domingo, 30 de outubro de 2011

Vontade e Auto-Hipnose

A vontade é um subproduto de uma crença no sucesso e uma imagem mental coerente sobre o sucesso de uma determinada decisão. Assim, unificamos a emoção e a razão, e podemos nos sentir motivados para entrar em ação. Poderia explicar isso até neurológicamente, mas não cabe aqui no momento.

O importante a ressaltar quanto à auto-hipnose é que praticar em si mesmo dificilmente será tão intenso quanto se o fizer guiado por outra pessoa. Isto porque quando se faz em si mesmo estamos nos dividindo em três pessoas diferentes: um deles vai pensar o que dizer a si mesmo, outro vai observar os resultados e, por fim, o terceiro vai passar pela experiência.

Mesmo que para alguns a hipnose não seja nada mais do que uma meditação orientada, ela tem uma sutil diferença, pois a relação comunicativa entre duas mentes é bem mais intensa do que a relação interna, de auto-sugestão.

Entendermos esta diferença já é um bom sinal - sim, realmente não dá para fazer que a “hipnose em si mesmo” seja tão intensa quanto a hipnose de outra pessoa. Pelo menos não se estivermos querendo “comandar a mente a força”. A presença da parte crítica da mente poderá interferir na profundidade do transe, e a atenção será mais flutuante; a mente não estará unifocalizada.

Autor: Antonio Azevedo
http://www.portalcmc.com.br/autohiptx_05.htm