Nossos pensamentos


Nossos pensamentos nos deixam em conexão direta e ininterrupta com bases e fraternidades do mundo astral. Muito do que pensamos não tem nada a ver com o que de fato queríamos. De forma sutil e extremamente maquiavélica, somos induzidos a fazer ou a imaginar coisas para fortalecer as nossas ligações com os nossos “inspiradores astrais”, as quais,na maior parte das vezes, permanecem mais fortes e íntimas. Confesso que isso não é uma boa coisa, embora, em alguns momentos, pareça ser.

A maior parte dos humanos nem se dá conta de tamanha influenciação mental e psicológica, a qual acaba se refletindo sobre suas emoções e sentimentos. Pensamentos de raiva, inveja, ciúme, irritação, honra ferida, indignação, entre outros, são os mais freqüentes na hierarquia das ocupações da psique. Acompanham tais pensamentos milhares de imagens que se repetem e se reproduzem como células na fase meiótica. Isto é, 1=2=4=8=16... ao infinito.

Ao falar sobre isso, não digo que somos vítimas apenas. Pelo contrário, tais conexões se estabelecem porque nossas energias celulares se expandem e se coadunam com muitos propósitos tenebrosos possíveis, alguns inconfessáveis. Muitas vezes, tais propósitos estão disfarçados de sugestões nobres em prol do bem maior. Ledo engano! Quando se percebe o engodo, já é tarde demais.

Niguém, absolutamente ninguém está livre das influências astrais malígnas sobre os seus pensamentos e emoções, mesmo aqueles aparentemente 'iluminados'. Há pessoas que se sentem protegidas dos ataques tenebrosos por acreditarem possuir guias espirituais poderosos. No entanto, nem desconfiam da desproteção na qual estão imersas e se deixam levar por sugestões e pensamentos advindos dos seus supostos protetores, os quais são, em muitos casos, entidades trevosas disfarçadas em seres de luz.

Quem quiser combater isso dentro de si, aconselho a orar e vigiar. É difícil, mas o caminho mais prático é este. Ao me refirir à oração, não falo apenas sobre balbuciar palavras ou rituais, mas sim, ativar os pensamentos através de ideias construtivas, sadias e eficazes que mantêm a ecologia mental e não agridem a integridade das outras consciências .

Quando falo em vigilância, refiro-me a permanecermos atentos a todas as formas de trapaças psicológicas e emocionais suficientes para nos levar a fazer pactos (voluntária ou involutariamente) com as forças sombrias e delas não nos livrarmos tão cedo. Como eu disse, isso não é nada fácil; em outras palavras, é quase impossível exercer a vigilância e a oração eficazmente porque nossas ligações anscestrais aos diversos Eus da nossa formação energética nos conectam a mundos, situações, seres e 'missões', multi e infradimensionais, sofríveis

Autor: Gesiel Albuquerque

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Esclarecimentos enviados por Rodrigo Romo

Rodrigo Romo é uma farsa

Anjos, deuses e equívocos