, e vão embora. O indivíduo sente um certo alívio, mas não fica verdadeiramente curado.

Estas entidades costumam provocar desejo de suicídio, fobias diversas e reações extemporâneas. Causam, também, desequilíbrios emocionais e energéticos, o que facilita, enormemente, a colocação de outros implantes tenebrosos, como aparelhos e placas.

Capacetes, coroas e aneis

Estas peças são mais comuns do que parece. Muita gente carrega estes instrumentos em suas cabeças sem sequer desconfiar de tamanha maldade sofrida. Trata-se de implantes eminentemente fabricados por alienígenas de diversas raças; entre elas estão os zetas, os insectóides, os reptilianos e os draconianos.

A função destas peças é maligna ao extremo, porque servem de instrumentos de marcação para os seus implantadores, identificando a criatura implantada como uma "posse" de uma determinada raça de Ets, como acontece com um rebanho bovino marcado a ferro e fogo. Dessa maneira, os outros não se atreverão a mexer com ela.

Este capacetes, coroas e aneis brilham como aqueles brinquedos dos parques de diversão, emitindo luminosidade intermitente e apresentam-se envoltos em vários fios luminosos conectados aos chacras umeral, cardíaco e coronário do indivíduo. Com isso, os Ets podem acompanhar tranquilamente os passos do implantado e estimulá-lo a fazer o que bem quiserem.

Tais artefatos deixam a pessoa engessada emocional e mentalmente, transformando-a num espécie de robô teleguiado. Em alguns casos mais agravados, os implantados andam como zumbis entre nós, com olhar fixo e poucos movimentos fortes.

Servem também para sugar e monitorar o nível de energia do hospedeiro, funcionando como termômetros grudados ao corpo principal. Emitem uma vibração energética muito poderosa, capaz de interferir nas ondas psicomagnéticas do implantado com o objetivo de enfraquecê-lo potencialmente na sua vontade e no seu objetivo de vida.

São implantes colocados através de cirurgias meticulosas, parafusados a algumas partes do cérebro e às têmporas. A sua retirada depende de muita habilidade e técnica apurada por parte dos cirurgiões das hierarquias ascencionadas, e de um complexo sistema de segurança que mantém afastadas, por um tempo, as entidades controladoras daquela vítima. Qualquer deslize pode levar as equipes da luz a sofrerem violentos ataques, e até, aprisionamentos.

Estes objetos são instalados, normalmente, em prisioneiros das guerras entre civilizações, ou em trabalhadores da luz seqüestrados pelos engenheiros malignos, para que não se expandam em suas existências físicas ou não conturbem os projetos destas organizações trevosas no mundo astral. Quem recebe implantes dessa natureza, são considerados extremamente inferiores, merecedores de castigos e humilhações indizíveis pelo conhecimento científico humano.

Clones

Também os considero implantes. Trata-se de entidades construídas a partir da energia da pessoa vítima de ataques mágicos ou de alienígenas, principalmente os zetas. Os clones não são inseridos nos corpos astrais do indivíduo, mas ficam aprisionados em bases secretas localizadas no interior da terra ou em alguns pontos das infradimensões.

De lá, os engenheiros do mal torturam mental e emocionalmente a criatura-clone, a qual transmite, quase imediatamente, todos os efeitos destas torturas à pessoa com a qual mantém vínculo energético. O indivíduo pode possuir diversos clones alojados em estações do mal, trabalhando incessantemente para dominá-lo por completo e destruir todos os seus projetos existenciais, sob o comando de magos e/ou Ets.

Os clones são largamente utilizados pelas entidades malignas do plano astral. É uma forma de controle e ataque muito eficiente porque o agressor não precisa estar perto da vítima, o que impede a sua identificação e combate por parte das hierarquias ascencionadas ou pela polícia cósmica.

É como se o mago tivesse a própria pessoa presa ali, bem perto dele, podendo fazer com ela o que bem quisesse, monitorando todos os seus pensamentos, emoções e sentimentos sem ser detectado por nenhuma força contrária aos seus intentos.

Selos e marcas

Quase todos os humanos carregam algum tipo de selo ou marca gravada em seus corpos fluídicos, principalmente, o corpo astral. Alguns destes selos se parecem com códigos de barras e precisam passar por "leitura ótica" quando os seus portadores adentram espaços reservados aos iniciados e membros. Servem, também, como tatuagens características dos grupos tenebrosos e identifica gangues, quadrilhas, fraternidades, grupos militares, entre outros. Muitos artistas, empresários, líderes e comerciantes bem sucedidos no mundo físico pertencem a estas organizações nas outras dimensões.

As marcas costumam expor símbolos característicos de cada grupo ou facção. Por exemplo, os membros da fraternidade do dragão têm tatuado em seus corpos (geralmente na testa) uma face ou uma pata da família draconiana; e podem apresentar, ainda, gravações de númerais alienígenas desconhecidos de nós. Existem, também, sinais e palavras que funcionam como senhas de acesso aos chefes dos grupos formados por seres demoníacos conhecidos como demolidores ou regentes do mal.

Autor: Gesiel Albuquerque

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Descoberta a fórmula da Coca-Cola


A Coca-Cola é composta de óleos de laranja, limão, noz-moscada, de óleo de coriandro, óleo de flor de laranjeira, canela, álcool, suco de limão, baunilha, corante caramelo, açúcar e extratos de folha de coca "que contêm uma pequena quantidade de cocaína.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI4947408-EI8141,00-Radialista+anuncia+conhecer+a+formula+secreta+da+CocaCola.html

Clones Astrais


Trata-se de entidades construídas a partir da energia da pessoa vítima de ataques mágicos ou de alienígenas, principalmente os zetas. Os clones não são inseridos nos corpos astrais do indivíduo, mas ficam aprisionados em bases secretas localizadas no interior da terra ou em alguns pontos das infradimensões.

De lá, os engenheiros do mal torturam mental e emocionalmente a criatura-clone, a qual transmite, quase imediatamente, todos os efeitos destas torturas à pessoa com a qual mantém vínculo energético.

Os clones são largamente utilizados pelas entidades malignas do plano astral. É uma forma de controle e ataque muito eficiente porque o agressor não precisa estar perto da vítima, o que impede a sua identificação e combate por parte das hierarquias ascencionadas ou pela polícia cósmica.

É como se o mago tivesse a própria pessoa presa ali, bem perto dele, podendo fazer com ela o que bem quisesse, monitorando todos os seus pensamentos, emoções e sentimentos sem ser detectado por nenhuma força contrária aos seus intentos.

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 13 de fevereiro de 2011

O mito da Fênix

A fênix é um enorme pássaro da mitologia grega que, ao morrer, entrava em autocombustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Outra característica da fênix é a capacidade de transportar em voo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes.
[...]
A origem desta Ave vem dos desertos da Líbia e da Etiópia. Seu nome provém do grego “phoinix” que significa “vermelho”. A Fênix foi considerado por gregos e egípcios como um semideus, e segundo a lenda, este ser se consome em suas próprias chamas a cada 500 anos, para mais tarde renascer de suas delas como uma fênix jovem e nova.

Trata-se de uma ave considerada o mais belo de todos os animais fabulosos, simbolizando a esperança e a continuidade da vida após a morte. Revestida de penas vermelhas e douradas as cores do Sol nascente, possuía uma voz melodiosa que se tornava triste quando a morte se aproximava. A impressão que a sua beleza e tristeza causavam em outros animais chegava a provocar a morte deles.

O mito em geral, muito popular no Egito, diz que ela era única. Portanto, para assegurar sua descendência, quando sentia a proximidade da morte, fazia uma espécie de ninho com plantas aromáticas e ervas mágicas e, após atear-lhe fogo, instalava-se em seu centro. Das cinzas surgia uma nova Fênix, que transportava os restos do ninho para a cidade de Heliópolis, no Egito. Ali era adorado o deus Sol, Hélios, de quem, segundo uma versão, a ave era a encarnação.

Fonte:http://www.plox.com.br/caderno/bichos/f%C3%AAnix-o-enorme-p%C3%A1ssaro-da-mitologia-grega

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Chaves de Ezequiel (III)

Terceira Chave de Ezequiel: ez8:1-18-dd:06? 6=5

Sucedeu, pois, no sexto ano, no sexto mês, no quinto dia do mês, estando eu assentado na minha casa, e os anciãos assentados diante de mim, que ali a mão do poderoso ser caiu sobre mim.

E olhei, e eis uma semelhança como o aspecto de fogo; desde o aspecto dos seus lombos, e daí para baixo, era fogo; e dos seus lombos e daí para cima como o aspecto de um resplendor como a cor de âmbar.

E estendeu a forma de uma mão, e tomou-me pelos cabelos da minha cabeça; e o Espírito me levantou entre a terra e o céu, e levou-me a Jerusalém até à entrada da porta do pátio de dentro, que olha para o norte, onde estava o assento da imagem do ciúmes, que provoca ciúmes.

Então me disse: Entra, e vê as malignas abominações que eles fazem aqui.
E entrei, e olhei, e eis que toda a forma de répteis, e animais abomináveis, e de todos os ídolos da casa de Israel, estavam pintados na parede em todo o redor.

E levou-me para o átrio interior da casa e eis que estavam à entrada do templo, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o templo e com os rostos para o oriente; e eles, virados para o oriente adoravam o sol.

Por isso também eu os tratarei com ódio; o meu olho não poupará, nem terei piedade; ainda que me gritem aos ouvidos com grande voz, contudo não os ouvirei.


Autor: Profeta Ezequiel
Referência: Livro de Ezequiel, Cap. 8

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Pirâmides no Brasil

Tenho algo muito importante para lhes dizer. Poderá parecer para uns uma mera especulação fugidia da realidade. Para outros, apenas confirmará o que desconfiam ou o que já sabem há muito tempo. Falo da existência de milhares de pirâmides no Brasil. É isto mesmo! Milhares de pirâmides.

Algumas destas construções são catalogadas por agentes do governo brasileiro há muito tempo, pois eles possuem contato direto com os povos residentes no seu interior. É isso aí! Há milhares de seres morando dentro desses gigantes instalados em solo brasileiro. Os seus moradores são, obviamente, alienígenas pertencentes a várias raças estelares, algumas, morando neste planeta milhares de anos antes de nós. Uma parte destas raças nos criou e nos acompanha de perto, desde o nosso surgimento.

Você deve estar se perguntando, quais são e onde se encontram as tais pirâmides? Respondo sem titubear. Elas estão nas estradas, nas áreas rurais e, até, nas cidades grandes como Belo Horizonte, Manaus, Salvador e Rio de Janeiro; estou falando das montanhas no Brasil. Muitas dessas elevações consideradas naturais são, na verdade, pirâmides construídas por alienígenas; dentre eles estão os zetas, os insectóides e os reptilianos.

O Brasil não é o único país fora do eixo Egito-América Central a comportar em seu território estas aglomerações milenares. Na China, já foram descobertas e catolagadas aproximadamente 100 pirâmides iguais ou maiores que as existentes em território egípcio; com a diferença que, assim como em solo brasileiro, naquele país asiatico, elas estão cobertas por árvores e folhagens e parecem montanhas. O governo chinês proíbe qualquer pessoa de entrar naquelas montanhas.

Conta a história que dois comerciantes australianos se encontravam na região de planícies de Qin Chuan, na China central, quando descobriram as tais pirâmides. Quando perguntaram ao membro de um monastério local sobre elas, foram informados que, de acordo com os registros do templo, elas são muito antigas, possuindo algo em torno de 5000 anos de existência.

Para você ter uma noção mais ampla sobre a existência de pirâmides em várias partes do mundo, na Bósnia há pelo menos cinco delas catalogadas, especificamente na cidade conhecida como Visoko. E a maior pirâmide daquele país mede em torno de 220 metros. Para se ter uma ideia, a pirâmide mais alta do Egito mede 137 metros de altura.

Observe as várias montanhas próximas e perceba como elas são parecidas com pirâmides, com a diferença de estarem cobertas por arbustos ou vegetação rasteira; tudo isso para camuflar a sua existência. Já se perguntou o porquê das naves espaciais surgirem e desaparecerem sempre por detrás de montanhas? Isto não é à toa, já que suas bases estão sediadas nestes lugares.

Algumas destas elevações disfarçadas de montanhas são, na realidade, naves espaciais gigantescas escondidas em baixo da terra a grandes profundidades, para não serem detectadas por radares nem por outros equipamentos mais sofisticados como satélites. Aliás, a fuselagem destas naves é construída com material ainda desconhecido na Terra, dificultando, assim, a sua detecção pelos sensores magnéticos do nosso planeta, cuja tecnologia se baseia na ressonância da vibração dos corpos.

Estas "montanhas" servem como saída e entrada das pequenas naves e como suspiros para renovação de algum gás atmosférico do qual os seus moradores precisam para sobreviver, ou para fornecer energia aos seus aparelhos. Particularmente, acredito que eles utilizem bastante o oxigênio, o hélio e o hidrogênio. Além disso, algumas destas naves camufladas mantêm contato direto com o seu planeta de origem, através de ondas hiper digitais desconhecidas do homem, as quais se propagam através do éter e do plasma, possibilitando a comunicação completa entre os suas naves e eles.

Vale ressaltar que os ETs estão mais perto do que imaginamos. Eles não são espíritos no sentido lato do termo, mas atuam em qualquer dimensão simétrica ao nosso planeta e não podem ser vistos, pois utilizam uma avançada tecnologia de camuflagem, possibilitando-lhes andar entre nós invisivelmente e sobrevoar qualquer área sem que seus aparelhos voadores sejam detectados por nossos radares.

Resumindo:

A) Existem milhares de pirâmides no Brasil disfarçadas de montanhas. Ex.: Alto do Rio Negro (Região Amazônica), Serra do Roncador e Serra da Canastra, (Minas Gerais), Morro da Gávea, (Rio de Janeiro), Chapada Diamantina (Bahia);

B) Estas pirâmides são naves espaciais. A maioria delas é classificada como naves-mãe e possuem orifícios de saída e entrada para as naves menores;

C) Os Ets estão entre nós e nos influenciam mais do que a nossa vã filosofia pode supor. (Eles costumam instalar/soldar seus representantes dentro dos nossos corpos fluidicos).

Autor: Gesiel Albuquerque

Amor e Ódio


As ações humanas servem de base para o desenvolvimento de sentimentos diversos, principalmente os de ódio e amor. Ao realizarmos algo, e por alguém, causaremos uma impressão direta de simpatia, desprezo ou raiva em função dos resultados surgidos. Isto é naturalmente aceitável em nosso fazer diário: ao agradarmos alguém, sempre desagradaremos o outro.

Ao agirmos desta forma, estaremos provocando energias não somente porque as incomodamos, mas também, pelo fato de termos emitido as nossas, que, para uns, são bem vindas; e para outros, não. Repito: é natural. O que não é natural é o surgimento de laços profundos de amor é ódio em função de um agrado ou desagrado sofrido.

Quando o amor acontece, sentimo-nos plenos em nossas atitudes porque elas estão fortalecidas por um motivo eminentemente maior do que os nossos: a pessoa amada. Passamos a pensar no outro, quando nem pensávamos tanto; planejamos obras incríveis em função dele, ou dela, sem nem entendermos de projetos.

Ao surgir o ódio, a ojeriza por alguém se torna forte demais ao ponto de não enxergarmos qualquer qualidade passível de elogio. Ao contrário do amor, desejamos que aquela pessoa desapareça da nossa frente por acharmos a sua presença um obstáculo à nossa felicidade.

De forma simplificada, podemos utilizar estes dois sentimentos para darmos substância à análise das relações humanas dentro da realidade da terceira dimensão. Não é de bom alvitre à natureza humana deixar-se levar pela dualidade dos sentimentos, como se a existência fosse composta por, apenas, dois aspectos emocionais do pensamento. Não é isso, pode crer!

Verdadeiramente, amor e ódio estão separados por fios muito tênues, alimentados pelas opiniões e julgamentos de valor que fazemos do outro e das situações. Isto não significa, entretanto, que nossas avaliações sejam verdadeiras. Podem ser, portanto, extemporâneas e ligadas aos nossos interesses não (ou parcialmente) atingidos.

Quem ama pode odiar profundamente o objeto do seu amor. Quem odeia pode amar loucamente o objeto do seu ódio. Estes sentimentos fazem parte da mesma energia e não adianta evitar um ou outro, sempre acontecerá. E quando o amor se torna ódio, e vice-versa? Bem, o amor dá sinais de estar se transformando em ódio quando se mostra uma atitude mais de apego e possessão do que de respeito e humanidade. O ódio torna-se amor quando nos rendemos ao vencedor-odiado, voluntariamente.

Não se trata de chauvinismo da minha parte dizer estas coisas sobre dois lados tão distintos e, ao mesmo tempo, tão próximos nas emoções humanas. Tampouco é minha intenção fazer comparações, sejam elas estabelecidas nas diferenças ou nas semelhanças de um sentimento em relação ao outro. Não é, ainda, platonismo barato da minha parte estabelecer que amar é sofrer, porque, no fundo, você gostaria de odiar a quem você ama. Mas não consegue.

O poeta português Luiz Vaz de Camões (1524-1580), em seu delírio cósmico, insistiu em mostrar o quanto o amor queimava sem que a vítima sequer sentisse o ardor, teimou ao dizer, também, o quanto doía o amor sem que o ferido percebesse tamanha dor; e ainda declarava-se enfraquecido por esta grande força, não desejada por ele; mas nunca dispensada. Como retaliação a este sentimento incômodo, Camões criticou a sua solidão, apesar de estar acompanhado, o seu contentamento, embora estivesse triste, a sua vitória, mesmo tendo sido derrotado.

Em contrapartida, o médico austríaco Arthur Schnitzler (1832-1931), em seu livro "Relações e Solidão", informa como o ódio liga, muitas vezes, dois indivíduos, um ao outro, mais do que o amor. E apresenta como resultados do ódio a inveja, o ciúme, o rancor, entre outros; e como conseqüência do amor, a amizade, a solidariedade e a paixão.

O que devemos fazer para evitar sentir ódio? Penso que não devemos fazer coisa alguma. Afinal, isto é uma força da alma e não pode ser calada. Acho melhor tentarmos controlar o nosso ódio do que buscar matá-lo dentro de nós. Lembra-se do que falei? Ódio é amor, e amor é ódio. Ao querer aniquilar o ódio, você estará matando o amor; ao querer sufocar o seu amor, estará definhando o seu ódio. Para mim, estas duas forças devem existir em equilíbrio. Odiar é ruim, assim como amar intensamente é tão ruim quanto.

E como podemos manter um equilíbrio entre os sentimentos de ódio e amor? Olha, cada organismo emocional tem o seu ponto homeostático. Não há como alguém de fora determinar o que é bom ou ruim para você sentir. Se alguém lhe disser: ame muito! Tenha medo deste conselho. Se lhe disserem: odeie bastante! Fuja desta demanda. Conclusão: busque encontrar o equilíbrio entre as forças atuantes em você através do seguinte parâmetro: minha homeostase não pode existir em função do desequilíbrio do meu próximo.

Partir da homeostasia como parâmetro capaz de consubstanciar decisões sobre as melhores estratégias a serem implementadas, na busca pelo melhor ponto de convergência à sua tranqüilidade, também chamada de "paz de consciência", possibilita uma melhor avaliação sobre os atributos isonômicos possíveis das relações de poder entre o que se convencionou classificar como ódio e amor, sobre os quais afirmei fazerem parte da mesma energia.

Ame, mas tenha cuidado com o ódio. Odeie, mas se abra para o amor. Equilibre-se nesta fina corda bamba, e variante, das emoções possíveis de levar ao chão o aventureiro dedicado, demasiadamente, a um dos lados da força. Talvez fosse melhor ficarmos um pouco lá e cá, como na corda trêmula, a se balançar impreterivelmente para um canto ou para o outro. Analise-se, descubra-se, integre-se e seja feliz. Não se esqueça de orar e vigiar.

Autor: Gesiel Albuquerque
Imagem copiada de: http://lilicabel.blogspot.com/

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Missão da Nasa encontra sistema com seis planetas em órbita de uma estrela


Da Agência Fapesp

Encontrar outra Terra entre os trilhões (ou mais) de planetas no Universo é um desejo recorrente entre os astrônomos. Mas, até agora, dos mais de 500 planetas além do Sistema Solar que foram descobertos, nenhum se mostrou semelhante em massa, composição ou qualquer outra característica importante da Terra.

De qualquer maneira, a busca nunca viveu um momento como o atual. O motivo é a sonda Kepler, lançada em março de 2009 pela Nasa, a agência espacial norte-americana, com a missão de descobrir justamente planetas parecidos com a Terra em órbita de outras estrelas.

A edição desta quinta-feira (3/2) da revista Nature destaca na capa a nova e notável descoberta de um sistema formado por uma estrela parecida com o Sol, denominada Kepler-11, que tem seis planetas em trânsito (passam pela linha de visão entre a Terra e a estrela).

A descoberta, segundo os cientistas envolvidos, é importante por ampliar o conhecimento a respeito da formação de sistemas planetários. Poucas estrelas conhecidas têm mais de um planeta em trânsito, o que faz com que o Kepler-11 seja bastante incomum.

Segundo o artigo de Jack Lissauer, do Centro de Pesquisas Ames, da Nasa, e colegas os cinco planetas mais próximos à estrela têm órbitas relativamente curtas, que variam entre 10 e 47 dias, e uma configuração muito compacta. O sexto tem uma órbita mais extensa, de 118 dias.

Os primeiros cinco planetas estão entre os menores até hoje encontrados – com entre 2,3 e 13,5 vezes a massa da Terra – e, segundo as análises feitas, devem conter envelopes de gases leves. A missão Kepler coletará novamente dados sobre o sistema, que ajudarão os cientistas a conhecer melhor os planetas e suas interações no sistema.

“Dos seis planetas, o mais massivo é potencialmente semelhante a Netuno ou Urano, mas os três de menores massas são diferentes de qualquer coisa que tenhamos no Sistema Solar”, disse Jonathan Fortney, da Universidade da Califórnia em Santa Cruz, um dos autores do estudo.

Até então, apenas três exoplanetas (além do Sistema Solar) menores que Netuno haviam sido descobertos. Mais de 100 planetas em trânsito de suas estrelas haviam sido identificados com a ajuda da sonda Kepler e de outros telescópios, mas a grande maioria é composta por gigantes gasosos e quase todos estão em sistemas com um único planeta.

Dois textos na Nature comentam a descoberta e o sucesso da missão Kepler. Mas ressaltam que, apesar da identificação de vários planetas e de centenas de objetos candidatos que aguardam confirmação, o prospecto para os próximos anos não é otimista. O motivo é que as missões que sucederiam a Kepler foram ou canceladas ou adiadas indefinidamente por cortes no orçamento da Nasa.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/album/1102_album.jhtm?abrefoto=7

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Confie sempre


Não percas a tua fé entre as sombras do mundo. Ainda que os teus pés estejam sangrando, segue para a frente, erguendo-a por luz celeste, acima de ti mesmo; crê e trabalha.

Esforça-te no bem e espera com paciência: tudo passa e tudo se renova na Terra, mas o que vem do céu permanecerá. De todos os infelizes os mais desditosos são os que perderam a confiança em Deus e em si mesmo, porque o maior infortúnio é sofrer a privação da fé e prosseguir vivendo.

Eleva, pois, o teu olhar e caminha: luta e serve, aprende e adianta-te. Brilha a alvorada além da noite; hoje é possível que a tempestade te amarfanhe o coração e te atormente o ideal, aguilhoando-te com a aflição ou ameaçando-te com a morte. Não te esqueças, porém, de que amanhã será outro dia.

Autor: Chico xavier
Imagem copiada de: http://www.mensagensmagicas.com/imagenslindas.html

Tipos de implantes astrais (I)


Há diversos tipos de implantes conhecidos e estudados pelos espiritualistas; mas existem, também, outros utilizados pelas fraternidades do universo-denso, ignorados pela maioria das pessoas, que servem para impedir o encontro do ser com o seu Eu Divino. Apresentar-lhes-ei, paulatinamente, alguns destes artefatos bélicos. São eles:

Agulhas:

Na verdade, estes implantes não são agulhas no sentido lato do termo: são chamados desta forma porque se assemelham a elas. Seu formato, entretanto, lembra um fusível de carro. Na ponta destas peças, existe um led que acende quando estão ativadas.

Não são artefatos muito perigosos, mas são incômodos; e, se colocados em pessoas fracas, provocam um estrago grande, podendo induzi-las o suicídio. Estes aparelhos são fixados na nuca, nas têmporas ou na coluna vertebral e podem ser feitos de matéria densa ou de plasma. A função deles é monitorar os pensamentos da vítima, emitir relatórios sobre a sua genética e projetar imagens negativas em sua mente. Exemplo: você vê uma criança, sorrindo feliz, andando de bicicleta num lugar seguro; e, mesmo assim, vem ao seu pensamento a imagem dela envolvida num acidente grave.

Bichos e larvas:

Objetos compostos de tecido biológico. Isto é, produzidos com matéria orgânica animal, manipulada nas dimensões etéreas. A função destes bichos é corroer as camadas energéticas dos corpos e dos chacras para facilitar outros processos envolvendo roubo de energia. É um implante perigoso, já que se aloja no corpo da pessoa, ficando numa espécie de casulo, saindo, de vez quando, para alimentar-se da força vital do implantado. Geralmente, instala-se nas artérias dos corpos emocional e astral; mas podem ser encontrados em outras partes do organismo; por exemplo: no cordão prateado (fio energético e elástico que conecta a consciência ao corpo físico).

Bolha:

Este artefato é macabro porque destrói, completamente, a vida de alguém em questão de meses. É produzido nos laboratórios dos magos negros provenientes de outras civilizações do universo, os quais recebem ajuda tecnológica de ETs zetas e insectóides. Tem o formato de uma bexiga cheia de líquido escuro, colocada no crânio, acima das têmporas; e é feito a partir das substâncias físico-químicas (orgânicas e astrais) do implantado. Mede entre 1 e 2 cm e emite impulsos invertidos dentro do campo áurico do hospedeiro, provocando raiva, pânico e desequilíbrios emocionais. As pessoas se afastam do implantado como o diabo foge da cruz; e ele começa a perder bens materiais, amigos, dinheiro, vida social, etc., numa rapidez impressionante. Isto acontece mais frequentemente do que se imagina.

Chip:

Implante de avançada tecnologia cibernética advinda dos povos da Atlântida, a qual nunca foi um Continente, mas sim, um planeta. Os engenheiros renegados daquele mundo melhoraram a tecnologia de controle a que tinham acesso e passaram a trabalhar para outros povos guerreiros, voltados à dominação e escravização das demais civilizações. Faço aqui uma observação: a Atlântida é um topônimo criado pelo filósofo grego Platão (427-347 a.C.); entretanto, o nome daquele mundo é outro. Platão chamou-o assim devido à sua constituição majoritária de matéria líquida.

Os chips desempenham papel importante na mente humana, já que, uma vez instalados, transmitem informações para um telão localizado nas bases militares das trevas. Estas informações são armazenadas em HDs potentes a fim de servirem de arquivos para os engenheiros malditos elaborarem seus planos de destruição individual ou coletiva.

Estas plaquetas produzem o mapa genético fisiológico, mental, emocional e espiritual da vítima, transmitindo aos registros secretos todas as fraquezas e fortalezas do organismo atacado. Dessa forma, o mago pode elaborar planos meticulosos de observação, domínio e escravização contra o seu escolhido, processo que pode durar vários anos sem que o implantado nunca desconfie. Os chips costumam provocar, doenças fantasmas e facilitam a transmissão telepática ao indivíduo para que este realize todos os comandos do seu controlador.

Suponha, por exemplo, que as informações coletadas indiquem que a pessoa tenha propensão ao diabetes, mas ainda não desenvolveu a doença. Então, o zebu do inferno envia sugestões telepáticas para que o seu teleguiado coma bastante, até engordar morbidamente. Com o tempo, o gordinho desenvolverá diabetes sem perceber que tudo foi resultado de uma ação maligna contra ele.

Cristal:

É um implante poderoso porque consegue absorver, sintetizar e descodificar padrões energéticos, tirando o ser do seu equilíbrio emocional e mental. O cristal costuma ser colocado na região do chacra umeral (nuca), ou nos chacras cardíaco e umbilical. Quando estão ativados, emitem luminosidade intermitente, em consonância com a pulsação bioelétrica do implantado, gerando um campo vibracional distorcido e atraindo fluídos densos e entidades sombrias para a malha energética do hospedeiro.

Os cristais são muito perigosos, pois são fruto de tecnologia zeta, usados para romper as barreiras de proteção divina com as quais nascemos. São utilizados pelas forças malignas desde as guerras entre os mundos, visando ao controle da mente e à tortura dos prisioneiros de guerra. Podem emitir um tipo de vibração quase imperceptível, que desorganiza as estruturas moleculares, desprogramando os códigos instalados em nossa memória celular pelo Conselho Reencarnatório.

Nano-robôs:

São muito pequenos e possuem formatos diversos, variando entre desenhos piramidais, trapeziais e esféricos. Normalmente, apresentam alguns filamentos que servem para sua locomoção e fixação no organismo astral ou físico. Uma vez adaptados ao corpo, é difícil removê-los, pois podem se unir aos tecidos moleculares e tornar delicada a sua remoção; e produzem substância cancerígena.

Estes micro-robôs têm a capacidade de se multiplicar dentro do organismo, sendo cada parte duplicada portadora da programação original, com acréscimos. É um artefato dificílimo de ser removido porque se multiplica com grande rapidez. Se apenas um deles permanecer, poderá recomeçar toda a programação de ataque iniciada anteriormente pelos outros.

Creme:

Trata-se de um implante eminentemente produzido pela magia negra e transmitido através do beijo ou da comida. Funciona assim: o mago negro cria um elemental humanóide muito bonito e atraente. Se for mulher, geralmente, estará vestida de vermelho; se for homem, sempre apresentará porte atlético. Ao dormir, a pessoa se depara com estes escravos tentando convence-la a ingerir algo oferecido por eles, ou a beijá-los . Ao fazer isso, ela engole um creme com aspecto de lama (fétida e escura), que gruda nas paredes do estômago. Tal substância causará mau hálito e identificará o implantado no mundo astral.

Autor: Gesiel Albuquerque
Imagem copiada de: http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=24988

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Pra que?


Pra que mexer com quem está quieto?


"Fotos mostram índios isolados no Brasil.
As fotos foram tiradas pela Funai (Fundação Nacional do Índio), que autorizou a Survival utilizá-las como parte de sua campanha para proteger o território dos índios isolados.

Elas revelam uma comunidade próspera e saudável com cestos cheios de mandioca e mamão fresco cultivados em suas roças".

Fonte: http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2011/01/31/fotos-mostram-indios-isolados-no-brasil.jhtm