sábado, 30 de abril de 2011

Ora-Ação

Orar não é uma ação simplória que envolve a repetição de palavras; orar, na verdade, significa agir. E quando agimos movidos pela força dos nossos sentimentos e pensamentos, conseguimos plasmar profundas transformaçãoes nas dimensões às quais estamos conectados e com as quais interagimos constantemente a partir da 3D, apesar de não precebermos.

Tudo o que acontece em nossa vida material, ocorre primeiramente lá, na(s) dimensões astrais, de onde viemos e nas quais ainda estamos agindo veementemente. Portanto, quando oramos, agimos para (re)criar realidades; mas tudo começa no mundo etéreo da nossa consciência e depois se concretiza aqui. Buda, Jesus, Gandhi, Irmã Dulce, Chico Xavier oravam 24h por dia, ao agirem constantemente em favor de todos.

Um lembrete: você pode transformar a sua existência através da energia das palavras que saem do seu coração, e por causa delas, mover outras energias para materializar aquilo que você idealizou. A este processo, dá-se o nome de oração. Isto é, ação. O desejo é uma forma de agir poderosa, e nada está parado no universo, mesmo que pareça estar.

Autor: Gesiel Albuquerque

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Kate e Williams

Parabéns a este casal. Que tenham muita felicidade juntos!
São os votos de Gesiel Albuquerque

Príncipe William e Kate Middleton se casaram na Abadia de Westminster, em Londres, na manhã desta sexta-feira (29), em cerimônia que foi marcada pelo carinho do casal entre si. Quando o arcebispo Rowan Williams começou a rezar a missa, diante da emoção da noiva, William tocou seu ombro e sussurrou palavras que a fizeram rir. Ele se aproximou um pouco mais, colocou seu rosto na frente do de Kate e abriu um largo sorriso.


Fonte: http://diversao.terra.com.br/gente/casamento-real/noticias/0,,OI5101430-EI18060,00-Principe+William+e+Kate+Middleton+dizem+sim+no+altar.html

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Mahatma Gandhi

Eu creio em mim mesmo. Creio nos que trabalham comigo, creio nos meus amigos e creio na minha família. Creio que Deus me emprestará tudo que necessito para triunfar, contanto que eu me esforce para alcançar com meios lícitos e honestos. Creio nas orações e nunca fecharei meus olhos para dormir, sem pedir antes a devida orientação a fim de ser paciente com os outros e tolerante com os que não acreditam no que eu acredito.

Creio que o triunfo é resultado de esforço inteligente, que não depende da sorte, da magia, de amigos, companheiros duvidosos ou de meu chefe. Creio que tirarei da vida exatamente o que nela colocar. Serei cauteloso quando tratar os outros, como quero que eles sejam comigo. Não caluniarei aqueles que não gosto.

Não diminuirei meu trabalho por ver que os outros o fazem. Prestarei o melhor serviço de que sou capaz, porque jurei a mim mesmo triunfar na vida, e sei que o triunfo é sempre resultado do esforço consciente e eficaz. Finalmente, perdoarei os que me ofendem, porque compreendo que às vezes ofendo os outros e necessito de perdão.

Mas creio que a não-violência é infinitamente superior à violência, o perdão é mais nobre que a punição. O perdão enobrece um soldado. Mas a abstenção só é perdão quando há o poder para punir; não tem sentido quando pretende proceder de uma criatura desamparada. Um camundongo dificilmente perdoa um gato que o dilacera.

Compreendo os sentimentos daqueles que clamam pela punição condigna do General Dyer e outros iguais. Haveriam de esquartejá-lo, se pudessem. Mas não creio que a Índia seja desamparada. Não me considero uma criatura desamparada. Apenas quero usar a força da Índia e a minha própria para um propósito melhor.

Autor: Mahatma Gandhi
Conseguiu libertar o povo indiano do domínio inglês

terça-feira, 26 de abril de 2011

E o verbo se fez carne

Podemos mudar os acontecimentos com a nossa vontade. Tudo começa através dela; sem ela, o mundo, o universo, as criaturas, nada disso existiria. Lembre-se da frase "e o verbo se fez carne". O autor deste pensamento quis dizer o seguinte: a vontade se materializou, a inspiração se transformou em transpiração, a ideia se fez concreta.

Portanto, antes de achar que tudo está perdido, pense em querer o fim ou o começo de uma outra fase para a sua vida. Não desista nunca, não esmoreça porque isso enfraquece o seu desejo de se manifestar para o universo. Faça do seu verbo a sua realização e busque transformar a sua realidade querendo produzir outras situações menos traumáticas e mais consistentes para a sua vida.

Certa vez, o messias passava pela multidão que, alvoroçada, deixava-o quase invisível entre tanta gente e muito movimento. De repente, alguém lhe toca a roupa e o olha pedindo misericórdia pela sua situação. Acreditava aquela pessoa que bastava tocar-lhe a túnica e sua doença seria curada. E assim aconteceu.

Ao perceber aquele toque, o mestre olhou-a e disse: _ a tua fé te curou. Isto é, o desejo de curar-se, a vontade de se ver livre dos problemas que a atormentavam. A pessoa em questão era uma mulher que portava uma hemorragia intensa, a qual não havia conseguido estancar. Mas a sua vontade produziu efeitos milagrosos sobre a sua fé. Como se pode notar, tudo começa com o querer, e o universo se abre para realizá-lo. Não custa nada, entretanto, termos um cuidado absoluto com o que queremos.

Autor: Gesiel Albuquerque

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Sem comentários...

Este blog é muito visitado. Porém, será que, entre tantos artigos, nenhum provoca o leitor a dizer o que pensa? Esta omissão serve para você não discutir temas polêmicos?

Fases da vida e a espiritualidade

Nascer, crescer e morrer: numa visão, também, espiritualista, trata-se de três fases distintas da existência humana, cujas nuances podem ser diversas, dependendo de como conduzimos os processos envolvendo nossas decisões. Durante a infância, a participação dos pais se torna marcante sobre como iremos pautar as nossas atitudes e maneira de encarar a vida. Algumas crianças costumam aprender com os erros dos outros para não mais repeti-los. Outros, no entanto, nem se tocam para o aprendizado que podem absorver das experiências alheias, e assim continuam a agir pelo resto de suas vidas. Autor: Gesiel Albuquerque


Jovens e adolescentes costumam errar muito, pois esta é a fase em que se encontra um turbilhão de agitações orgânicas e psicológicas com grandes efusões, nem sempre controladas. Como conseqüência, algumas pessoas apresentam quadros estranhos relacionados ao isolamento, à depressão ou à fuga da vida. É neste momento que nos tornamos mais frágeis e fáceis de sermos manipulados tanto por consciências encarnadas quanto por aquelas desencarnadas.

Quando os dramas da infância e da adolescência não são totalmente resolvidos, a fase adulta tende a ser problemática. Talvez por isso não seja difícil encontrar tantos pais e mães violentos ou estressados; ou ainda, amigos tensos e mórbidos. Boa parte destes efeitos possui causa na primeira jornada da vida terrena. Atrelados a isso, está o nosso arcabouço espiritual como viajantes estelares provenientes de vários mundos bastantes diferentes do planeta Terra. Destes lugares, trazemos amigos e muitos inimigos; traumas e muitas realizações exitosas; conquistas e muitas derrotas. Agora, imagine tudo isso conturbando a mente de uma pessoa de pouco mais de 12 ou 16 anos.

Ao escrever sobre isso, não pretendo dar resposta a nenhum sofrimento (até porque, não sou psicólogo), mas tentar mostrar que, por sermos seres espirituais vivendo experiências físicas, estamos confinados a uma espécie de realidade cruel na qual nos são retirados os nossos principais "poderes", isto é, as nossas lembranças e a noção de sabermos quem, ou o que, somos de fato. Caros amigos, a situação não é fácil!

Voltando à fase adulta, é nesse etapa em que se solidificam as crenças e valores ético-morais e ganha-se maior habilidade para lidar com as intempéries do destino. Quando adultos, costuma-se buscar a realização dos sonhos e desejos, muitas vezes alentados durante a infância e adolescência, porém nunca postos em prática. Aí entra a questão da ética e da moral: é nessa hora que muita gente fraqueja e se entrega à corrupção dos seus valores, sentimentos e limites, na tentativa de alcançar os seus objetivos, não importando os meios pelos quais eles serão atingidos. Isto é: "os fins justicariam os meios". (teoria de Maquiavel)

É ainda na fase adulta que os processos obsessivos (psicológicos e espirtuais) se tornam ainda mais críticos, porque muitos obsediados pensam não existir solução para o seu problema e costumam se entregar por inteiro ao fracasso, chegando, muitas vezes, a se matarem. É nesse período, também, que muitos se entregam, com mais ardor, aos cultos, rituais mágicos e religiosidade, associando-se a forças supostamente iluminadas, porém, na verdade, tenebrosas. Se observarmos com mais atenção, a vida costuma se repetir, alternando momentos de equilíbrios e desequilíbrios, alegrias e sofrimentos.

Na prática, a verdadeira busca de todo ser humano neste planeta é pelo equilíbrio (em qualquer grau ou situação) e pelo bem-estar. Na maioria das vezes, não se alcança nem um nem o outro. Basicamente, as ações e reações giram em torno dessa perspectiva. Não estou sendo, entretanto, reducionista e nem quero dizer que a vida se limita a apenas isso, mas o foco do universo é nos provocar a buscar um determinado estado homeostático, e cada indivíduo tem o seu.

Ao entrar na terceira idade (velhice), as pessoas já se preparam para enfrentar limitações orgânicas e motoras as quais vão se agravando à medida que a idade avança. Trata-se de mais um desafio ao espírito encarnado para se manter firme no corpo físico e lutar por uma maior permanência no planeta. Isso, contudo, não é ruim, mas limita a visão consciencial do indivíduo viajante das estrelas. Ou seja, nunca devemos nos esquecer que somos mais do que um corpo físico envelhecendo inexoravelmente, somos muito mais, somos seres astrais eternos.

Morrer é um verbo forte para a nossa cultura porque nós, ocidentais, não sabemos lidar habilmente com a morte, já que a mesma, para alguns, envolve perdas emocionais e afetivas muito profundas. No entanto, quando soubermos lidar com a morte como um fato natural e impreterível, poderemos, possivelmente, aceitá-la não apenas como uma perda ou trauma, mas sim, como uma transição entre realidades: sairemos de uma dimensão (física) e partiremos para outra (sutil, energética).

Curiosamente, ao transcedermos para outra dimensão, seremos mais livres do que na 3D. Pois, na dimensão astral, as entidades podem ver, sentir, ouvir e, em alguns momentos, interagir com os que ficaram no corpo físico. E por que isso acontece? Porque estaríamos a exercer a nossa verdadeira condição existencial: a de seres fluídico-energéticos, animados por uma mente infinita. Neste processo, nascer, crescer e morrer perdem o sentido temporal-linear e se incorporam a uma única realidade, a qual demonstra que nossas identidades e consciência de permanência, ou de manifestação, estão ratificadas no eterno agora, e dele nunca sairemos.

Enxergar-se assim favorece ao ser humano uma análise mais apurada das experiências pelas quais ele tem passado ou está enfrentando. A noção de sofrimento, como tem sido ensinada pelas religiões e seitas, perde o seu caráter restritivo e, em alguns casos, punitivo, para ganhar amplidão sobre o entendimento das nossas (inter) relações com cada ser do universo criado pela Grande Mente Cósmica. Nesta relação, estão as formas como agimos uns com os outros e como tratamos a fauna e a flora, as águas e o solo. Tudo está sutilmente imbricado e quando mexemos com algo, automaticamente, influenciamos a realidade do outro.

domingo, 24 de abril de 2011

Amuleto de Proteção

É preciso que você confie mais no seu poder interior de transformar os fatos ao seu redor. É preciso também que todos os humanos tenham mais cuidado com o que desejam e ao que se associam para que estas associações e vontades não se voltem contra si no futuro.


Ainda ontem, encontrei uma mulher num restaurante onde eu ía almoçar. Ela carregava pendurado em seu pescoço o símbolo de Salomão (a estrela de seis pontas). Este símbolo é usado tanto pelas fraternidades tenebrosas quanto pelas hierarquias ascencionadas. Perguntei-lhe, então, se ela tinha consciência do significado e da energia gerada por ele. Ela me disse que sim, e sabia muito bem para que ele servia e porque estava usando-o.

O mesmo símbolo utilizado como amuleto de proteção pode, quando não aplicado corretamente, gerar uma energia capaz de abrir todas as nossas defesas psíquicas e astrais, permitindo que magos negros se aproveitem destas brechas e nos influenciem diretamente.

A energia em si é neutra. Sua aplicabilidade dependerá da intenção daqueles que a manipulam. Lembre-se que ao mobilizar uma energia em favor do seu bem, você estará causando algum tipo de incômodo ou mal em algum ser ou local das dimensões, e toda ação gera uma reação. Por isso, é muito importante saber exatamente o que se quer quando se mexe com as energias pululantes do universos externos e internos.

Autor: Gesiel Albuquerque

Chapada Diamantina

                                                                            Beleza natural, graça divina.
                                                                                     Ribeirão do Meio 
                                                                               Lençois - Bahia - Brasil

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Contaminações energéticas

Existem outros tipos de contaminações energéticas, cujos elementais artificiais8 envolvidos adquirem outros aspectos, sempre relacionados a "moldes" do plano físico. Algumas criações mentais inferiores, principalmente aquelas desenvolvidas em laboratórios de espíritos especializados no mal, apresentam-se com o aspecto das lacraias. Embora, no mundo físico, o veneno das lacraias não seja considerado muito tóxico para o homem, as formas astrais desses parasitas sintonizam-se geralmente com os elementos do sexo desrespeitoso e vulgar. São criações mentais elaboradas e mantidas com o intuito de sugar especificamente as energias sexuais e estimular o desejo descontrolado pelo sexo fácil e intenso, mas que jamais satisfaz os anseios do indivíduo. Isso ocorre porque as formas energéticas que contaminam o hospedeiro, introduzidas nas regiões genital e anal, alimentam a compulsão pelo sexo.

Fisicamente, poderão ser detectados, em alguns casos, dores fortes e inchaço (ou edema) no local onde as formas energéticas são implantadas e se prendem por magnetismo. O alvo ainda está sujeito a apresentar estado febril, calafrios, tremores e sudorese, além de pequenas feridas na região afetada, por onde os parasitas penetram no interior do corpo físico e, por conseguinte, do duplo etérico. É bastante comum também que as formas astrais de lacraias estejam associadas, no corpo físico, ao aparecimento do vírus conhecido como HPV.

Autor: Robson Pinheiro
Trecho extraído do livro "Legião".

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Nossos pensamentos


Nossos pensamentos nos deixam em conexão direta e ininterrupta com bases e fraternidades do mundo astral. Muito do que pensamos não tem nada a ver com o que de fato queríamos. De forma sutil e extremamente maquiavélica, somos induzidos a fazer ou a imaginar coisas para fortalecer as nossas ligações com os nossos “inspiradores astrais”, as quais,na maior parte das vezes, permanecem mais fortes e íntimas. Confesso que isso não é uma boa coisa, embora, em alguns momentos, pareça ser.

A maior parte dos humanos nem se dá conta de tamanha influenciação mental e psicológica, a qual acaba se refletindo sobre suas emoções e sentimentos. Pensamentos de raiva, inveja, ciúme, irritação, honra ferida, indignação, entre outros, são os mais freqüentes na hierarquia das ocupações da psique. Acompanham tais pensamentos milhares de imagens que se repetem e se reproduzem como células na fase meiótica. Isto é, 1=2=4=8=16... ao infinito.

Ao falar sobre isso, não digo que somos vítimas apenas. Pelo contrário, tais conexões se estabelecem porque nossas energias celulares se expandem e se coadunam com muitos propósitos tenebrosos possíveis, alguns inconfessáveis. Muitas vezes, tais propósitos estão disfarçados de sugestões nobres em prol do bem maior. Ledo engano! Quando se percebe o engodo, já é tarde demais.

Niguém, absolutamente ninguém está livre das influências astrais malígnas sobre os seus pensamentos e emoções, mesmo aqueles aparentemente 'iluminados'. Há pessoas que se sentem protegidas dos ataques tenebrosos por acreditarem possuir guias espirituais poderosos. No entanto, nem desconfiam da desproteção na qual estão imersas e se deixam levar por sugestões e pensamentos advindos dos seus supostos protetores, os quais são, em muitos casos, entidades trevosas disfarçadas em seres de luz.

Quem quiser combater isso dentro de si, aconselho a orar e vigiar. É difícil, mas o caminho mais prático é este. Ao me refirir à oração, não falo apenas sobre balbuciar palavras ou rituais, mas sim, ativar os pensamentos através de ideias construtivas, sadias e eficazes que mantêm a ecologia mental e não agridem a integridade das outras consciências .

Quando falo em vigilância, refiro-me a permanecermos atentos a todas as formas de trapaças psicológicas e emocionais suficientes para nos levar a fazer pactos (voluntária ou involutariamente) com as forças sombrias e delas não nos livrarmos tão cedo. Como eu disse, isso não é nada fácil; em outras palavras, é quase impossível exercer a vigilância e a oração eficazmente porque nossas ligações anscestrais aos diversos Eus da nossa formação energética nos conectam a mundos, situações, seres e 'missões', multi e infradimensionais, sofríveis

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 17 de abril de 2011

Tipos de medos

1. Ablutofobia = medo de lavar-se ou de tomar banho.

2. Aclofobia = medo de multidões.

3. Acousticofobia = medo de ruído.

4. Afefobia = medo de ser tocado.

5. Agliofobia = medo de sentir ou sofrer dores.

6. Agorafobia = medo de lugares públicos com multidões, a grandes espaços descobertos ou ao sair de casa .

7. Baofobia = medo de ser incapaz de ficar em pé ou de andar e cair.

9. Barofobia = medo da gravidade. (atração que a Terra exerce sobre
qualquer corpo colocado nas suas vizinhanças).

10. Biofobia = medo de viver, ou do convívio com o gênero humano.

11. Blennofobia = medo de lama, lodo ou coisas viscosas.

12. Bogyfobia = medo de duendes ou espantalhos.

13. Bolshefobia = medo dos bolchevistas e por extensão aos comunistas.

Robson Pinheiro

Os Exus

Muitos do próprio culto confundem os exus com outra classe de espíritos, que se manifestam à revelia em terreiros descompromissados com o bem. Na Umbanda a caridade é lei maior, e esses espíritos, com aspectos os mais bizarros, que se manifestam em médiuns são, na verdade, outra classe de entidades, espíritos marginalizados por seu comportamento ante a vida, verdadeiros bandos de obsessores, de vadios, que vagam sem rumo nos subplanos astrais e que são, muitas vezes, utilizados por outras inteligências, servindo a propósitos menos dignos.

Além disso, encontram médiuns irresponsáveis que se sintonizam com seus propósitos inconfessáveis e passam a sugar as energias desses médiuns e de seus consulentes, exigindo ”trabalhos”, matanças de animais e outras formas de satisfazerem sua sede de energia vital. São conhecidos como os quiumbas, nos pântanos do astral.

São maltas de espíritos delinqüentes, à semelhança daqueles homens que atualmente são considerados na Terra como irrecuperáveis socialmente, merecendo que as hierarquias superiores tomem a decisão de expurgá-los do ambiente terrestre, quando da transformação que aguardamos no próximo milênio.

Os médiuns que se sintonizam com essa classe de espíritos desconhecem a sua verdadeira situação. Depois, existe igualmente um misticismo exagerado em muitos terreiros que se dizem umbandistas e se especializam em maldades de todas as espécies, vinganças e pequenos ”trabalhos”, que realizam em conluio com os quiumbas e que lhes comprometem as atividades e a tarefa mediúnica. São, na verdade, terreiros de Quimbanda, e não de Umbanda. Usam o nome da Umbanda como outros médiuns utilizam-se do nome de espíritas, sem o serem.

Os espíritos que chamamos de exus são, na verdade, os guardiães, os atalaias do Plano Astral, que são confundidos com aqueles dos quais falamos. São bondosos, disciplinados e confiáveis. Utilizam o rigor a que estão acostumados para impor respeito, mas são trabalhadores do bem. Como nós, não exigem nem aceitam ”trabalhos”, despachos ou outras coisas ridículas das quais médiuns irresponsáveis, dirigentes e pais de santo ignorantes se utilizam para obter o dinheiro de muitos incautos que lhes cruzam os caminhos. Isso é trabalho de Quimbanda, de magia negra. Nada tem a ver com a Umbanda.
 
Autor: Robson Pinheiro
Livro: Tambores de Angola (p. 28)

sábado, 16 de abril de 2011

Glenda

                                                     Foto: AgNews

Bela.
Casada?
Competente.
Glenda:
Global!

Autor: Gesiel Albuquerque

sexta-feira, 15 de abril de 2011

DAÍ KO MYO



Símbolo do Mestre Usui, é o símbolo mestre da capacitação através dos planos.

Todo elemental removido dos pacientes precisa ser acondicionado numa bolsa etérica violeta, projetada pelo terapeuta, onde são aprisionados e entregues à hierarquia médica. Caso contrário, o elemental fica solto e pode se acoplar ao terapeuta invigilante. Este “saco de lixo” é uma segurança para ambos, terapeuta e cliente.

(É um símbolo de conexão com importantes hierarquias espirituais ligadas ao Mestre Usui e aos Mestres de Cura Estelar de cada iniciado, membro de grupo de cura, encarnado na terra).

Cada pessoa que desenvolve atividades alternativas, levada por processos inusitados, é um braço de um grande movimento espiritual para ajudar a humanidade.

Cada um é integrante de importante grupo de Mestres Espirituais, empenhados em ajudar o despertar da humanidade. Lembre-se, Nada é por acaso.

Se você se tornou um reikiano, ou pertence a qualquer linha alternativa de cura, quer dizer que: é um discípulo de sua espiritualidade e tem o compromisso de ajudar a todos, quando possível.
Fonte: http://astrologiaetarot.no.sapo.pt/simbolosquanticos.htm

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Paulo Coelho (V)

Visões de um mestre

Enquanto o mestre viajava para divulgar a palavra de Deus, a casa onde vivia com seus discípulos pegou fogo.


- Ele nos confiou este lugar, e não soubemos cuidar direito – diz um dos discípulos.

Imediatamente, começam a reconstruir o que sobrou do incêndio – mas o mestre volta antes da hora e vê os trabalhos de reconstrução.

- Então, estamos melhorando: uma casa nova! – diz, com alegria.

Um dos discípulos, envergonhado, conta a verdadeira história: o local onde moravam fora destruído pelas chamas.

- Não consigo entender o que está me contando – responde o mestre.

- O que vejo são homens com fé na vida, começando uma nova etapa. Aqueles que perderam a única coisa que tinham estão em melhor posição que muita gente; porque, a partir de agora, só têm a ganhar

Autor: Paulo Coelho

Ufologia

Na casuística ufológica mundial, existem centenas de relatos de contatos íntimos entre homens e seres extraterrestres. Em muitos casos os humanos são levados aos interiores das naves e lá permanecem por até semanas, sendo devolvidos em seguida. Na maioria dos casos ocorrem raptos de humanos, pois os homens não estão ainda preparados para esse tipo de experiências.

Poucos são aqueles que voluntariamente se submeteriam a esse tipo de contato. Assim os irmãos extraterrestres necessitam abduzir algumas pessoas, no sentido de adiantar os fatos para alguns, em contrapartida despertar a curiosidade e o espírito de pesquisa em outros para que a humanidade possa ser paulatinamente preparada para contatos futuros.

Hoje existem milhares de grupos sérios que reúnem-se pelo mundo todo em congressos para discutir e avaliar as pesquisas. Livros, revistas, jornais, televisão, todos os meios de comunicação estão atentos às noticias sobre a aparição de UFO's e coisas do gênero. A humanidade começa a despertar para essa nova realidade e possibilidade.

Com o advento da era espacial o homem começou a olhar mais longe, lá para as estrelas, e perceber que faz parte de um universo monstruoso que desafia a sua inteligência. O homem começa a compreender que existe um universo de bilhões de estrelas e bilhões de galáxias e que a vida não é privilégio deste pequeno e isolado mundo neste canto íntimo dessa ínfima galáxia.
 
Autor: Laércio B. Fonseca
Disponível em: http://www.projetoterra.com/

terça-feira, 12 de abril de 2011

Sargento Alves: um heroi não reconhecido como devia

 
O Sargento Alves recebeu promoção por bravura, indo de terceiro para segundo na hierarquia sargentícia. Tenho uma pergunta para o governador do Rio, Sergio Cabral. Por ter conseguido evitar um massacre ainda mais aterrorizador, o policial merece apenas uma divisa sobre a sua insígnia? Sinceramente, acho muito pouco para um heroi.

A meu ver, o Alves merecia ser promovido a sub-tenente e ter o direito de cursar academia de oficiais. No oficialato, tenho certeza que o militar daria lições de dignidade, bravura e combate sério. Penso ainda, que ele merece tal reconhecimento, porque na história da humanidade, poucos agiram com tamanha bravura em favor da vida. Em muitos episódios históricos, muitos foram bravos, porém, em prol da carnificina. Vide a guerra do Brasil, e aliados, contra o Paraguai.

Enquanto o atirador macabro recebia todas as "homenagens" das televisões e, inclusive, das páginas da internet, tendo seu nome pronunciado, ou escrito, a cada 10 segundos, o então teceiro-sargento Márcio Alexandre Alves e os cabos Denilson Francisco de Paula e Ednei Feliciano da Silva passavam quase despercebidos da grande mídia, apesar da importância do seu feito para os brasileiros e para humanidade.

Na última semana, o matador foi mais falado, mais pesquisado, mas citado e mais assistido do que muitas celebridades. É preciso rever essa paixão da imprensa pelo tema violência. Enquanto isso, os reais merecedores dos holofotes não tiveram a atenção merecida. Lamentável!

Peço ao Cabral e ao comandante da PM carioca que revejam esta promoção, melhorando-a, dando ao sargento o seu verdadeiro valor. Há tantos soldados não merecedores das patentes que ostentam! A mais, o sargento estaria elevando o nome da polícia militar do Rio de Janeiro, tão vilipendiada por alguns maus policiais.

Estendo o meu pedido pelos cabos que participaram da operação.

Autor: Gesiel Albuquerque

domingo, 10 de abril de 2011

Desafios do mundo


É preciso ter muita força (orai) e cuidado (vigiai) para enfrentar os desafios do mundo físico e extra-físico. É preciso ainda ter muita força de vontade e discernimento para não se enveredar pelos caminhos dos enganos urdidos pelas forças tenebrosas.

Não adianta, entretanto, ter determinação e continuar pactuado com situações, energias, seres e locais traumáticos ou traumatizados pelas nossas ações. Pois, isso só nos manterá presos às realidades passadas que não vão permitir a nossa continuidade no fluxo da existência, em busca de outras experiências e de outras modalidades de desafios, capazes de nos fornecer melhor entendimento sobre a nossa condição de seres eternos.

Não serve avançar dois passos e retroagir quatro outros simultaneamente, já que, dessa forma, a pessoa nunca sairá da posição onde se estagnou, não podendo, portanto, buscar a sua verdadeira realização. Os travadores psicológicos e emocionais estão dentro de cada pessoa. São eles que obliteram a nossa visão e nos impedem de seguir a jornada livres de medos, culpa, remorsos ou apegos excessivos.

Faz-se necessário, urgentemente, remover os tais obstáculos astrais, emocionais e psicológicos a fim de possibilitar uma caminhada mais leve e menos sofrida. Quando eles forem destruídos, as forças externas não encontrarão chance de atuar veementemente sobre nós e acabarão nos deixando livres para seguir. No entanto, estas consciências macabras estarão sempre à espreita, buscando uma única brecha para adentrar e destruir o nosso império espiritual. Por isso, todo cuidado é pouco. 
Autor: Gesiel Albuquerque

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Ataques dos inimigos


Os inimigos astrais conseguem nos vencer através de métodos escusos e tenebrosos, os quais envolvem lavagem cerebral e programações hipnóticas poderosíssimas que inibem e neutralizam a vontade da vítima.

Sua forma de ataque é muito perversa, envolvendo procedimentos de guerra altamente treinados e sofisticados; como: observação, controle, implantação, hipnoses contendo falsas crenças, roubo de energia e morte.

Os guerreiros das trevas aplicam engodos milimetricamente arquitetados com base em todas as informações obtidas da própria pessoa. Os tenebrosos destroem os humanos sem dó nem piedade e objetivam deixá-los, literalmente, na lama. Trata-se de egrégoras poderosas agindo em bando sem o menor pudor e sem qualquer misericórdia pelos seus alvos.

Aproximadamente quinhentas entidades se envolvem direta ou indiretamente contra os indivíduos escolhidos, roubando-lhes energias e insuflando, na humanidade, pensamentos e sentimentos de ódio, terror e maldade contra eles.

Autor: Gesiel Albuquerque

terça-feira, 5 de abril de 2011

Oração de libertação


Vinde, Espírito Santo, penetra as profundezas da minha alma com o teu amor e poder. Arranca as raízes mais profundas e ocultas da dor e do sofrimento que estão enterrados em mim. Aniquile definitivamente toda ansiedade que trago em mim, toda amargura, angústia, sofrimento interior, desgaste emocional, infelicidade, tristeza, ira, desespero, inveja, ódio e vingança, sentimento de culpa e de auto-punição, desejo de morte e de fuga de mim mesmo; e toda opressão do maligno na minha alma, no meu corpo, toda insídia que ele coloca em minha mente.

Óh bendito Espírito, queima com o teu fogo abrasador toda treva instalada dentro de mim, que me consome e impede de ser feliz. Destrua em mim todas as conseqüências dos meus erros e dos erros dos meus ancestrais, que se manifestam em minhas atitudes, decisões, temperamento, palavras, vícios. Liberta, Senhor, toda a minha descendência da herança de pecado e rebelião às coisas de Deus.

Vinde, Santo Poder ! Purifique todo o meu ser, quebre toda a dureza do meu coração, destrua todas as barreiras de ressentimento, mágoa, rancor, egoísmo, maldade, orgulho, soberba, intolerância, preconceitos e incredulidade que existem em mim. E, no poder de Deus, liberta-me, Senhor ! Cura-me, Senhor ! Tende piedade de mim, Senhor !

Vinde, Santo Espírito ! Faça-me ressuscitar agora para uma vida nova, plena do teu amor, alegria, paz e progresso. Creio que estás fazendo isto em mim agora e assumo, pela fé, a minha libertação, cura e salvação; meu Salvador.

Glória a ti, meu Deus !
Bendito sejas para sempre !
Louvado sejas, ó meu Deus !
Amém e amém
Fonte: http://www.portalangels.com/oracoesdiversas26.htm

sábado, 2 de abril de 2011

Perigos escondidos


Numa certa data, num certo horário, tudo irá mudar na sua vida. A transformação será de 180 graus, reorganizando a sua rota existencial e colocando-o no rumo da execução da tua missão divina.

Enquanto as forças externas estiverem a te atormentar e a te infligir dor e sofrimento, tua caminhada não será contínua e perfeita. Enquanto os senhores das dimensões estiverem sobre o controle da tua energia, sentirás tuas forças aprisionadas como se fosses um peixe numa rede, que vê o oceano à sua frente, mas não pode mais tocá-lo e nem retornar às suas águas.

Em toda a criação há muitos perigos escondidos, os quais, muitas vezes, nos iludem e, outros momentos, com eles nos associamos. Quando nos damos conta, já é tarde demais para deles sairmos ilesos. Dessa forma, todo o cuidado é pouco diante dos percalços e dificuldades na lida da jornada infinita a qual estamos fadados a seguir.

Nesta caminhada, devemos agir como se fôssemos um motorista prudente que presta atenção em todas as esquinas e vielas e atende aos alertas das placas e dos semáforos. Assim, teremos chance maior de chegarmos ao nosso destino pré-estabelecido.

Autor: Gesiel Albuquerque

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Seja seguidor do blog

Soldado descansa diante do prédio cravejado de balas.
Fonte: www.terra.com.br

Kadafi continua irredutível. Enquanto isso o mundo sofre.