sábado, 9 de junho de 2012

Anjos, deuses e equívocos

Outro equívoco muito comum é contatar um representante angélico que obedece ou segue as normas do seu coordenador e acharmos que estamos interagindo diretamente com o coordenador-chefe. Por exemplo, se um anjo vem em nosso auxílio na cor azul e portar um instrumento de corte de cordões energéticos na forma que podemos relacionar a uma espada por visão interna, não quer dizer que estamos lidando diretamente com o Arcanjo Miguel.

A diferença será apenas na vaidade e orgulho quando afirmarmos isto para nós mesmos ou para outros, porque o efeito do auxílio aconteceu exatamente como deveria ter acontecido por intermédio de anjos “mais simples”, mas sob o comando real (apesar de “distante”) de Miguel. Exemplo claro disto tive quando desci às Trevas Totais e depois “visualizei” uma “espada azul” tênue cortando vínculos com aquelas regiões.

Certa vez, há muitos anos atrás, fui convidada a participar de uma reunião espiritualista na qual o centro das atenções seria um médium muito conhecido. Eu não estava nem um pouco preocupada com este encontro, mas meus Instrutores sim. Então, durante a tarde que precedeu a reunião, fui levada ao “mundo dos anjos” e de lá saí com quatro anjos protetores (estes portavam escudos e se posicionaram ao meu redor de acordo com as Quatro Direções Cardeais) e um bem maior que se investiu na minha aura (não era o meu Eu Anjo). Ele se mostrou para mim na cor azul e carregava uma “espada azul”.  

O fato é que tive conhecimento de que várias mulheres que participaram daquela reunião foram perseguidas no Astral posteriormente por aquele médium; algumas até correram risco de vida por meio de magias escusas, por não terem cedido às vontades daquele ser. Na 3D, ele parecia uma pessoa respeitadora e “inofensiva”; no Astral, mostrava suas ligações explícitas com as Trevas. Só então fui compreender a proteção extra que tinha recebido pelos guardiões angélicos e por “Miguel” (ou, como algumas pessoas gostam de dizer: “São Miguel Arcanjo”).

Autora Wyliah
Trecho retirado do livro: “Luz e Treva: Compreendendo a Dualidade”
Disponível em:
http://www.umanovaera.com/uma_nova_era/anjos_deuses_e_equivocos.htm

2 comentários:

  1. este seu post vem de encontro a minha resposta no post anterior: não devemos acreditar no que nos dizem..ciência e espiritualidade estão em busca de uma comprensão e acho temos que ter nossas opiniões,tal como vc expressou sobre rodrigo romo!
    só assim podemos dizer que somos livres irmão!!!
    mais uma vez minhas saudações por ter este espaço para nos expressarmos!

    ResponderExcluir
  2. Caro Ricardo,

    Tenho ficado surpreso com tantas enganações no meio espiritualista e no espiritismo. Não sou contra essa dogmática, mas, é de impressionar a quantidade de magos negros se fazendo passar por seres de luz (encarnados e desencarnados), buscando manter as pessoas nas trevas da ignorância.

    Quando me recolho para orar, peço sempre ao Grande Arquiteto do Universo que ajude a todos a enxergarem o que está por detrás dessa cortina. Mas fui informado que a maioria dos seres humanos está nessa condição porque quer, simplesmente isso.

    Forte abraço amigo. E obrigado pela sua colaboração.

    ResponderExcluir

Ao comentar, coloque seu nome e a localidade.