quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A História da Criação do Homem

Em nossa galáxia existem bilhões de Seres das Estrelas. As raças humanóides são a regra, não a exceção. Estas raças descendem de muitas formas de vida: répteis, insetos, dinossauros, pássaros e outras formas de vida que a humanidade nem consegue começar a imaginar.

Uma das mais antigas Raças das Estrelas neste setor do Universo é a reptiliana Ari-An, a qual descende dos ancestrais dinossauros no sistema de estrelas de Órion. Governados por rainhas, criaram o mais poderoso império da galáxia. Os guerreiros Ari-An eram inigualáveis em ferocidade e bravura, e o Império Ari-An insuperável em poder e tamanho.

Milhões de anos de incontáveis batalhas tinham permitido a esse Império desenvolver estratégias avançadas de guerra. Entre estas, os Ari-An praticavam “condicionamento” ou “reprogramação” para controlar populações conquistadas e fazer delas propriedades em vez de responsabilidades. Os inimigos tornavam-se servos obedientes do trono das rainhas reptilianas. Desta forma os Ari-Ans eliminavam a resistência.

Uma evolução inesperada de outra raça no Sistema Estelar de Sírius tornou-se uma ameaça ao Império Ari-An. Mesmo não tão antiga ou evoluída como a dos reptilianos, os guerreiros do Império Kanus, uma raça canina (similar aos lobos) preencheram suas falhas com sua ferocidade. Mesmo o mais disciplinado dos guerreiros Ari-An temia estes cruéis e bárbaros guerreiros Sirianos, que paravam para devorar a carne de seus inimigos no campo de batalha.

Um rápido avanço dos guerreiros Sirianos ameaçou a existência do Império Ari-An. Como resultado as rainhas procuraram os reis de Sírius para oferecer uma aliança. Um tratado foi acordado, de acordo com o qual ficou delineado quais setores da Galáxia deveriam ser regidos por cada império, e por algum tempo, os guerreiros de ambos os impérios lutaram lado a lado.

Com o nascimento de um novo sistema o Rei de Sírius foi rápido em reclamá-lo. Assim que os sirianos começaram a explorar seus recursos, este novo sistema tornou-se um posto avançado tanto para o Império Ari-An como para o Império Siriano, e o poder e a riqueza de ambos continuou a crescer. Mas eventualmente a guerra começou novamente, dessa vez entre Reis Sirianos rivais. No final, as forças Ari-An se juntaram ao Rei An. Mundos inteiros mantidos pela oposição foram totalmente destruídos, incluindo suas luas e colônias.

Muito mais tarde, o Rei An mandou seu filho, o Príncipe Ea e sua filha, a Princesa Nin-Hur-Sag (ambos cientistas geneticistas) para reconstruir o mundo destruído de Eridu, e mais uma vez explorar os recursos necessários e valiosos achados lá. Eles restauraram com sucesso a atmosfera; colocaram vida nos mares; recriaram plantas, árvores e flores; e hibridizaram diferentes tipos de seres. O planeta Eridu (Terra) renasceu.

Novas criaturas foram produzidas para habitar o planeta. Uma destas criaturas, Apa-Mus, era um híbrido macaco-besta cujo único propósito era o de servir e ser escravo nos campos e minas. Mas este animal era diferente dos outros, Ele podia entender ordens e podia se comunicar. A Princesa Nin-Hur-Sag tinha construído geneticamente o macaco-besta híbrido usando seu próprio DNA. A inteligência das bestas aumentou e começaram a se multiplicar rapidamente e a ensinar sua própria prole.

Quando outra espécie de trabalhadores criados geneticamente, os intraterrenos Sheti Lizards (Lagartos), revoltaram-se e tomaram o poder, os governantes dos Seres da Estrelas debandaram do planeta. Com a oposição fora do caminho, os Sheti usaram controle da mente e técnicas de programação que aprenderam de seus mestres para alterar as memórias dos descendentes remanescentes dos Seres das Estrelas. O conhecimento da raça humana sobre Seres das Estrelas foi substituído por mitos e lendas.

A dominância Sheti foi e continua a ser desafiada por muitas outras raças das estrelas tentando reconquistar o controle da Terra – e da raça Humana – para seus próprios propósitos. A luta pelo poder continua.
Disponível em: http://www.umanovaera.com/reptilianos/A_Historia_Suprimida_do_Planeta_Terra.htm

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O que são implantes astrais?

Existem dois tipos de implantes:
O primeiro tipo de implante contém a programação do medo, que se aloja dentro do sistema de uma pessoa quando esta experimenta o medo, o trauma, acidentes ou depressão profunda na infância, na vida adulta e até mesmo em outras vidas. Isto serviria para manter a pessoa no espaço do medo e assim, impedir que a pessoa tome posse de seu poder pessoal, auto-mestria e pensar, sentir ou agir a partir da consciência do Espírito/Cristo/Buddha/Deus.
O segundo tipo de implante é uma ferramenta utilizada pos Ets negativos para sugar a energia do sistema energético de uma pessoa, nas quais eles utilizam como dispositivo de monitoração para, também, bloquear o acesso dessa pessoa ao amor e à luz.
Os elementais negativos originam de formas-pensamentos negativas, que são atraídos à energia emocional negativa. Assim, se uma pessoa se encher de emoções negativas como a raiva, julgamento, violência, a falta de valor e amor próprios, a culpa, a preocupação, a tristeza, depressão, inferioridade, a irritação, falta de paz interna, de mente serena, pensamentos e sentimentos de ataques, os elementais negativos facilmente se unirão ao sitema energético dessa pessoa.
Obviamente estas energias negativas não servem à nossa finalidade mais elevada e podem frequentemente sabotar nosso progresso espiritual.

"Não é preciso sentir-se receoso já que todos na Terra os tem - e nós tivemos todos esses implantes durante todas as nossas vidas passadas. Entretanto, como nos movemos para cima no nosso caminho de iniciação é importante removê-los."

Por Que é Importante Removê-los?
"Os povos na Terra não podem conseguir a ascenção e a auto-realização sem dirigir-se a ambos estes aspectos (nível psicológico & nível psíquico da psicologia da alma). O nível psíquico da psicologia da alma trata dos princípios da psicologia esotérica que a maioria de povos não estão cientes de."
"Nós podemos fazer todo o trabalho de limpeza psicológica do mundo, mas se nós não nos dirigirmos a este nível psíquico da psicologia da alma, nós nunca nos recuperaremos inteiramente de nossos problemas físicos ou psicológicos. De outra maneira, nós podemos trabalhar no nível psíquico da psicologia da alma e limpar todos estes aspectos, mas se nós também não fizermos um trabalho de integração psicológica, nós não podemos nos recuperar inteiramente ou conseguir a total auto-realização. Ou seja, estas duas condições devem ser unidas."
(Textos extraídos do livro Psicologia da Alma, Edição Revisada por Dr Joshua David Stone)

sábado, 12 de dezembro de 2009

BUTÃO


Esta construção cravada nas montanhas está localizada num país de regime monárquico e politicamente fechado ao resto do mundo. O nome desse país é Butão.
Felicidade é levada a sério no país - único do mundo a ter Gross National Happiness (Felicidade Interna Bruta, na tradução para o português) como política pública. Ao Estado cabe prover as condições necessárias para que a população possa se concentrar na busca da felicidade, por meio dos ensinamentos do budismo.

O conceito de Gross National Happiness tem quatro pilares - preservação das tradições butanesas e do meio-ambiente, crescimento econômico e bom governo. Instituída pelo quarto rei, Jigme Singye Wangchuk, em 1972, a política foi criada para se contrapor à idéia de que PIB (Produto Interno Bruto) - que é baseado em valores materiais - mede a qualidade de vida da população. O salário mínimo no Butão é cerca de US$ 100 mensais.