Histrionismo

O Transtorno de Personalidade Histriônica ou Histérica (TPH) é uma desordem de personalidade (incluída no grupo B "dramáticos, imprevisíveis ou irregulares" - Borderline, Histriônica, Anti-Social e Narcisista), representada por pessoas dramáticas, exageradas, sedutoras, que tendem a chamar atenção para si mesmas e controlam pessoas e circunstâncias para conseguirem o que querem - manipuladores.

É um distúrbio de personalidade que pode ocorrer concomitante ao Transtorno de Personalidade Limítrofe (Borderline) e, por isso, compartilham várias características em comum. Além disso, histriônicos têm uma probabilidade maior de adquirir depressão do que a maioria das pessoas.

Muitas das pessoas desejam ter admiração de outros, mas pessoas com personalidade histriônica têm uma necessidade doentia e constante de atenção, engajando-se sempre em comportamentos excessivos para atrair atenção para si, com frequente dependência de aprovação e elogios de outros para se sentirem bem. Sua relação com o sexo oposto com frequência é caracterizada pela necessidade de sedução, sobretudo nas relações afetivas autênticas. Erotizam suas relações sociais, mesmo as inapropriadas; eles têm sempre uma imensa vontade de seduzir. Entretanto, histriônicos tendem a evitar relações afetivas autênticas, profundas e íntimas (ex.: namoro).

Pessoas histriônicas não conseguem viver sem atenção. Carentes, elas acreditam que só são felizes com pessoas dando atenção a elas a todo instante, e acham que outros irão dar atenção apenas se agirem por extremos caminhos. Eles se consideram um "nada", caso fiquem sem atenção. Esses indivíduos têm profundos sentimentos de aborrecimento e tristeza caso se sintam ignorados, excluídos, rejeitados ou abandonados e ficam mal humorados facilmente se percebem que as pessoas não o responderam positivamente.

Autor: Manoel Brandão Neto
Site: http://doutordaalma.blogspot.com/2011/02/histrionismo-vontade-exagerada-de-ser.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rodrigo Romo é uma farsa

Esclarecimentos enviados por Rodrigo Romo

Anjos, deuses e equívocos